Harry Eagle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Harry Eagle (Nova York, 1905 - 21 de junho de 1992) foi um médico e patologista estadunidense. Ele estudou, e posteriormente trabalhou, na Universidade Johns Hopkins, antes de se mudar para os Institutos Nacionais da Saúde.[1] De 1961 a 1988, trabalhou no Albert Einstein College of Medicine.[2] Ele é conhecido pelo meio mínimo essencial de Eagle, importante para a compreensão da reprodução de células humanas e de mamíferos. Em 1973, foi um dos ganhadores do Prêmio Louisa Gross Horwitz da Universidade Columbia. Em 1987, foi premiado com a Medalha Nacional de Ciências'"`UNIQ--nowiki-00000007-QINU`"'3'"`UNIQ--nowiki-00000008-QINU`"'[1][1] por seu trabalho no campo da biologia.[1]

Artigos[editar | editar código-fonte]

  • J. E. Darnell, L. Levintow, M. D. Scharff: Harry Eagle. J Cellular Physiology (1970) 76,3: S. 241-252 PMID 4925975
  • A. Gilman: Presentation of the Academy Medal to Harry Eagle, M. D. Bull N Y Acad Med. (1970) 46(9): S. 666-669 PMID 4916300

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Lambert, Bruce (13 de junho de 1992). «Dr. Harry Eagle Is Dead at 86; Formulated Cell-Growth Medium». The New York Times. ISSN 0362-4331 
  2. «The American Association of Immunologists». www.aai.org. Consultado em 24 de dezembro de 2016 
  3. National Science Foundation - The President's National Medal of Science