Histórias (Tácito)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Historiae
Histórias
Autor(es) Públio Cornélio Tácito
Idioma Latim
Gênero História
Lançamento Começo do segundo século

Histórias (em latim: Historiae) é um livro do historiador romano Tácito por volta de 100110, que cobre o ano dos quatro imperadores após a queda de Nero, a subida de Vespasiano, e o governo da Dinastia Flaviana (6996) até a morte de Domiciano.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

O Império Romano no começo do ano dos quatro imperadores, 69.

O livro faz parte da duologia de 30 livros a qual Anais é a segunda parte. Histórias começa um pouco depois de onde Anais parou, com a morte de Nero, na guerra civil que fez, em rápida sucessão, Galba, Otho, Vitélio, e Vespasiano virarem imperadores e começou a Dinastia Flaviana.

Apenas os primeiros quatro livros e os 26 primeiros capítulos sobreviveram, cerca de um terço do original. O que sobrou cobre até o começo da primeira guerra judaico-romana.

Recepção[editar | editar código-fonte]

O amigo do autor, Plínio, o Jovem, falou em uma carta a Tácito "Suas Histórias serão imortais"[1] e o autor cristão primitivo Tertuliano criticou o livro por afirmar que contém mentiras sobre as crenças judaicas.[2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • The letters of the younger Pliny. [S.l.]: Penguin UK. 1969 
  • Tertullian: Apology. [S.l.: s.n.]