Greenstone pacote de softwares livre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde Junho 2010).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Greenstone
Captura de tela
Desenvolvedor Universidade de Waikato
Gênero(s) Bibliotecas digitais
Licença GPL

Greenstone é um pacote de software/softwares com ferramentas para a construção e distribuição de coleções de bibliotecas digitais na Internet ou CD-ROM. É um software multilíngue, emitido sobre os termos da GNU General Public License - Licença Pública Geral. Greenstone é produzido pela New Zealand Digital Library Project - Projeto de Bibliotecas Digitais da Nova Zelândia - na University of Waikato, e tem sido desenvolvido e distribuído em cooperação com a UNESCO e Human Info NGO na Bélgica.[1][2]

Os desenvolvedores do Greenstone receberam da International Federation for Information Processing - Federação Internacional para Processamento de Informação - o prêmio Namur em 2004 por "contribuições para a conscientização das implicações sociais da tecnologia da informação, e a necessidade de uma aproximação holística no uso da tecnologia da informação e suas implicações sociais."[3]

Greenstone pode ser usado para ampla criação de buscadores em coleções de documentos digitais. Além de ferramentas de linha de comando para criação de coleções digitais, Greenstone conta com o gráfico da GLI Greenstone Librarians Interface (GLI) usado para construir coleções e assinar metadados.[4]

Através de plugins selecionados, Greenstone pode importar documentos digitais em formatos incluindo text, html, jpg, tiff, MP3, PDF, vídeo, e Word, além de outros. O texto, PDF. HTML e documentos similares são convertidos em GAF Greenstone Archive Format (GAF) que é um formato XML equivalente.[5]

Um projeto de SourceForge foi criado em Outubro de 2005 para a versão 3 de Greenstone. O Greenstone versão 2.83 foi incluída, juntamente com o Koha Sistema Integrado de bibliotecas, em um Ubuntu Live-Cd.[6]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. K.S. Raghavan, A. Neelameghan and S. K. Lalitha. 2010. Co-creation and development of digital library software. Information Studies 16(2):65–72.
  2. Michael Lesk. 2004. Understanding digital libraries. Second edition. San Francisco: Morgan Kaufmann Publishers, p. 171-172.
  3. «IFIP-WG9.2 Namur Award». IFIP-WG9.2 Namur Award 
  4. Zhang, Alison B. and Don Gourley. 2008. Creating digital collections: a practical guide. Oxford: Chandos Publishing, p. 176-177.
  5. Witten, Ian H. and David Bainbridge. 2003. How to build a digital library. San Francisco: Morgan Kaufmann Publishers, p. 313-323.
  6. «KOHA GSDL Integrated -- LIVE CD». SourceForge 

[1] [2] [3]

  • K. T. Anuradha e R. Sivakaminathan. 2011. Melhorar a pesquisa de texto completo a capacidade de um pacote de automação de bibliotecas: Um estudo de caso com Koha e Greenstone digital library software. 2009 Simpósio Internacional de Computação, Comunicação e Controle (ISCCC 2009) Proc .da CSIT vol. 1, p. 330-333.
  • George Buchanan, Matt Jones e Gary Marsden. 2002. Explorar tela pequena biblioteca digital de acesso com a Biblioteca Digital Greenstone. A investigação e a Tecnologia Avançada para Bibliotecas Digitais Lecture Notes in Computer Science, 2458/2002, p. 583-596, doi:10.1007/3-540-45747-X_44.
  • Dion Enxada-Lian Goh, Alton Chua, Davina Anqi Khoo, Emily Boon-Hui Khoo, Eric Bok-Chave Mak, e Maple Wen-Min Ng. 2006. Uma lista de verificação para a avaliação de open source software da biblioteca digital, de Informações On-line de Revisão, 30(4):360-379. Inclui a avaliação do Greenstone em relação a outros software da biblioteca digital.
  • Michael Lesk. 2004. A compreensão de bibliotecas digitais. Segunda edição. São Francisco: Morgan Kaufmann Publishers, p. 171-172.
  • K. S. Raghavan, A. Neelameghan e S. K. Lalitha. 2010. Co-criação e desenvolvimento de software da biblioteca digital. Estudos De Informação 16(2):65-72.
  • K. Rajasekharan, K. M. Nafala, e Bimal Kanti Sen. de 2009. Arquivamento Digital de conteúdo de áudio usando o WINISIS e software Greenstone: um manual para a rádio comunitária gestores. Nova Deli: Escritório da UNESCO em Nova Deli, p. 73-92.
  • Arte Rhyno. 2004. Utilização de sistemas de código aberto para bibliotecas digitais. Westport: Libraries Unlimited, p. 83-84.
  • B. S. Shivaram e T. B. Rajashekar. 2005. Edifício língua indígena coleções de bibliotecas digitais: Algumas experiências com o software Greenstone. Bibliotecas digitais: Colaboração Internacional e Fertilização Lecture Notes in Computer Science, 2005, 3334/2005:189-211, doi:10.1007/978-3-540-30544-6_92.
  • Sharad Kumar Sonkar, Veena Makhija, Ashok Kumar, e o Dr. Mohinder Singh. 2005. Aplicativo de Biblioteca Digital Greenstone (GSDL)de software em recortes de jornais. DESIDOC Boletim de Tecnologia da Informação, 25(3):9-17.
  • Walter E. Valero, Claudia A. Perry, e Thomas T. Surprenant. 2007. História de um cartão postal. Library Journal A Rede Conecta, O Inverno De 2007:6-9.
  • Allison B. Zhang e Não Gourley. 2006. A construção de acervos digitais, usando o Greenstone digital library software.Internet Serviços De Referência Trimestrais, 11(2):71-89.
  • Hypotheses. Bibliotecas e humanidades digitais. Disponível em: bdh.hypotheses.org/1436.
  • Greenstone-digital-library-software. Disponível em: http://www.greenstone.org/. Acesso em 21 de nov.
  • Wikipédia. Greenstone (software). Disponível em: en.wikipedia.org/wiki/Greenstone_(software). Acesso em 21 de nov.