Executive search

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde maio de 2014).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.

O executive search é uma modalidade específica do processo de Recrutamento e Seleção, destinada à busca de profissionais que ocupam cargos de elevada importância dentro das organizações.

Conceito[editar | editar código-fonte]

O Executive Search pode ser definido como um processo de atração, análise e seleção de profissionais para ocupar um cargo executivo dentro de uma empresa. De acordo com Ribeiro (2012)[1], o que diferencia o Executive Search de outras formas de Recrutamento e Seleção é o processo de pesquisa direta e sua incidência no mercado de trabalho. Em muitos casos, o Executive Search é realizado por consultorias especializadas neste serviço, ou seja, a organização que está em busca de um executivo contrata uma headhunter externa para realizar a busca, seleção e avaliação de profissionais. Segundo Ribeiro (2012), uma característica comum nos processos de Executive Search e a relação de confiabilidade entre empresa contratante, consultor e candidato. Para Lopes e Pinho, 2010, o Executive Search pode ser definido como:

"... o refinar do recrutamento e selecção. É elevar o nível de recrutamento, procurando o que de melhor o mercado tem para oferecer. Não basta preencher a vaga com um indivíduo que tenha o perfil indicado, o cargo será ocupado por alguém com capacidades e conhecimentos para melhorar a produtividade dessa função" (LOPES E PINHO, 2010)[2].

Etapas[editar | editar código-fonte]

Em geral, os projetos de Executive Search são divididos em[3]:

1 – Compreensão do perfil da posição solicitada e da cultura corporativa da empresa contratante;

2 – Atração de profissionais;

3 – Avaliação dos executivos selecionados;

4 – Apresentação dos profissionais finalistas;

5 – Escolha do profissional a ocupar a posição dentro da empresa;

6 – Acompanhamento de desempenho do profissional escolhido.

Apesar de serem bastante comuns em projetos de Executive Search, as etapas listadas podem sofrer alteração, adição ou supressão de etapas, de acordo com a personalização de cada processo.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A modalidade de Recrutamento e Seleção denominada Executive Search surgiu após a Segunda Guerra Mundial. tal atividade cresceu rapidamente e se estabeleceu em diversos segmentos profissionais. Em 1946, surgiu a Boyden Internacional, reconhecida como a primeira empresa especializada no ramo. Posteriormente, surgiu a Heidrick & Struggles (1953) em Chicago e a Egon Zehnder Internacional (1964) em Zurique. Estas pioneiras se mantém até hoje no mercado como gigantes do setor (LOPES e PINHO, 2010). Ao longo dos anos o Executive Search se disseminou em todo o globo e evoluiu muito, principalmente com o advento da Internet, que modificou drasticamente o "modus operandi" do Executive Search e forneceu aos headhunters uma nova e poderosa ferramenta de trabalho.

História do Executive Search no Brasil[editar | editar código-fonte]

Até meados de 1990 o Executive Search no Brasil ainda era uma atividade restrita ao recrutamento do quadro de diretoria e presidência das poucas multinacionais e empresas nacionais de grande porte. Até esse momento esta atividade era exercida sobretudo pelas multinacionais de executive search pioneiras no país, com a Heidrick & Strugles, Egon Zehner, Korn Ferry e Boyden, e em menor escala pelos principais gestores das agências de emprego locais.

Foi somente em 2000 que o Executive Search começa realmente sua expansão no país, o que fica marcado sobretudo pela entrada de uma das maiores consultorias de recrutamento de média gestão do mundo, a Michael Page. Esse fato pode ser encarado como o início desta atividade sobretudo pelo fato desta empresa atuar exclusivamente em posições de média gestão, o que a fez ganhar escala rapidamente no país e chamar a atenção das demais empresas globais do segmento, como: Hays, Robert Half e Randstad, que entre 2005 e 2010 entram no país fazendo investimentos expressivos em expansão. Durante esse mesmo período passam a surgir no país uma série de consultorias locais formadas por ex-executivos destas multinacionais, que em 2017 já representam o maior número de empresas do segmento no país.

Tendências para os próximos anos (Mundo)[editar | editar código-fonte]

Apesar da forte expansão do serviço de Executive Search pelo mundo nas ultimas décadas, o segmento como um todo hoje passa por um momento bastante emblemático. Ao mesmo tempo em que a maioria das consultorias de capital aberto do setor no mundo presenciaram uma crescimento bastante pequeno entre 2012 e 2016, o que em parte se deveu a crise global, nesse mesmo período surge uma nova e forte onda de crescimento dentro do setor nas chamadas consultorias de recrutamento com especialização setorial ou departamental. Em poucos anos essas consultorias passaram a representar mais de 30% do mercado de terceirização do recrutamento na Europa e EUA.

Um outra tendência bastante forte são os aplicativos de recrutamento e seleção, que também ganham espaço rapidamente em todos os continentes.

Tendências para os próximos anos (Brasil)[editar | editar código-fonte]

No Brasil essa tendência global de especialização setorial e departamental só ganha força em meados de 2012, inicialmente no segmento de tecnologia da informação com notórias multinacionais do segmento entrando no país, e mais recentemente com especialistas em outros departamentos e segmentos, como a Foursales[4], consultoria de recrutamento e seleção especializada exclusivamente em área comercial.

A exemplo desta tendência fora do país, tudo indica que nos próximos anos surjam várias consultorias com esse modelo de atuação no país, que devem disputar mercado tanto com a consultorias generalistas de executive search quanto com as ferramentas online, cada vez mais participativas no mercado.

Referências

  1. DIOGO JOÃO LOPES DE ALMEIDA RIBEIRO (2012). «HEAD-HUNTING - O PROCESSO DE SELEÇÃO E RECRUTAMENTO / FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO E A IMPORTÂNCIA DA ÉTICA.» (PDF). Instituto Superior de Economia e Gestão - Universidade Técnica de Lisboa. Consultado em 26 de maio de 2014 
  2. José Cláudio Lopes e Ribeiro de Pinho (2010). «O ESTADO DA ARTE E O IMPACTE DO EXECUTIVE SEARCH NA INDÚSTRIA EM PORTUGAL» (PDF). Universidade de Aveiro. Consultado em 26 de maio de 2014 
  3. «Executive Search». MMourão Consulting. Consultado em 26 de maio de 2014 
  4. «Sobre Nós | Recrutamento e Seleção de Área Comercial | Foursales». Foursales