Giclée

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Giclée é o termo genérico utilizado no mundo inteiro para caracterizar a impressão de uma obra de arte sobre diferentes materiais como tela, papel Arches com uma impressora a jato de tinta de alta definição e de grande formato.

Algumas pessoas grafam giclêe, adaptado à língua portuguesa, para conservar a pronúncia francesa.

Origem[editar | editar código-fonte]

O termo giclée, de origem francesa, foi utilizado pela primeira vez, relacionado a arte, em 1991, pelo artista estadounidense Jack Duganne, pioneiro do processo.

Giclée vem do verbo gicler, que quer dizer espirrar, jorrar. Essa palavra descreve perfeitamente o processo por meio do qual gotículas de tinta são “espirradas” sobre o material utilizado (tela, papel artístico...) . Jack Duganne utilizava impressoras da marca Iris, que, na época, eram bastante usadas em agências de publicidade, estúdios de criação etc.

As tintas usadas na época, facilmente desbotáveis, não conservavam nem reproduziam as cores reais da obra.

Utilização[editar | editar código-fonte]

Hoje em dia o processo giclée é o mais usado em reprodução numérica de altíssima qualidade de obras de arte originais.

A impressão giclée sobre tela é uma ótima opção para artistas que desejem reproduzir suas obras com extrema qualidade, mantendo a identidade na reprodução. A impressão sobre a tela é geralmente montada no chassi e recebe uma camada de verniz, como uma obra original, o que possibilita que a reprodução e a obra original sejam extremamente semelhantes. Em contrapartida, a obra original será sempre única, pois a impressão giclée não reproduz o aspecto de relevo que a tela original possui.

Esse processo permite também aumentar ou reduzir o tamanho da reprodução da obra, o que oferece ao artista mais possibilidades de atingir as necessidades de seus clientes.

Processo de fabricação[editar | editar código-fonte]

A primeira etapa consiste na captura da imagem da obra original por meio de aparelhos fotográficos de altíssima definição (39 milhões de pixels), em estúdio profissional adaptado para isso. Em seguida, a imagem é tratada por um designer gráfico profissional, que corrige, se necessário, o contraste, a luminosidade e a coloração da imagem, adaptando-a à sua impressora. A etapa é a impressão da imagem em alta resolução (1.440 ppp) com a ajuda de impressoras numéricas de grande formato e de última geração, como os modelos dos fabricantes Epson, HP, Océ, Roland etc. Cada impressão é verficada uma a uma.

As tintas utilizadas são resistentes aos raios ultravioletas e à água. As impressões são em seguida esticadas e montadas no chassi, como numa obra original.