Farfetch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Farfetch
Sociedade em nome coletivo
Cotação FTCH
Atividade Marketplace / Plataforma tecnológica
Fundação Junho de 2007
Fundador(es) José Neves
Sede Londres,  Reino Unido e Porto Portugal Portugal
Proprietário(s) José Neves
Presidente José Neves
Vice-presidente Elliot Jordan
Pessoas-chave CTO: Cipriano Sousa
COO: Luís Teixeira
Diretor de marketing:Stephanie Horton
Diretor Comercial: Giorgio Belloli
Empregados 4500+
Produtos Roupas, sapatos, acessórios, joalharia, designer
Subsidiárias NGG, Browns Fashion, Stadium Goods
Website oficial farfetch.com

Farfetch é uma plataforma líder mundial no mercado on-line de moda de luxo. O site foi fundado em 2008 pelo empresário português José Neves[1], com sede fiscal em Londres. Hoje, a empresa já tem filiais no Porto, Braga, Guimarães, Lisboa, Nova Iorque, Los Angeles, Tóquio, Xangai e São Paulo. A Farfetch trabalha em parceria com boutiques independentes em um modelo baseado em comissão, vantajoso para ambas as partes, uma vez que as vendas online representam em média, 30% do total vendido pelas boutiques.

A empresa opera em diversos mercados internacionais com sites no idioma local, como inglês, francês, japonês, mandarim, português, coreano, alemão, russo e espanhol. Em julho de 2020, a Farfetch já contava com mais de 4500 funcionários globalmente.

História[editar | editar código-fonte]

A Farfetch foi fundada em 2008 por José Neves, mas o empresário se dedica ao mundo da moda desde meados da década de 1990, quando lançou a marca de sapatos SWEAR. Em 2001, José criou a B Store, uma empresa de moda com uma loja física inovadora, que trazia marcas jovens e designers emergentes. Foi durante uma viagem à Semana de Moda de Paris em 2007, quando Neves estava promovendo a sua B Store, que a ideia de apostar no mercado online com uma loja virtual veio à tona. Uma entrevista de 2013 no The Daily Telegraph detalha o momento em que Neves percebeu a necessidade de dar às boutiques de moda independentes, uma presença de vendas online: "Conversamos com dezenas de donos de boutiques e o que eles relatavam fazia muito sentido. O negócio não ia bem, já não era possível confiar somente nas vendas locais, mas eles não tinham a experiência para entrar no mundo online. Eles tinham enorme visão e muito bom gosto, mas precisavam de um ambiente seguro."

Foi por essa razão que Neves decidiu criar o site Farfetch, para permitir que pequenas boutiques independentes pudessem competir no mercado mantendo suas lojas físicas, mas criando uma identidade visual própria. Um artigo de 2013 no The Economist resumiu: "A Farfetch valoriza as 'raízes de tijolos e argamassa' permitindo que boutiques independentes mantenham sua identidade, ao mesmo tempo que promove um aumento de suas posições no mercado mundial.”

Inicialmente, em julho de 2010, a empresa conseguiu um investimento de 4,5 milhões de dólares em ações da Advent Venture Partners para ajudar a expandir sua presença nos mercados brasileiro, norte-americano e europeu. Após isso, a Farfetch levantou uma segunda rodada de 18 milhões de dólares em financiamento da Advent Venture Partners, Index Ventures e eVenture Capital Partners.

Em março de 2013, um investimento adicional de 20 milhões de dólares foi anunciado pela editora mundial Conde Nast International, que foi apoiada por um financiamento subseqüente em maio de 2014, totalizando 66 milhões de dólares de outras fontes de investimento, incluindo a Conde Nast International.

Um marco importante para o negócio foi então alcançado em março de 2015, quando a Farfetch ganhou mais US $ 86 milhões de um grupo de investidores liderado pela empresa de software DST Global. Os antigos investidores também contribuíram para esta rodada de financiamento da Série E, que elevou o investimento total a mais de US $ 195 milhões. Esses investidores incluíam a Advent Ventures Partners, a Condé Nast International, a Index Ventures, a Novel TMT, eVentures e a Vitruvian Partners. Na sequência, em maio de 2015, a Farfetch anunciou a aquisição da boutique Browns, uma das mais icônicas de Londres. No mesmo mês, a Private Eye classifica a Farfetch como uma empresa “unicórnio”, devido ao seu conceito único no mercado.

