Humberto Araújo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Humberto de Araújo Reis Júnior (Rio de Janeiro, 23 de setembro de 1959) é um saxofonista, flautista, arranjador e produtor musical brasileiro,[1] sendo considerado um dos maiores saxofonistas do Brasil.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cursou o bacharelado em regência pela Escola de Música da UFRJ e saxofone com o maestro Paulo Moura.

Como sideman vem atuando com os maiores nomes da Música Popular Brasileira (sendo instrumentista e/ou arranjador), registrando centenas de arranjos e solos ao lado de nomes como Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Paralamas do Sucesso, Luís Melodia, Elza Soares, Ivan Lins, Jorge Benjor, Beth Carvalho, Roberta Sá, Paulinho Moska, Leny Andrade, Carlos Lyra, Zé Ramalho, Fafá de Belém, Arlindo Cruz e Sombrinha, Fernanda Abreu, Nei Lopes, Zé Ramalho, Cidade Negra, Matti Caspi (Israel), Ruy Mingas (Angola) e muitos outros.[3]

Atuou em shows e projetos especiais ao lado de artistas como Lenine, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, Tim Maia, Wilson das Neves, Alcione, Jards Macalé, Elba Ramalho e Maria Bethânia.[4]

Em 2004 lançou o seu primeiro álbum, Choro Criolo (FinaFlor Discos), indicado ao Prêmio Petrobrás BR como melhor CD instrumental. Foi lançado em shows por todo o Brasil e na França.[5] No ano de 2009, Humberto Araújo gravou Sambas Instrummentais (FinaFlor/SESC).

Produziu cerca de dez discos. O seu trabalho mais recente, de nome Luiz Melodia - Estação Melodia (Biscoito Fino), foi indicado ao Grammy Latino como melhor CD na categoria samba.

É o idealizador e diretor musical da Orquestra Criôla, banda de baile especializada no tradicional estilo carioca de gafieira. Em sua orquestra participaram nomes como João Donato, Paulo Moura, Joyce, Zé Renato, Jards Macalé e Hamilton de Hollanda.

Premiações[editar | editar código-fonte]

Em 1985, Humberto Araújo recebeu o Troféu Iracema, sendo este o prêmio de melhor música no Festival de Cinema de Fortaleza na produção cinematográfica A Última Canção do Beco (de João Velho).[6][6] Foi também indicado para diversos prêmios, tais como: Latin Grammy Award, Prêmio da Música Brasileira, Prêmio TIM da Música Brasileira e Prêmio Rival/Petrobrás.[7][8]

Humberto Araújo recebeu a Moção de Louvor da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, por sua contribuição à execução e difusão do Choro e luta em defesa das tradições culturais cariocas.[carece de fontes?]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Humberto Araújo». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 7 de junho de 2016 
  2. Ribeiro, Mayave (7 de junho de 2016). «Amazônia Jazz Band faz noite especial de música brasileira com participação do saxofonista Humberto Araújo». Fundação Carlos Gomes. Governo do Pará. Consultado em 28 de fevereiro de 2019 
  3. «Humberto Araújo - Dados artísticos». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 28 de fevereiro de 2019 
  4. «Humberto Araújo é atração da Roda de Choro deste sábado, em Belém». G1 | Pará - Rede Liberal. 4 de setembro de 2015. Consultado em 28 de fevereiro de 2019 
  5. «DISCO - Humberto Araújo lança 'Choro Criolo'». Folha de Londrina (salvo em Wayback Machine). 6 de outubro de 2004. Consultado em 28 de fevereiro de 2019 
  6. a b «O RENOMADO SAXOFONISTA HUMBERTO ARAUJO, É O MAIS NOVO ARTISTA QUASAR.». www.rorizweb.com.br. Consultado em 28 de fevereiro de 2019 
  7. «Concertos: Humberto Araújo & Choro Criôlo». Portugal: Antena 2. 12 de dezembro de 2018. Consultado em 28 de fevereiro de 2019 
  8. «Humberto Araújo e Choro Criolo». www.casadamusica.com. 30 de agosto de 2018. Consultado em 28 de fevereiro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]