Golpe de Maio (Polônia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Golpe de Estado de Maio
Przewrót majowy
1926
Piłsudski May 1926.jpg
Józef Pilsudski e outros líderes golpistas sobre a Ponte Poniatowski em Varsóvia.
Local Varsóvia, Polônia
Desfecho vitória do Sanacja
Beligerantes
forças leais ao Sanacja forças leais ao governo
Comandantes
Marechal Józef Piłsudski Presidente Stanisław Wojciechowski,
Primeiro ministro Wincenty Witos
Forças
6.000-8.000
Vítimas:
Militares mortos: 215
Civis mortos: 164
Militares e civis feridos: 920
Total: 1.299

O Golpe de Estado de Maio de 1926 (também chamado "Golpe de Maio"; em polonês/polaco: Przewrót majowy ou zamach majowy) foi um golpe de Estado bem sucedido executado na Segunda República Polonesa pelo marechal Józef Pilsudski - um antigo chefe de Estado (1918-1922) [1]- entre os dias 12 e 14 de maio de 1926.[2] O golpe depôs o presidente Stanisław Wojciechowski e o primeiro-ministro Wincenty Witos, para substituí-lo pelo acadêmico Kazimierz Bartel, um partidário de Pilsudski, como chefe de governo. Pilsudski contou com unidades leais a sua pessoa e com o respaldo de forças políticas de centro-esquerda contrárias ao governo de centro-direita surgido das eleições de novembro de 1922.[1]

Este golpe iniciou na Polônia um período do regime denominado Sanacja, totalmente dominado pela influência e carisma do marechal Pilsudski.[2] Embora inicialmente fosse oferecido a Pilsudski o cargo de presidente da Polônia, este recusou a proposta e solicitou que elegessem para o cargo o acadêmico Ignacy Mościcki, outro de seus partidários. No entanto, de 1926 até sua morte em 1935, Pilsudski foi o governante de facto da Polônia graças a sua reputação como um líder político e militar, semelhante a um ditador.


Referências

  1. a b Rothschild (1962), p. 241
  2. a b Rothschild (1990), p. 55

Bibliografia[editar | editar código-fonte]