Ian Paisley

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ian Richard Kyle Paisley
Ian Richard Kyle Paisley
Primeiro-ministro da Irlanda do Norte Irlanda do Norte
Período 1 de fevereiro de 20055 de junho de 2008
Antecessor David Trimble
Sucessor Peter Robinson
Dados pessoais
Nascimento 6 de abril de 1926
Armagh, Irlanda do Norte
Morte 12 de setembro de 2014 (88 anos)
Belfast, Irlanda do Norte
Primeira-dama Eileen Paisley
Partido Partido Unionista Democrático
Religião Presbiteriano
Profissão Religioso e ativista político

Ian Paisley (Armagh, 6 de abril de 1926 - Belfast, 12 de setembro de 2014) foi um líder religioso e ativista político norte-irlandês. Primeiro-ministro da Irlanda do Norte de 2005 a 2008, Paisley se dedicou a defender o Protestantismo e a união da Irlanda do Norte com o Reino Unido. Paisley ajudou a fundar o Partido Unionista Democrático (DUP), em 1971, e ficou membro do parlamento britânico em 1970, sendo assim o parlamentar norte-irlandês com mais tempo de atividade ininterrupta. Em 2005, o DUP de Paisley ultrapassou o Partido Unionista do Ulster, para se tornar o principal partido político da causa unionista na Irlanda do Norte.

Entre as décadas de 1960 e 1980, Paisley articulou grupos paramilitares de combate ao Exército Republicano Irlandês (IRA). Entre as organizações em que Paisley participou, constam Ulster Protestant Volunteers, Third Force e Ulster Resistance.

Paisley procurou combater a influência da Igreja Católica e do homossexualidade na Irlanda do Norte.[1]

Em 1988, quando o Papa João Paulo II foi fazer um discurso ao Parlamento Europeu, Ian Paisley, então líder do Partido Unionista Democrático e membro da Igreja Presbiteriana Livre de Ulster, gritou: "eu o denuncio como o anticristo!"[2] e levantou uma bandeira vermelha onde estava escrito "Papa João Paulo II ANTICRISTO". Os eurodeputados expulsaram-no da câmara.[3] O Papa continuou com seu discurso após Paisley ter sido expulso.[4][5]

No final dos anos 1970, Paisley lançou a campanha Salvem a Irlanda da Sodomia (Save Ulster from Sodomy), para impedir que a legalização de atos libidinosos homossexuais, conseguida na Câmara dos Comuns britânica por iniciativa de Leo Abse, se estendesse à Irlanda do Norte. Até os dias de hoje, o DUP continua a adotar uma postura de combate ao homossexualismo.[6]

Referências

  1. Rev Ian Paisley puts ‘Antichrist’ days behind him to join service led by a Catholic, 21 de janeiro de 2008
  2. «Ian Paisley and politics of peace». Los Angeles Times. 24 de março de 2010. Consultado em 4 de junho de 2014 
  3. «HEADLINERS; Papal Audience». New York Times. 16 de outubro de 1988. Consultado em 15 de junho de 2014 
  4. Davenport, Mark (19 de janeiro de 2004). «BBC NEWS | Northern Ireland | Paisley's Exit from Europe». BBC News. BBC. Consultado em 28 de janeiro de 2012 
  5. MacDonald, Susan (2 de outubro de 1988). «Paisley Ejected for Insulting Pope». The Times 
  6. Henry McDonald (19 de setembro de 2004). «Blair delays gay marriage bill to give Paisley party chance to vote». The Observer. Consultado em 7 de maio de 2008 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.