Fonte do Calvo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Camera-photo.svg
Ajude a melhorar este artigo sobre Arquitetura ilustrando-o com uma imagem. Consulte Política de imagens e Como usar imagens.

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2011). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Fonte do Calvo existe há mais de 100 anos, sendo bastante importante a água daquela nascente para a população de Almalaguês desde o século passado até aos dias de hoje.

Utilização[editar | editar código-fonte]

As pessoas da freguesia de Almalaguês recorriam muito à Fonte do Calvo pois é a que possui melhor qualidade de água[1] e uma das mais próximas da população. A água da fonte foi, ainda como é hoje, utilizada sobretudo para consumo doméstico – beber e cozinhar - e para lavar roupa[2] mas, antigamente, servia também para se tomar banho, pois não existia água canalizada. Tradicionalmente, a população de Almalaguês fazia romarias à Fonte do Calvo. Destaca-se a célebre ida dominical, após a missa, onde rapazes e raparigas faziam o percurso de ida e volta juntos, aproveitando para “namorar” naquele espaço de tempo, tendo sido na fonte que muitos casamentos da freguesia de Almalaguês se “arranjaram”.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

O transporte da água era feito sobretudo em cântaros[3] de barro, que por norma se encontravam na sala ou na cozinha poisadas em cantareiras e tapados com os “telhadores”. Hoje em dia, a cantarinha deu lugar aos normais garrafões de plástico, arrumáveis em qualquer lugar.

Durante todos estes anos de existência fizeram-se algumas modificações na Fonte, sobretudo reabilitações que, de tempos a tempos, vão dando outra cara à zona.

Referências

  1. «Análise da água da Fonte do Calvo - Setembro 2010» 
  2. «Lavadeiras». Consultado em 31 de março de 2011. Arquivado do original em 22 de junho de 2010 
  3. «Cântaros de Barro». Consultado em 31 de março de 2011. Arquivado do original em 22 de junho de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]