Identificador único universal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Um identificador único universal (do inglês universally unique identifier - UUID) é um número de 128 bits usado para identificar informações em sistemas de computação.[1] O termo identificador único global (globally unique identifier - GUID) também é utilizado. O significado de cada bit é definido por qualquer uma das diversas variantes.

Quando gerado de acordo com os métodos padrões, os UUIDs são únicos, para fins práticos, sem depender sua singularidade de uma autoridade central de registro ou coordenação entre as partes que os geram, ao contrário da maioria dos outros esquemas de numeração. Embora a probabilidade de um UUID ser duplicado não seja zero, ele está próximo o suficiente para ser insignificante.

Assim, qualquer pessoa pode criar um UUID e usá-lo para identificar algo com quase certeza de que o identificador não duplica um que já tenha sido ou será criado para identificar outra coisa. As informações rotuladas com UUIDs por partes independentes podem, portanto, ser posteriormente combinadas em um único banco de dados ou transmitidas no mesmo canal, com uma probabilidade insignificante de duplicação.

A adoção de UUIDs e GUIDs é generalizada, com muitas plataformas de computação fornecendo suporte para gerá-las e analisando sua representação textual.

Codificação[editar | editar código-fonte]

Para exibição legível para os seres humanos, muitos sistemas usam um formato canônico usando texto hexadecimal com caracteres hífen inseridos. Por exemplo:

123e4567-e89b-12d3-a456-426655440000

O objetivo dos UUIDs é possibilitar aos sistemas distribuídos a identificarem unicamente informações sem coordenação central significante. Neste contexto a palavra única deve ser tomada com o significado de "praticamente única" em vez de "garantidamente única". Uma vez que os identificadores possuam um tamanho finito, é possível para dois itens diferentes compartilhar do mesmo identificador. Isto é uma forma de colisão de hash. O tamanho e o processo de geração do identificador necessitam ser selecionados de forma a tornar esta improbabilidade suficientemente na prática. Qualquer um pode criar um UUID e usá-lo para identificar qualquer coisa com confidencialidade razoável que o mesmo identificador nunca seria se fosse criado de forma não intencional por qualquer um para identificar qualquer outra coisa. Informações rotuladas com UUIDs podem, entretanto, ser posteriormente combinadas em um único banco de dados sem necessitar resolver conflitos de identificadores (ID).

A adoção de UUIDs é ampla com muitas plataformas de computação fornecendo suporte para geração de UUIDs e para analisar sintaticamente/gerar sua representação textual.

Definição[editar | editar código-fonte]

Um UUID é um número de 16 octetos (128 bits).

Em sua forma canônica, um UUID é representado por 32 dígitos hexadecimais em caixa baixa, exibidos em cinco grupos separados por hifens, na forma 8-4-4-4-12 para um total de 36 caracteres (32 caracteres alfanuméricos e 4 hifens). Por exemplo:

123e4567-e89b-12d3-a456-426655440000

As primeiras três sequencias são interpretadas como números hexadecimais completos, enquanto as duas finais como uma sequência de bytes pura. A ordem de bytes é extremidade grande[2] (também conhecida como ordem de byte de rede) (observe que a ordem de byte do GUID é diferente).

Referências

  1. RFC 4122
  2. P. Leach; et al. (julho de 2005). «RFC 4122 - A Universally Unique IDentifier (UUID) URN Namespace». Internet Engineering Task Force 


Ícone de esboço Este artigo sobre padrões ou medidas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.