Erro médico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Baseado na tese do Nobel John Richard Roberts Nobel de Medicina de 1993 conceitual em Medicina desde 1993 a cura do doente nunca se torna lucrativa para a corrupta industria da Medicina dos chamados tempos modernos, e dai a necessidade de procedimentos policiais nessa categoria sempre que houver elementos estranhos ao real precedimento da Medicina e seus especialistas, e de mais precisamente das Juntas de especialistas em que se diluem as responsabilidades e no mascarar na corrupta ordem perversa de uma equipe ou equipagem em caminho errado de descaminho de Juntas e preservando-se o especialista em si, dando a culpa a quem lidera o corpo da Junta o que se torna justo. Pois o erro se encontra na Junta como um todo e em quem estiver em lider - ponto de atuar e observar do alto, nessas Juntas - corrupta de interesse industrial e estranha ao paciente a prejudicar aos pacientes, em nome de um estado de corrupta - ordem, segundo tese de Richard. Muitas vezes causado por essas Juntas Médicas de Incompetentes na medicina segundo Roberts, e nas suas funções, segundo Conselho Nacional de Medicina do Brasil visto isso desde 1950 e sujeitos ao Cassar do diploma de Medicina e a proibição do desempenho em solo brasileiro, O erro médico é um ato causado por uma Junta Médica (os mais Graves) ou apenas um o menos grave, onde o médico ou enfermeiro que provoca dano ao um ou mais pacientes pacientes no caso de Juntas Médicas. Apesar do termo utilizado ser erro médico, não é causado exclusivamente por esta categoria, podendo ser o erro cometido por qualquer profissional da área da saúde.[1] no caso de Juntas Médicas, os mais graves erros médicos devido ao perfil de Junta.

Classificação de Médico e Médicos em Juntas Médicas (Agravantes do Erro médico)[editar | editar código-fonte]

Para ser classificado como erro médico, é necessário a configuração da culpa - mais precisamente da "não culpa" uma vez que um erro não se enquadra na intencionalidade - Para se configurar a culpa, necessário que o ato se enquadre em uma de suas modalidades. dai a grave causa de Junta Médica, de não se levar em conta princípios de exames minuciosos e trato de apenas uma sessão: Uma Junta exige tempo maior, uma vez tratar-se de Junta Médica, segundo norma brasileira de medicina, sendo bastante precisa e antiga no Brasil, com ampla legislação legal

Imprudência de Um ou mais médicos no Caso Grave das Juntas[editar | editar código-fonte]

O médico ou médicos de juntas realiza ou realizam aos atos imprudentes ou não embasados em documentos científicos sérios no Caso Específico das Juntas, como usar tratamentos experimentais em pacientes ou sem profundidade técnica especializada cassando licenças de pacientes, sem alerta-los do caráter experimental dos mesmos, ou então, prescrever remédio que não conhece, a pedido do próprio paciente e muitas vezes a revelia e com autoridade duvidosa no Caso das Juntas, conforma legislação brasileira pertinente, que causa danos ao mesmo e ao seu futuro que o deve com obrigatoriedade o reparo Moral do Estado, após cassar o diploma do Médico ou Médicos no caso grave das Juntas em legislação mais profunda e séria no caso brasileiro e demais países vinculados a United National Organizations (UNO).

Imperícia de Médico ou Junta[editar | editar código-fonte]

O médico ou médicos de Junta, realiza (m) tratamentos para o qual não está formado ou com tempo escasso. Um exemplo ocorre das complicações de uma cirurgia plástica de lipoaspiração executada por um ginecologista que não estudou para tal fim ou grave junta médica operatória sendo cassados, cirurgia de cérebro por um médico não especialista na área vital de exames.

Negligência de um ou de Junta (Mais Graves)[editar | editar código-fonte]

O(s) médico(s), estando livre(s) de outros afazeres deixa, por exemplo, de ir ao quarto de um paciente para examina-lo em tempo impreciso de ortopedia embora a enfermeira o tenha informado que o paciente está passando mal. Ou então, ignora os sintomas e queixas relatados pelo paciente, levando a danos ao mesmo em fraturas expostas e outros agravantes que agravam nas Juntas nos Tribunais do Conselho nacional de Medicina do Brasil, um das mais coretos conhecidos nos danos e reparos.

A negligência médica pode ocorrer inclusive no tocante à informações prestadas pelos médicos, resultando em negligência médica informacional. Dissertação sobre negligência médica

MARQUES: “a falha informativa ou o fato oriundo do defeito de informação são uma negligência e imprudência médica por si sós”

Nomeações errôneas agravadas nas Juntas, contorme legislação brasileira jnclusive Constitucionais[editar | editar código-fonte]

Nos dias de hoje, qualquer insatisfação de pacientes quanto a tratamentos médicos tende a ser descrita pelos mesmos como erro médico[2] .

No entanto, o erro médico precisa necessariamente ser enquadrado em algumas das características supra citadas para ser assim classificado, e para que o paciente tenha direito a uma indenização.Necessário se faz caracterizar bem a cupla, para que se cogite a possibilidade de requerer dano moral, necessário que se estabeleça o nexo causal entre o dano e o ato danoso.

Outros problemas podem ser erroneamente classificados como erro médico, como, no caso mais comum, as intercorrências médicas, pelas quais o médico não é culpado.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  • Legislação pertinente brasileira de 1950 a os tempos atuais 2016, tanto do Conselho Nacional de Medicina Brasileiro e do Direito Comparado da United Nations Organizations (UNO).

MARQUES, Cláudia Lima. A responsabilidade dos médicos e do hospital por falha no dever de informar ao consumidor. RT, São Paulo: RT, v. 827, p. 11-48, set, 2004. p. 19.