Entrada na bolsa de Nova Iorque[editar | editar código-fonte]

Em 21 de setembro de 2018 a empresa entrou na bolsa de valores de Nova Iorque, com mais de 44 milhões de ações a 20 dólares cada (23 euros). Menos de dez minutos depois do início das negociações, o valor de cada ação já estava a rondar os 28,5 dólares. A primeira empresa tecnológica portuguesa a entrar na New York Stock Exchange (NYSE) é agora reconhecida na bolsa sob a abreviatura "FTCH",

Gerenciamento[editar | editar código-fonte]

Farfetch é atualmente liderada por José Neves, fundador e CEO da empresa, atuando como Diretor Presidente, responsável pela estratégia geral e tomada de decisão. Ele é apoiado por Luís Teixeira, o COO (Chief Operating Officer), que é responsável por supervisionar e gerir as funções operacionais do dia-a-dia da Farfetch, incluindo marketing online, finanças, RH e serviços ao cliente.

Na mesma época que Andrew foi contratado, a Farfetch trouxe outra grande especialista para sua equipe, contratando Susanne-Tide Frater como diretora da marca e de estratégia. Susanne foi Diretora Criativa da Harrods e Selfridges e atualmente concilia a sua função na Farfetch com o seu cargo de Diretora de Moda da marca Victoria Beckham.

Em contratações seguintes para a gerência sênior,  David Lindsay foi nomeado vice-presidente sênior de Tecnologia para dirigir e gerenciar desenvolvimentos em inovações tecnológicas e design para experiência do usuário do site (UX). David se uniou a Farfetch em fevereiro de 2013 depois de trabalhar dois anos em uma agência de design de sites independentes, além de atuar como Chefe de Tecnologia da Net-A-Porter por 5 anos.

Nessa área, o apoio do CTO Cipriano Sousa (Chief Technology Officer) é fundamental. O Diretor de Tecnologia trabalha para a Farfetch desde a sua fundação e agora gere as operações diárias da equipe de tecnologia. Antes desse cargo, ajudou a desenvolver a infraestrutura tecnológica e as funções de sites de pequenas lojas de moda independentes, incluindo a marca B Store de José Neves.

Após a rodada de investimento da Conde Nast em março de 2013, dois outros gerentes seniores se juntaram à Farfetch para impulsionar a expansão do negócio. Farfetch nomeou pela primeira vez Stephanie Horton como CMO (Chief Marketing Officer) em agosto de 2013 para supervisionar funções empresariais criativas e promocionais, tais como marketing, relações públicas, mídia editorial e social. Horton veio da Shopbop onde era chefe de comunicações globais. Antes disso, trabalhou como Diretora Executiva de Serviços Criativos da Vogue.

Em outubro de 2013, um pouco depois de Stephanie, a Farfetch nomeia Giorgio Belloli , o ex Diretor de Desenvolvimento de Negócio da grife Alexander McQueen, como CCO (Chief Commercial Officer). O Diretor Comercial é encarregado da estratégia comercial e desenvolvimento.

Como parte de uma expansão contínua da empresa após os investimentos de março de 2015, uma  nova rodada de contratação de gerência foi promovida em 2015, começando com a nomeação de Taleeb Noormohamed como CGO, Chief Growth Officer. Taleeb foi vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios Globais na HomeAway Inc antes de seu papel na Farfetch, e também tinha atuado como vice-presidente de Estratégia e Parcerias nas Olimpíadas de Vancouver 2010. Elliot Jordan também foi contratado como CFO (Chief Financial Officer),tornando-se o responsável pelas operações financeiras da empresa. Elliot juntou-se a Farfetch com experiência prévia em gestão financeira de vários varejistas on-line, incluindo ASOS e Sainsbury's. Além disso, Ephraim Luft se juntou à empresa como CPO (Chief Product Officer) para gerenciar o desenvolvimento de produtos e funções da equipe UX. Ephraim tem um MBA da Harvard Business School e tem quinze anos de experiência na indústria de tecnologia digital, trabalhando anteriormente em empresas como Microsoft, Massive Incorporated e POPSUGAR.

Operações[editar | editar código-fonte]

A Farfetch envia globalmente produtos de moda de mais de 500 boutiques parceiras do site, para mais de 170 países. A partir de setembro de 2014, "as vendas anuais de mercadorias através do site Farfetch.com ultrapassaram £ 167 milhões”, e o negócio continua a crescer. Em 2013, vendeu produtos de mais de 2000 marcas da moda mundial, atraindo 4,3 milhões de visitantes semanais para o site. Em um artigo do New York Times em março de 2013, foi declarado que o gasto médio do cliente Farfetch é de $ 680 dólares por compra.

