Farfetch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Farfetch
Sociedade em nome coletivo
Cotação FTCH
Atividade Marketplace / Plataforma Tecnológica
Fundação Junho de 2007
Fundador(es) José Neves
Sede Londres,  Reino Unido e Porto Portugal Portugal
Proprietário(s) José Neves
Presidente José Neves
Vice-presidente Elliot Jordan
Pessoas-chave CTO: Cipriano Sousa
COO: Luís Teixeira
Diretor de marketing:Stephanie Horton
Diretor Comercial: Giorgio Belloli
Empregados 4500+
Produtos Roupas, sapatos, acessórios, joalharia, designer
Subsidiárias NGG, Browns Fashion, Stadium Goods
Website oficial farfetch.com

Farfetch é uma plataforma líder mundial no mercado on-line de moda de luxo. O site foi fundado em 2008 pelo empresário português José Neves, com sede fiscal em Londres. Hoje, a empresa já tem filiais no Porto, Braga, Guimarães, Lisboa, Nova Iorque, Los Angeles, Tóquio, Xangai e São Paulo. A Farfetch trabalha em parceria com boutiques independentes em um modelo baseado em comissão, vantajoso para ambas as partes, uma vez que as vendas online representam em média, 30% do total vendido pelas boutiques.

A empresa opera em diversos mercados internacionais com sites no idioma local, como inglês, francês, japonês, mandarim, português, coreano, alemão, russo e espanhol. Em julho de 2020, a Farfetch já contava com mais de 4500 funcionários globalmente.


História[editar | editar código-fonte]

A Farfetch foi fundada em 2008 por José Neves, mas o empresário se dedica ao mundo da moda desde meados da década de 90, quando lançou a marca de sapatos SWEAR. Em 2001, José criou a B Store, uma empresa de moda com uma loja física inovadora, que trazia marcas jovens e designers emergentes. Foi durante uma viagem à Semana de Moda de Paris em 2007, quando Neves estava promovendo a sua B Store, que a ideia de apostar no mercado online com uma loja virtual veio à tona. Uma entrevista de 2013 no The Daily Telegraph detalha o momento em que Neves percebeu a necessidade de dar às boutiques de moda independentes, uma presença de vendas online: "Conversamos com dezenas de donos de boutiques e o que eles relatavam fazia muito sentido. O negócio não ia bem, já não era possível confiar somente nas vendas locais, mas eles não tinham a experiência para entrar no mundo online. Eles tinham enorme visão e muito bom gosto, mas precisavam de um ambiente seguro."

Foi por essa razão que Neves decidiu criar o site Farfetch, para permitir que pequenas boutiques independentes pudessem competir no mercado mantendo suas lojas físicas, mas criando uma identidade visual própria. Um artigo de 2013 no The Economist resumiu: "A Farfetch valoriza as 'raízes de tijolos e argamassa' permitindo que boutiques independentes mantenham sua identidade, ao mesmo tempo que promove um aumento de suas posições no mercado mundial.”

Inicialmente, em julho de 2010, a empresa conseguiu um investimento de US $ 4,5 milhões em ações da Advent Venture Partners para ajudar a expandir sua presença nos mercados brasileiro, norte-americano e europeu. Após isso, a Farfetch levantou uma segunda rodada de US $ 18 milhões em financiamento da Advent Venture Partners, Index Ventures e eVenture Capital Partners.

Em março de 2013, um investimento adicional de US $ 20 milhões foi anunciado pela editora mundial Conde Nast International, que foi apoiada por um financiamento subseqüente em maio de 2014, totalizando US $ 66 milhões de outras fontes de investimento, incluindo a Conde Nast International.

Um marco importante para o negócio foi então alcançado em março de 2015, quando a Farfetch ganhou mais US $ 86 milhões de um grupo de investidores liderado pela empresa de software DST Global. Os antigos investidores também contribuíram para esta rodada de financiamento da Série E, que elevou o investimento total a mais de US $ 195 milhões. Esses investidores incluíam a Advent Ventures Partners, a Condé Nast International, a Index Ventures, a Novel TMT, eVentures e a Vitruvian Partners. Na sequência, em maio de 2015, a Farfetch anunciou a aquisição da boutique Browns, uma das mais icônicas de Londres. No mesmo mês, a Private Eye classifica a Farfetch como uma empresa “unicórnio”, devido ao seu conceito único no mercado.

