Franja

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma modelo com franja (esquerda), e outra sem

Franja é uma espécie de penteado em que o cabelo decai sobre a testa.

Depois de alguns anos escondida sob o título de brega, as franjas estão de volta, e com a corda toda! Nove entre dez celebridades já aderiram a ela e exibem um visual impecável.

A musa egípcia Cleópatra já apostava no poder de sedução delas e a imagem delicada fez com que a forte mulher influenciasse o destino de Roma.

O poder de sedução é tanto, que a atriz Elizabeth Taylor arrebatou corações ao interpretar Cleópatra para o cinema e de quebra ainda conquistou o galã Richard Burton, Marco Antônio no filme de 1963.

“As franjas fazem as mulheres adquirirem ares marotos, quase infantis e isso ativa o imaginário e o ideal dessas épocas”, explica a professora de História da Moda da Faculdade Santa Marcelina, Mitsuko Shitara.

Na década de 20 as franjinhas reapareceram e a atriz do cinema mudo Louise Brooks exibia os cabelos na altura do queixo e bem liso. O corte virou febre e representava um estilo irreverente.

As melindrosas também adotaram as franjas, e apesar de não serem comportadas, ganhavam ares infantis com o rosto bem destacado pelo excesso de maquiagem.

A famosíssima “bonequinha de luxo”, Audrey Hepburn influenciou multidões ao usá-las em seus principais filmes, feitos nos anos 50. A estilista Coco Chanel também levou o visual às passarelas.

Os anos 60 também tiveram o glamour das franjas com o ícone Brigitte Bardot, que exibia um corte mais assimétrico e com tendência moderna – característica da época. O look desestruturado deste estilo surgiu com o hippies na década de 70 e representava a liberdade almejada por eles. “A moda e o estilo dos cabelos sempre demonstram o espírito da época”, explica o consultor de moda do TERRA, Xico Gonçalves.

Nos anos 80 elas apareciam na cabeça dos ícones da criançada, como Xuxa, Angélica, Mara Maravilha e as paquitas. No final desta década as tops Claudia Schiffer e Linda Evangelista ditaram a tendência, que logo se espalhou pelo mundo.

Finalmente chega um novo século e as mulheres fizeram uma releitura do corte – agora, as franjas dão ar de jovialidade e as fazem “lolitas” e mulheres fatais, com franjão “pega-rapaz”.A franja ocorre naturalmente em muitos estilos de cortes de cabelo curtos. A franja combinada com cabelo comprido nas laterais e na nuca foi introduzida como estilo de corte feminino por Ziryab, um divulgador de novos modos culturais na Espanha Islâmica do século IX que gerenciava um salão de beleza próximo à alcáçova de Córdova,Tambem existe atualmente franjas que se reproduz em roupas para dar-se um toque especial a ela onde encontra-se maior volume e desenvoltura a roupa.[1]

Referências

  1. Lebling Jr., Robert W.; MacDonald, Norman. «Flight of the Blackbird» (em inglês). Saudi Aramco World. Consultado em 2010-07-15. 

www.terra.com.br

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.