Faustino Fudut Imbali

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Faustino Fudut Imbali
Nascimento 1 de maio de 1956 (63 anos)
Guiné Portuguesa
Cidadania Guiné-Bissau
Ocupação diplomata, político

Faustino Fudut Imbali (1 de Maio de 1956[1]) é um político de Guiné-Bissau, tendo assumido o posto de primeiro-ministro de 21 de março de 2001 a 9 de dezembro de 2001 e novamente desde 29 de outubro de 2019. É um dos dirigentes do Partido da Renovação Social.[1]

É mestre em sociologia e desenvolvimento político, tendo também trabalhado como pesquisador do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa em Bissau.[1]

Imbali concorreu como candidato à presidência do país nas eleições de 28 de novembro de 1999, alcançando apenas o terceiro lugar com 8,22% dos votos.[2]

Embora tenha sido amplamente noticiada sua morte em junho de 2009, junto às notícias dos assassinatos do candidato presidencial Baciro Dabó e do ex-ministro da Defesa Helder Proença, chefes militares informaram que ele foi espancado e mantido sob custódia das forças de segurança nacionais.[3]

Em 29 de Outubro de 2019, menos de 24 horas após a demissão do governo liderado por Aristides Gomes, foi nomeado pelo presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, como primeiro ministro do país, [1] não sendo, no entanto, reconhecido como tal pela comunidade internacional.

Referências

  1. a b c d «FRANCISCO FUDUT IMBALI É O NOVO PRIMEIRO-MINISTRO | Nacional». www.radiosolmansi.net. Consultado em 4 de novembro de 2019 
  2. «Elections in Guinea-Bissau» (em inglês). African Elections Database. Consultado em 9 de junho de 2009 
  3. «Guinea-Bissau ex-PM severely beaten but alive» (em inglês). AFP. 6 de junho de 2009. Consultado em 9 de junho de 2009 
Precedido por
Caetano N'Tchama
Primeiro-ministro da Guiné-Bissau
2001
Sucedido por
Alamara Nhassé
Precedido por
Aristides Gomes
Primeiro-ministro da Guiné-Bissau
2019 - presente
Sucedido por
presente