Entrada na bolsa de Nova Iorque[editar | editar código-fonte]

Em 21 de setembro de 2018 a empresa entrou na bolsa de valores de Nova Iorque, com mais de 44 milhões de ações a 20 dólares cada (23 euros).

Menos de dez minutos depois do início das negociações, o valor de cada ação já estava a rondar os 28,5 dólares.

A primeira empresa tecnológica portuguesa a entrar na New York Stock Exchange (NYSE) é agora reconhecida na bolsa sob a abreviatura "FTCH",

Gerenciamento[editar | editar código-fonte]

Farfetch é atualmente liderada por José Neves, fundador e CEO da empresa, atuando como Diretor Presidente, responsável pela estratégia geral e tomada de decisão. Ele é apoiado por Luís Teixeira, o COO (Chief Operating Officer), que é responsável por supervisionar e gerir as funções operacionais do dia-a-dia da Farfetch, incluindo marketing online, finanças, RH e serviços ao cliente.

Na mesma época que Andrew foi contratado, a Farfetch trouxe outra grande especialista para sua equipe, contratando Susanne-Tide Frater como diretora da marca e de estratégia. Susanne foi Diretora Criativa da Harrods e Selfridges e atualmente concilia a sua função na Farfetch com o seu cargo de Diretora de Moda da marca Victoria Beckham.

Em contratações seguintes para a gerência sênior,  David Lindsay foi nomeado vice-presidente sênior de Tecnologia para dirigir e gerenciar desenvolvimentos em inovações tecnológicas e design para experiência do usuário do site (UX). David se uniou a Farfetch em fevereiro de 2013 depois de trabalhar dois anos em uma agência de design de sites independentes, além de atuar como Chefe de Tecnologia da Net-A-Porter por 5 anos.

Nessa área, o apoio do CTO Cipriano Sousa (Chief Technology Officer) é fundamental. O Diretor de Tecnologia trabalha para a Farfetch desde a sua fundação e agora gere as operações diárias da equipe de tecnologia. Antes desse cargo, ajudou a desenvolver a infraestrutura tecnológica e as funções de sites de pequenas lojas de moda independentes, incluindo a marca B Store de José Neves.

Após a rodada de investimento da Conde Nast em março de 2013, dois outros gerentes seniores se juntaram à Farfetch para impulsionar a expansão do negócio. Farfetch nomeou pela primeira vez Stephanie Horton como CMO (Chief Marketing Officer) em agosto de 2013 para supervisionar funções empresariais criativas e promocionais, tais como marketing, relações públicas, mídia editorial e social. Horton veio da Shopbop onde era chefe de comunicações globais. Antes disso, trabalhou como Diretora Executiva de Serviços Criativos da Vogue.

Em outubro de 2013, um pouco depois de Stephanie, a Farfetch nomeia Giorgio Belloli , o ex Diretor de Desenvolvimento de Negócio da grife Alexander McQueen, como CCO (Chief Commercial Officer). O Diretor Comercial é encarregado da estratégia comercial e desenvolvimento.

Como parte de uma expansão contínua da empresa após os investimentos de março de 2015, uma  nova rodada de contratação de gerência foi promovida em 2015, começando com a nomeação de Taleeb Noormohamed como CGO, Chief Growth Officer. Taleeb foi vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios Globais na HomeAway Inc antes de seu papel na Farfetch, e também tinha atuado como vice-presidente de Estratégia e Parcerias nas Olimpíadas de Vancouver 2010. Elliot Jordan também foi contratado como CFO (Chief Financial Officer),tornando-se o responsável pelas operações financeiras da empresa. Elliot juntou-se a Farfetch com experiência prévia em gestão financeira de vários varejistas on-line, incluindo ASOS e Sainsbury's. Além disso, Ephraim Luft se juntou à empresa como CPO (Chief Product Officer) para gerenciar o desenvolvimento de produtos e funções da equipe UX. Ephraim tem um MBA da Harvard Business School e tem quinze anos de experiência na indústria de tecnologia digital, trabalhando anteriormente em empresas como Microsoft, Massive Incorporated e POPSUGAR.

Operações Atuais[editar | editar código-fonte]

Atualmente a Farfetch envia globalmente produtos de moda de mais de 500 boutiques parceiras do site, para mais de 170 países. A partir de setembro de 2014, "as vendas anuais de mercadorias através do site Farfetch.com ultrapassaram £ 167 milhões”, e o negócio continua a crescer. Em 2013, vendeu produtos de mais de 2000 marcas da moda mundial, atraindo 4,3 milhões de visitantes semanais para o site. Em um artigo do New York Times em março de 2013, foi declarado que o gasto médio do cliente Farfetch é de $ 680 dólares por compra.

