Hermann Gmeiner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Hermann Gmeiner (23 de junho de 1919 - 26 de abril de 1986) foi um filantropo austríaco, fundador das Aldeias de Crianças SOS.


Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Hermann Gmeiner
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.


Vida[editar | editar código-fonte]

Hermann Gmeiner nasceu em 23 de junho de 1919. Foi o sexto em uma família camponesa com 9 filhos, em Alberschwende na região de Vorarlberg na Austria. Aos 5 anos perdeu a mãe, passando sua irmã mais velha Elsa a desempenhar o papel materno, cuidando dele e de seus irmãos. Devido ao seu bom desempenho na escola local, ganhou uma bolsa para o ginásio em Feldkirch em 1936. Antes de terminar o ginásio, em 1940, foi incorporado ao exército alemão. Na guerra contra a então União Soviética, lutou no norte da Finlândia e na Hungria, sendo ferido mais de uma vez. Em novembro de 1945 esteve internado no hospital de Bregenz. Após receber alta passou a ajudar o pai na fazenda. Quando seus irmãos prisioneiros de guerra foram liberados, assumiram essa tarefa, e ele pode concluir o ginásio. Em 1946 começou a estudar medicina em Innsbruck.

Pensamento social[editar | editar código-fonte]

Gmeiner conheceu o capelão Mayr quando era coroinha, em seu pouco tempo livre, na paróquia de Mariahilf, um bairro de Innsbruck. Encontrou, no inverno de 1947, um jovem de 12 anos, o que lhe trouxe a lembrança de sua própria infância e sua experiência de guerra, onde tinha salvo a vida de um jovem soviético. Gmeiner quis fazer alguma coisa pelo jovem e levou seu projeto ao capelão Mayr. Assim, ele formou um novo grupo de jovens, conseguindo motivar 16 deles, que ficaram conhecidos na juventude católica tirolesa como a tropa de choque. Essas lembranças seriam um importante direcionador espiritual para o futuro percurso de Hermann Gmeiner. Ele mesmo comenta sobre essas dramáticas vivências: “O que quero contar são essas estórias, esses instantes terríveis da minha vida na guerra.“ Por outro lado, a perda prematura da mãe, e o fato da irmã mais velha Elsa ter assumido a responsabilidade pelo papel materno da família, estimulou sua idéia de aldeia infantil. Helmut Kutin, o sucessor de Hermann Gmeiners, observou que a devoção de Elsa pela família e a sensação de segurança que os laços de família trouxeram, foram vivências chaves para o posterior ‘princípio materno’ de Gmeiners.

Gmeiner visitou um orfanato, falou com as responsáveis pelas crianças e discutiu com outros estudiosos. Finalmente amadureceu nele a crença de que tanto o lar de origem como a instituição não eram o melhor caminho para ajudar crianças e jovens com situações familiares muito difíceis. Lembrou-se de sua própria infância, da perda precoce de sua mãe, e do papel de mãe substituta desempenhado pela sua irmã Elsa. Ele idealizou uma casa para essas crianças onde uma figura materna pudesse trazer um sentimento de lar, na verdade um grande número de casas, uma verdadeira aldeia infantil.