Epsilon Gruids

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Epsilon Gruids (EGR) é uma chuva de meteoros que recebeu esta denominação por ter seu radiante próximo à estrela Epsilon Grouis[1] na Constelação do Grou. Foi uma das duas primeiras chuvas de meteoros descobertas no Brasil.[2][3]

História[editar | editar código-fonte]

No início de 2016, o astrônomo amador Marcelo Zurita, ao analisar os meteoros registrados pela BRAMON nos anos de 2014 e 2015, percebeu uma concentração de meteoros na Constelação do Grou que ocorriam nos dois anos distintos, o que poderia indicar uma nova chuva de meteoros. A partir daí, juntamente com Carlos di Pietro iniciaram uma pesquisa para tentar comprovar matematicamente a existência da possível nova chuva de meteoros. Mas isso só foi possível em 2017, a partir do trabalho desenvolvido pelo também astrônomo amador Lauriston Trindade, que além de comprovar a chuva no Grou, também descobriu uma outra chuva na Constelação do Cinzel, a August Caelids. Em 20 de março de 2017, o Meteor Data Center, órgão ligado à União Astronômica Internacional (IAU), validou as duas chuvas de meteoros e tornou a Epsilon Gruids e a August Caelids as primeiras chuvas de meteoros descobertas por brasileiros.[4]

Referências

  1. Julia Moura (10 de junho de 2017). «Saiba como observar a chuva de meteoros deste fim de semana». Veja. Consultado em 29 de outubro de 2017 
  2. «Epsilon Gruids». Meteor Data Center. Consultado em 6 de novembro de 2017 
  3. Lauriston Trindade. «Chuva de meteoros menor – August Caelids (ACD)». BRAMON. Consultado em 30 de outubro de 2017 
  4. «Rede de astrônomos descobre duas primeiras chuvas de meteoros 'brasileiras' - Mensageiro Sideral». Mensageiro Sideral - Folha de S.Paulo - Blogs 
Ícone de esboço Este artigo sobre astronomia é um esboço relacionado ao Projeto Astronomia. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.