Herpesvirus humano 8

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Herpesvirus tipo 8)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaHerpesvirus humano 8
Kaposi sarcoma high mag.jpg

Classificação científica
Grupo: Grupo I (dsDNA)
Ordem: Herpesvirales
Família: Herpesviridae
Subfamília: Gammaherpesvirinae
Gênero: Rhadinovirus
Espécie: Human herpesvirus 8

Herpesvirus humano 8 (HHV-8) ou Herpesvirus associado ao Sarcoma de Kaposi (KSHV) é um oncovírus DNAds , da subfamília herpesvirus gamma, associado com três tumores: Sarcoma de Kaposi, linfomas e doença de Castleman multicêntrica em pacientes com AIDS/SIDA.[1]

Virologia[editar | editar código-fonte]

É um DNA virus de dupla cadeia, largo, icosaédrico, com envelope típico dos Herpesvirus, capaz de roubar das células infectadas diversos de seus genes associados com a resposta imune (IL-6, Bcl-2, ciclina-D, receptores acoplados a proteína G, fator regulador do interferón e a proteína inibidora de FLICE) e com a síntese de DNA (di-hidrofolato-redutase, timidina-cinase, timidilato-sintase, DNA polimerase). Possui uma fase latente regulada por uma proteína viral chamada de ORF50 RTA (Ativador e Transativador da Replicação) que é ativado quando a imunidade cai severamente.[2]

Transmissão[editar | editar código-fonte]

Provavelmente é transmitido por via sanguínea e sexual, por ser mais frequente entre pessoas que praticam sexo anal passivo sem preservativo. Outras DSTs provavelmente aumentam o risco de infecção. [3]

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

Reação em cadeia da polimerase (PCR), a hibridação in situ e imuno-histoquímica são utilizados para a detecção direta do HHV-8. Os anticorpos do soro contra os antígenos nucleares ORF59, ORF65 e proteínas K8.1 associado à latência podem ser detectados nos indivíduos HHV-8-infectadas usando ELISA ou imunofluorescência.[4]

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

A resposta imune ao HHV-8 varia significativamente geograficamente, com as taxas de infecção nos países do norte da Europa, do sudeste asiático e do Caribe sendo entre 2 e 4%, do Brasil sendo entre 2.8 e 7.4%[5], nos países do Mediterrâneo a cerca de 10%, e nos países da África Subsaariana em aproximadamente 40%. A maioria dos infectados nunca tem nenhum sintoma, exceto se ficam imunodeprimidos.[4] Antes da descoberta dos antirretrovirais modernos, 40% dos pacientes com AIDS desenvolviam complicaçoes associadas ao HHV-8.

Referências

  1. Boshoff, C.; Weiss, R. (2002). "Aids-related malignancies". Nature Reviews Cancer 2 (5): 373–382. doi:10.1038/nrc797. PMID 12044013.
  2. Bu W, Palmeri D, Krishnan R, et al. (November 2008). "Identification of Direct Transcriptional Targets of the Kaposi's Sarcoma-Associated Herpesvirus Rta Lytic Switch Protein by Conditional Nuclear Localization". Journal of Virology 82 (21): 10709–23. doi:10.1128/JVI.01012-08. PMC 2573185. PMID 18715905.
  3. http://hivinsite.ucsf.edu/InSite?page=kb-00&doc=kb-06-02-01
  4. a b Harutaka Katano, D.D.S.; Tetsutaro Sata. Human Herpesvirus 8 (HHV-8). http://www.antimicrobe.org/v10.asp
  5. Epidemiology and clinical characteristics of classic Kaposi's sarcoma, seroprevalence, and variants of human herpesvirus 8 in South America: A critical review of an old disease. http://www.ijidonline.com/article/S1201-9712(05)00066-4/abstract