A empresa divide as marcas de moda do site em duas categorias de compras: LUXE, que são as marcas de luxo que oferecem produtos high-end e marcas LAB, que incluem marcas emergentes e experimentais. Um terceiro departamento (contemporâneo), com as peças mais casuais e de dia-a-dia, foi consolidado dentro da categoria LAB em setembro 2014, para tornar a navegação do site mais fácil e intuitiva para o consumidor. No Brasil, o site é organizado por marcas nacionais e internacionais.

As maiores vendas da Farfetch vem de marcas de luxo como Valentino, Saint Laurent, Givenchy e Comme des Garçons, mas designers emergentes e menos conhecidos são a chave e o diferencial da empresa. Stephanie Horton, Diretora de Marketing da Farfetch, explicou que o posicionamento da Farfetch está sempre à frente devido a diversidade de produtos, que, segundo ela,  “ajuda a Farfetch a atingir um número amplo e diversificado de consumidores."

A Farfetch tem apoiado marcas emergentes e alternativas, patrocinando a iniciativa "London Showrooms" do British Fashion Council que apoia e ajuda a promover designers britânicos internacionalmente. Também promoveu 15 marcas brasileiras em um projeto chamado "Destination Brazil" para ajudar as marcas locais menos conhecidas a "conquistar uma audiência global". A Farfetch continua a apoiar designers emergentes e boutiques independentes, procurando "sempre por novas boutiques de conceito e alto padrão em novas regiões."

A partir de outubro de 2014, a Farfetch já empregava um total de 502 pessoas no Reino Unido, EUA, Portugal e Brasil, com um novo escritório em Tóquio. Após os investimentos da Conde Nast em 2013, a Farfetch lançou um programa de expansão para aumentar a exposição da marca e participação de mercado em novos territórios, incluindo os EUA, Alemanha, Europa Oriental, Escandinávia e Japão. Como parte disto, em agosto de 2014, a Farfetch lançou seu site nas línguas locais, como em russo, japonês e chinês. Além dos sites americano e brasileiro que já estavam operando, assim como os sites em inglês, francês e espanhol. Atualmente a Farfetch opera 8 sites de língua local, além de seu site em inglês.

A empresa também tem um aplicativo para iPhone e Android que permite aos usuários comprar produtos das boutiques ao redor do mundo, bem como acessar histórias editoriais sobre as locações das boutiques no globo. O aplicativo é chamado de "Farfetch Discover" e foi lançado em outubro de 2014. Possui “guias de viagem  para algumas das cidades mais elegantes do mundo, incluindo Nova York, Paris, Milão, Roma, Los Angeles e mais". De acordo com um artigo de agosto de 2014 no Women's Wear Daily, o aplicativo espelha "a funcionalidade do site conectando usuários com produtos de boutiques em todo o mundo" e oferece "conteúdo editorial voltado para diferentes cidades".

Prêmios e Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

A Farfetch e seus representantes foram vencedores de vários prêmios da indústria fashion e do comércio digital:

  • Prêmio de Melhor E-tailer - The Drapers E-tail Awards
  • Melhor empresa de Start-up de Moda - The European Tech Start-up Awards
  • Rising Star Advertiser- Golden Link Awards do Rakuten Affiliate Marketing
  • Prêmio Direção Digital - The Luxury Briefing Awards
  • Prêmio Direção Digital - The Luxury Briefing Awards
  • Prêmio Direção Digital - The Luxury Briefing Awards
  • CEO do Ano (José Neves) - Digital Masters Awards
  • Excelência em Gestão Geral (Andrew Robb) - Digital Masters Awards
  • Melhor E-Store - WGSN Global Fashion Awards
  • Melhor campanha de pesquisa orgânica - Performance Marketing Awards
  • Prêmio Grand Prix - Prêmios de Marketing de Performance
  • Prêmio Direção Digital - The Luxury Briefing Awards
  • CEO do Ano (José Neves) - Digital Masters Awards
  • Excelência em Gestão Geral (Andrew Robb) - Digital Masters Awards
  • Melhor E-Store - WGSN Global Fashion Awards
  • Melhor campanha de pesquisa orgânica - Performance Marketing Awards
  • Prêmio Grand Prix - Prêmios de Marketing de Performance