Enquindu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Enquidu.
Enquindu
Deus da agricultura
Inanna prefers the farmer. Enkimdu and Damuzi were mentioned. Terracotta tablet from Nippur, Iraq. 1st half of the 2nd millennium BCE. Ancient Orient Museum, Istanbul.jpg
Tábua feita de terracota mencionando Enquindu e Dumuzide criada em Nipur. Atualmente está no Museu do Antigo Oriente em Istambul.
Pais Enqui

Enquindu (em acádio: Enkimdu) era um deus da agricultura, capaz de encarregar os canais e diques.[1] Ele era filho de Enqui, o deus das águas.[2] Seu culto estava ligado ao território da Mesopotâmia.

O poema Dumuzide e Enquindu[editar | editar código-fonte]

No poema sumério Dumuzide e Enquindu, Inana estava prestes a procurar um novo marido. O indicado foi Dumuzide, mas ela recusou dizendo que ele era apenas um pastor. Mas Utu, seu irmão, insistiu dizendo que o que Dumuzide fazia era "boa manteiga e leite bom" e para casar com ele. Mesmo insistindo, a deusa Inana recusava.[3]

Desde então, Inana conheceu melhor Enquindu e o escolheu para ser seu marido. Enquanto isso, Dumuzide falou à ela que ele se compara ao Enquindu e, depois disto, a zombou pela insipidez pela escolha, fazendo com que Inana descartasse a primeira escolha e se casasse com ele. Enquindu, o avistando de longe, lutou com ele agressivamente pela deusa, mas depois suplicou a si mesmo e concedeu acesso ao pasto para os rebanhos de Dumuzide.[4]

Referências

  1. Jordan 2004, p. 90.
  2. Castel 2017, p. 1.
  3. «Dumuzid and Enkimdu: translation». etcsl.orinst.ox.ac.uk. Consultado em 23 de outubro de 2020 
  4. McClure 2019.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]