Freguesia de Nossa Senhora das Neves e Santa Rita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Freguesia de Nossa Senhora das Neves e Santa Rita, fundada em 25 de dezembro de 1795, teve sua origem numa aldeia missionária que agrupava os indígenas dos vales dos rios São Pedro, Macaé e Macabu.

Neves foi o segundo núcleo de povoação do município de Macaé, atrás apenas do que se formou no Furado, freguesia de Quissamã, quando Luiz de Barcellos Machado, um dos sucessores de um dos sete capitães, fundou em 1695 a capela de Nossa Senhora do Desterro do Furado. O terceiro núcleo, também fundado pelos jesuítas no início do século XIX com a construção da Igreja de Sant'Anna, é o atual núcleo urbano de Macaé, desmembrado de Campos dos Goytacazes e elevado à categoria de vila em 1813. Em 06 de maio de 1815 foi criada a freguesia sob a invocação de São João Batista de Macaé e em 15 de abril de 1846 a vila foi elevada á categoria de cidade.

Em 1813, na época da fundação da vila de Macaé, só haviam três freguesias, ligadas aos três núcleos citados acima: a de São João de Macahé (cidade), a de N.S. das Neves e Santa Rita (abrangendo Neves, Frade, Macabu, Sana e Cachoeiros) e a de N.S. do Desterro de Capivary (abrangendo Quissamã, Carapebus e Barreto).

A origem da freguesia de Neves se deu no século XVII quando o bacharel jesuíta Antônio Vaz Pereira, missionário apostólico, conseguiu catequizar os índios Saracurus e Guarulhos, que habitavam os sertões dos rios Macaé, São Pedro e Macabu. Em 22 de dezembro de 1795 foi elevada a freguesia, existindo então uma pequena capela, mas a freguesia só foi instituída em 1803, tendo sido o padre José das Neves o seu primeiro vigário.

Em 30 de outubro de 1872 foi desmembrada uma parte de seu território e criada a freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Frade, que era uma das mais ricas e promissoras de todo o município. O Frade, assim como Neves, tinham na produção de café a sua principal cultura e força econômica.

Em 1878 a população do município de Macaé era de 31.938 pessoas, sendo 20.339 livres e 11.599 escravos. Para se entender a importância da freguesia de Neves e a ainda pequena população urbana do município de Macaé na época cabe analisar a distribuição da população livre entre as freguesias:

5.131 habitantes - Neves e Frade (713 km² e 588 km², respectivamente)

4.509 habitantes - Barreto (588 km²)

3.592 habitantes - Macaé - Freguesia da São João Batista - cidade (86 km²)

3.346 habitante - Carapebus (223 km²)

2.227 habitantes - Macabu (387 km²)

1.534 habitantes - Quissamã (996 km²)


Outra referência importante[1] vem da relação de eleitores no Município de Macaé em 1880:

Collegio de Macahé - 65 eleitores

Freguesia de S. João Baptista, cidade - 12 eleitores

Freguesia de S. José do Barreto - 4 eleitores

Freguesia de N.S. das Neves - 20 eleitores

Freguesia de N.S. da Conceição de Macabu - 9 eleitores

Freguesia de N.S. da Conceição de Carapebus - 11 eleitores

Freguesia de N.S. do Desterro de Quissamã - 9 eleitores


Para efeito de comparação, outros collegios eleitorais da Provincia do Rio de Janeiro tinham essas quantidades de eleitores:


Côrte (Rio de Janeiro) - 507 eleitores

Angra dos Reis - 71 eleitores

Araruama - 54 eleitores

Barra Mansa - 60 eleitores

Barra de S. João - 22 eleitores

Campos - 206 eleitores

Cabo-Frio - 48 eleitores

Cantagallo - 66 eleitores

Capivary - 42 eleitores

Estrella (inclui Petropolis) - 35 eleitores

Iguassu - 50 eleitores

Itaborahy - 62 eleitores

Itaguahy - 33 eleitores

Magé - 45 eleitores

Maricá - 40 eleitores

Nitherohy - 106 eleitores

Nova-Friburgo - 47 eleitores

Parahyba do Sul - 74 eleitores

Paraty - 30 eleitores

Pirahy - 57 eleitores

Resende - 67 eleitores

Rio Bonito - 64 eleitores

Rio-Claro - 40 eleitores

Santa Maria Magdalena - 43 eleitores

Sto. Antonio de Sá - 46 eleitores

S. Fidelis - 102 eleitores

S. João da Barra - 41 eleitores

S. João do Príncipe - 42 eleitores

Sapucaia - 34 eleitores

Saquarema - 34 eleitores

Valença - 106 eleitores

Vassouras - 93 eleitores


Pelo Decreto Estadual n.º 641, de 15-12-1938, o distrito de Neves passa a se chamar Iriri e depois, pela Deliberação Municipal n.º 1, de 09-01-1964, o distrito de Iriri passou a denominar-se Córrego do Ouro.


Fontes[editar | editar código-fonte]

  • LOBO, Dácio, Síntese Geo-Histórica de Macaé, PMM, 1987.
  • Almanak Mercantil, Industrial, Administrativo e Agrícola da Cidade e Município de Campos, 1884.
  • Memórias Históricas do Rio de Janeiro, 1820.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.
  1. «Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro». Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro. 1885