A empresa divide as marcas de moda do site em duas categorias de compras: LUXE, que são as marcas de luxo que oferecem produtos high-end e marcas LAB, que incluem marcas emergentes e experimentais. Um terceiro departamento (contemporâneo), com as peças mais casuais e de dia-a-dia, foi consolidado dentro da categoria LAB em setembro 2014, para tornar a navegação do site mais fácil e intuitiva para o consumidor. No Brasil, o site é organizado por marcas nacionais e internacionais.

As maiores vendas da Farfetch vem de marcas de luxo como Valentino, Saint Laurent, Givenchy e Comme des Garçons, mas designers emergentes e menos conhecidos são a chave e o diferencial da empresa. Stephanie Horton, Diretora de Marketing da Farfetch, explicou que o posicionamento da Farfetch está sempre à frente devido a diversidade de produtos, que, segundo ela,  “ajuda a Farfetch a atingir um número amplo e diversificado de consumidores."

A Farfetch tem apoiado marcas emergentes e alternativas, patrocinando a iniciativa "London Showrooms" do British Fashion Council que apoia e ajuda a promover designers britânicos internacionalmente. Também promoveu 15 marcas brasileiras em um projeto chamado "Destination Brazil" para ajudar as marcas locais menos conhecidas a "conquistar uma audiência global". A Farfetch continua a apoiar designers emergentes e boutiques independentes, procurando "sempre por novas boutiques de conceito e alto padrão em novas regiões."

A partir de outubro de 2014, a empresa já empregava um total de 502 pessoas no Reino Unido, EUA, Portugal e Brasil, com um novo escritório em Tóquio. Após os investimentos da Conde Nast em 2013, a Farfetch lançou um programa de expansão para aumentar a exposição da marca e participação de mercado em novos territórios, incluindo os EUA, Alemanha, Europa Oriental, Escandinávia e Japão. Como parte disto, em agosto de 2014, a Farfetch lançou seu site nas línguas locais, como em russo, japonês e chinês. Além dos sites americano e brasileiro que já estavam operando, assim como os sites em inglês, francês e espanhol. Atualmente a Farfetch opera 8 sites de língua local, além de seu site em inglês.

A empresa também tem um aplicativo para iPhone e Android que permite aos usuários comprar produtos das boutiques ao redor do mundo, bem como acessar histórias editoriais sobre as locações das boutiques no globo. O aplicativo é chamado de "Farfetch Discover" e foi lançado em outubro de 2014. Possui “guias de viagem  para algumas das cidades mais elegantes do mundo, incluindo Nova York, Paris, Milão, Roma, Los Angeles e mais". De acordo com um artigo de agosto de 2014 no Women's Wear Daily, o aplicativo espelha "a funcionalidade do site conectando usuários com produtos de boutiques em todo o mundo" e oferece "conteúdo editorial voltado para diferentes cidades".

Prémios e reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

A Farfetch e seus representantes foram vencedores de vários prémios da indústria da moda e do comércio digital:

  • Prêmio de Melhor E-tailer - The Drapers E-tail Awards
  • Melhor empresa de Start-up de Moda - The European Tech Start-up Awards
  • Rising Star Advertiser- Golden Link Awards do Rakuten Affiliate Marketing
  • Prêmio Direção Digital - The Luxury Briefing Awards
  • Prêmio Direção Digital - The Luxury Briefing Awards
  • Prêmio Direção Digital - The Luxury Briefing Awards
  • CEO do Ano (José Neves) - Digital Masters Awards
  • Excelência em Gestão Geral (Andrew Robb) - Digital Masters Awards
  • Melhor E-Store - WGSN Global Fashion Awards
  • Melhor campanha de pesquisa orgânica - Performance Marketing Awards
  • Prêmio Grand Prix - Prêmios de Marketing de Performance
  • Prêmio Direção Digital - The Luxury Briefing Awards
  • CEO do Ano (José Neves) - Digital Masters Awards
  • Excelência em Gestão Geral (Andrew Robb) - Digital Masters Awards
  • Melhor E-Store - WGSN Global Fashion Awards
  • Melhor campanha de pesquisa orgânica - Performance Marketing Awards
  • Prêmio Grand Prix - Prêmios de Marketing de Performance

Referências