Germanías

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
A paz das Germanías, óleo sobre tela, por Marcelino Unceta

A rebelião das Germanías (catalão: Revolta de les Germanies, espanhol: Rebelión de las Germanías) foi uma revolta de guildas de artesãos (Germanias) contra o governo do rei Carlos V no Reino de Valência, parte da Coroa de Aragão. Ocorreu de 1519 a 1523, com a maioria dos combates ocorrendo durante 1521. A revolta valenciana inspirou uma revolta na ilha de Maiorca, também parte de Aragão, que durou de 1521 a 1523.[1]

A revolta foi um movimento autonomista antimonarquista e antifeudal inspirado nas repúblicas italianas. Também tinha um forte aspecto anti-islâmico, à medida que os rebeldes se revoltavam contra a população camponesa muçulmana de Valência (também chamada de mudéjars, para contrastar com os cripto-muçulmanos ou mouriscos na Coroa de Castela, onde o Islã foi proibido) e impuseram conversões forçadas ao cristianismo.[2] Os agermanats são comparáveis ​​aos comuneros da vizinha Castela, que lutaram uma revolta semelhante contra Carlos de 1520-1522. Ambas as rebeliões foram parcialmente inspiradas pela partida para a Alemanha de Carlos, o novo rei de Castela e Aragão (em uma união pessoal que formaria a base para o Reino da Espanha), para assumir o trono como Sacro Imperador Romano e deixando para trás um Conselho Real e regente um tanto vergonhoso.[1][3]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b This article incorporates text translated from the Catalan Wikipedia article Revolta de les Germanies and the Spanish Wikipedia article Germanías, licensed under the GFDL.
  2. Bonilla, Luis (1973). Las Revoluciones Españolas En El Siglo XVI (in Spanish). Madrid: Colección Universitaria de Bolsillo Punto Omega. pp. 197–221
  3. Lynch, John (1964). Spain under the Habsburgs. (vol. 1). New York: Oxford University Press. p. 40
Ícone de esboço Este artigo sobre história ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.