Gimnofiono

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaCobra-cega
Ocorrência: Jurássico - Recente
Caecilian.jpg

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Amphibia
Ordem: Gymnophiona
Rafinesque, 1814
Distribuição geográfica
Distribution.gymnophiona.2.png
Famílias
Rhinatrematidae

Ichthyophiidae
Uraeotyphlidae
Scolecomorphidae
Caeciliidae
Typhlonectidae

Gymnophiona ou Apoda é uma ordem de anfíbios que inclui cerca de 175 espécies, distribuídas por 5 ou 6 famílias, segundo quem as classifica. Estes anfíbios, conhecidos como cecílias, gimnofionos e cobras-cegas, são típicos do Hemisfério Sul, estando bem representados no Sudeste Asiático e na América do Sul. Os gimnofionos caracterizam-se pela ausência de patas e possuem grande semelhança com minhocas (em alguns locais do Brasil são chamados também de "minhocuçu"). No entanto, são vertebrados, o que os separa dos anelídeos. A maioria das espécies são primariamente fossórias, habitando o ambiente subterrâneo, e secundariamente aquáticas. Principalmente por essas qualidades, constituem o grupo de vertebrados menos conhecidos pelos zoólogos. São também conhecidas popularmente pelos nomes de cobra-pilão, ibicara, mãe-de-saúva, pilão e ubijara.

O nome cobra-cega é dado devido à sua semelhança com cobras, e, também porque são considerados cegas, pelo menos para a formação de imagens e pela sua capacidade de enxergar. Esse fato está diretamente ligado à sua adaptação ao ambiente fossório. Entretanto, estudos morfológicos mostram que esses olhos possuem células que reconhecem luz. Existem outros animais que realmente poderiam ser chamados de cobras-cegas, como as cobras fossórias da família Typhlopidae e as anfisbenas Ordem dos Escamados, Subordem Amphisbaenia, Família Amphisbaenidae, que também vivem no ambiente subterrâneo. São répteis que possuem muitas semelhanças ecológicas com os anfíbios cobras-cegas mas que são chamadas de cobras-de-duas-cabeças, pelo fato de a cabeça ser muito semelhante à cauda. Uma característica distintiva das cobras-cegas é o fato de possuírem tentáculos, constituindo os únicos vertebrados tentaculados. Em função do ambiente fossório, perderam a visão das imagens, ganhando os tentáculos que é muito útil nesse tipo de ambiente. Tais tentáculos são muito sensíveis, com funções quimio- e mecanorreceptoras. O tamanho desses animais varia muito entre as espécies, variando desde poucos centímetros a em torno de 1,5 metros. A respiração faz-se por pulmões, mas também absorvem oxigénio através da pele e boca. O crânio é muito ossificado já que é adaptado para a (escavação). Os gimnofionos são o único grupo de anfíbios com fecundação interna. O macho, na hora da cópula, extroverte a cloaca, que, assim, transforma-se em um tipo de pênis, conhecido como Phallodeum. Cerca de 75% das espécies são vivíparas e dão à luz crias já desenvolvidas.

Os gimnofionos apresentam cores variadas, indo desde o plúmbeo, acastanhados ou esverdeados, mas algumas espécies africanas e asiáticas são bastante coloridas. Uma espécie de São Tomé (Schistometopum thomensis) possui um tom de amarelo muito vivo.

Uma descoberta recente (Kupfer et al., 2006) sobre a biologia das cobras-cegas, feita por pesquisadores do Museu de História Natural de Londres (Mark Wilkinson e Alexander Kupfer), Universidade de Michigan (Ronald Nussbaum) e Instituto Butantan (Carlos Jared e Marta Maria Antoniazzi), versa sobre o seu cuidado parental. Descobriu-se que os filhotes se alimentam somente da pele da mãe até os dois meses de idade. Isso é possível porque essa pele é rica em proteínas e lipídios, o que garante o rápido crescimento do filhote, que já nasce com dentes especiais para arrancar esse alimento. Também descobriu-se que esse comportamento, chamado de dermatofagia, possui mais de 100 milhões de anos (Wilkinson et al., 2008).

Classificação[editar | editar código-fonte]

Gimnofiono em cativeiro (San Antonio Zoo)

Taxonomicamente os gimnofionos são divididos em 6 famílias.

  • Rhinatrematidae Nussbaum, 1977 - 2 gêneros, 9 espécies - terrestres de pequeno porte, acredita-se que tenham larvas aquáticas - América do Sul
  • Ichthyophiidae Taylor, 1968 - 2 gêneros, 39 espécies - terrestres, moderadamente grandes, com larvas aquáticas - Ásia
  • Uraeotyphlidae Nussbaum, 1979 - 1 gêneros, 5 espécies - terrestres, pequenos, ovíparos, talvez com desenvolvimento direto - Índia
  • Scolecomorphidae Taylor, 1968 - 2 gêneros, 6 espécies - errestres, moderadamente grandes e talvez vivíparas - África
  • Typhlonectidae Taylor, 1968 - 5 gêneros, 13 espécies - aquáticas e semi-aquáticas de pequeno a grande porte, vivíparas com larvas aquáticas - América do Sul
  • Caeciliidae Rafinesque, 1814 - 26 gêneros, 99 espécies - terrestres e aquáticas, muito pequenas a muito grandes, vivíparas e ovíparas; sem estágiolarval aquático - América do Sul e Central, África, Índia e ilhas Seychelles

Não se sabe o nicho nem o hábitat do animal.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Kupfer A, Muller H, Antoniazzi MM, Jared C, Greven H, Nussbaum RA, Wilkinson M (2006) Parental investment by skin feeding in a caecilian amphibian. Nature 440:926-929

Wilkinson M, Kupfer A, Marques-Porto R, Jeffkins H, Antoniazzi MM, Jared C (2008) One hundred million years of skin feeding? Extended parental care in a Neotropical caecilian (Amphibia: Gymnophiona). Biology Letters 4:358-361.

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Gimnofiono
Famílias de Anfíbios da Ordem Gymnophiona

Caeciliidae | Ichthyophiidae | Rhinatrematidae | Scolecomorphidae | Typhlonectidae | Uraeotyphlidae