Estado de transição

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O estado de transição numa reação química é uma configuração particular ao longo da coordenada de reação que se define como o estado que corresponde ao máximo de energia ao longo dessa coordenada. Neste ponto, não trata-se de uma forma química de estabilidade significativa, não podendo, desse modo, ser confundido com os intermediários da reação (como ES ou EP). Ademais, é um momento molecular transitório em que eventos como a quebra de ligação, a formação de ligação ou o desenvolvimento de carga ocorrem com a mesma probabilidade de seguirem tanto para formar novamente o substrato como para formar o produto, não se configurando-se como reação irreversível.


[1]

Referências

  1. Solomons, T.W. Graham & Fryhle, Craig B. (2004). Organic Chemistry (8th ed.). John Wiley & Sons, Inc. ISBN 0-471-41799-8. 2-David L. Nelson, Michael M. Cox. Princípios de bioquímica de Lehninguer. 6°ed. Porto Alegre: Artmed, 2014. pg: 193, cap: 6.
Ícone de esboço Este artigo sobre Química é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.