Homem da máscara de ferro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
L'Homme au Masque de Fer (O Homem da Máscara de Ferro). Impressão anônima (gravura e mezzotint, colorida à mão) de 1789. De acordo com o subtítulo no original (não visto aqui) o "Homem da Máscara de Ferro" foi Luís de Bourbon, conde de Vermandois, um filho ilegítimo de Luís XIV.
Illustration c.1872

O Homem da Máscara de Ferro (em francês: L'Homme au Masque de Fer) é como se chamava um prisioneiro não identificado, preso sob o nome de "Eustache Dauger" em 1669 ou 1670. Ele foi mantido em diversas prisões por 34 anos, incluindo a Bastilha e a Fortaleza de Pignerol (atualmente Pinerolo), sempre sob a custódia do carcereiro Bénigne Dauvergne de Saint-Mars.[1] Faleceu em 19 de novembro de 1703 sob o nome de Marchioly durante o reinado de Luís XIV de França (1643-1715). Sua possível identidade é exaustivamente discutida, uma vez que seu rosto estava constantemente oculto por uma máscara de veludo preto.[2]

Na segunda edição de Questions sur l'Encyclopédie, de 1771, o escritor e filósofo Voltaire afirmou que o prisioneiro usava uma máscara de ferro e era o irmão mais velho e ilegítimo de Luís XIV. No final dos anos 1840, o escritor Alexandre Dumas explorou o assunto no último capítulo da saga Os Três Mosqueteiros: aqui, o prisioneiro é forçado a usar uma máscara de ferro e é o irmão gêmeo de Luís XIV[3]. O mito se propagou com o tempo e inspirou diversos trabalhos de ficção como o filme O Homem da Máscara de Ferro.

Os fatos conhecidos sobre este prisioneiro baseiam-se principalmente na correspondência entre seu carcereiro e seus superiores em Paris.

Referências

  1. Michel Vergé-Franceschi. «O homem por trás da Máscara de Ferro». História Viva - Duetto. 
  2. Jennifer Ann Thomas. «Quem foi o "homem" da máscara de ferro». Mundo Estranho. 
  3. The Man in the Iron Mask, Timewatch TV documentary presented by Henry Lincoln, BBC, 1988

Ligações externas[editar | editar código-fonte]