Imbariê

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Imbariê é um bairro do município de Duque de Caxias, situado no distrito de mesmo nome. Sua população é de aproximadamente 33 mil habitantes, compreendendo a 25% da população do 3° distrito. A maior concentração de pessoas no local até o presente momento, se deu graças a inauguração da FAETEC, no bairro vizinho Santa Lúcia, que atrai cerca de 300 alunos para cursos técnicos, da 3ª maior rede pública de ensino técnico do RJ. [1]

Significado do nome[editar | editar código-fonte]

Imbariê fica em uma região localizada entre o mar e a serra. Trata-se de uma área cortada por vários rios que desaguam na Baía de Guanabara e antigamente era comum a existência de áreas alagadiças, que dificultavam a ocupação humana. Os primeiros habitantes dessas terras foram os índios Tupis e foram eles que batizaram o local, o chamando de Imbariê, que na língua indígena significa "água suja", pois devido ao aspecto barrento das águas, consideravam estas impróprias para o consumo. Com o passar do tempo, após aterramentos e drenagens, os pântanos foram sumindo, fazendo com que a região de Imbariê pudesse ser ocupada.

História[editar | editar código-fonte]

Suas origens derivam do antigo Porto da Estrela onde eram transportadas as cargas vindas de outras localidades para Petrópolis por exemplo. Com a extinção do Porto, a população se deslocou para outras áreas, inclusive Imbariê (que se desenvolvia onde hoje é o sub-bairro Vila Sapê), que passou a ser povoada. Com a separação de Duque de Caxias de Nova Iguaçu, as terras do antigo Porto Estrela foram divididas entre Magé e Duque de Caxias e Imbariê passou a integrar o novo município, se tornando sede do seu Terceiro Distrito.

Estação[editar | editar código-fonte]

A estação Imbariê foi aberta em 1888, com o nome de Estrela. Teve seu nome modificado em 1931 para Joaquim Távora e com a emancipação de Caxias em 1943, o nome foi alterado para Imbariê. Em Imbariê, Duque de Caxias, as plataformas do acanhado terminal são cobertas por mato, que também escondem a linha férrea (O Dia, 5 de junho de 2005). Honor Pacheco comenta em dezembro de 2006 que a data de inauguração fornecida pelo Guia Geral de 1960 poderia estar equivocada: Creio estar incorreta essa data, pois a localidade começou a se formar em 1926. A estação está em funcionamento até hoje e integra o ramal Vila Inhomirim, que é administrado pela SuperVia desde 1998. É uma das únicas estações do ramal que ainda preseva o prédio original.

Primeira escola[editar | editar código-fonte]

O Diário Oficial de 9 de maio de 1928 oficializou a criação da primeira escola do lugar. Era a Escola Estadual nº 35 do Parque da Estrela. Sua primeira professora (que também era a diretora) morava em Raiz da Serra e se chamava Nair Teixeira de Paiva (1906-1996). Em 1927, Dr. Afonso de Oliveira Santos, dono da companhia imobiliária Americanópolis e responsável pelo primeiro loteamento no Parque da Estrela, que na época pertencia ao município de Nova Iguaçu, doou para o Estado, um prédio para que nele fosse instalado uma escola. A Escola Estadual nº 35 do Parque Estrela, primeira escola da localidade, foi inaugurada em 12 de maio de 1928 e era dirigida pela professora Nair Teixeira de Paiva. O tempo foi passando e o prédio não comportava mais o número crescente de alunos. Em 1945, o local não se chamava mais Parque Estrela, e sim, Imbariê, e pertencia ao município de Duque de Caxias. Dr. Armando Genovese, proprietário da empresa imobiliária da Vila Ema, conseguiu da prefeitura Municipal de Duque de Caxias, a construção de um prédio num terreno por ele cedido, situado na praça Ernane do Amaral Peixoto, para abrigar a antiga escola. Com a inauguração do prédio, em 19 de abril de 1945, a Escola Estadual do Parque da Estrela passa a se chamar “Escola Estadual de Imbariê”. Em 1954, A Escola Estadual de Imbariê, através do Decreto nº 4689 de 06 de abril de 1954, publicado no D.O de 07/04/1954, passou a se chamar “Grupo Escolar Dr. Alfredo Backer”. Em 1972 ,a escola passa a funcionar num prédio, construído pelo Estado, na rua Professora Maria José Delcore Barbosa (atual rua Goiandira). Em 1977, passou a se chamar “Escola Estadual Dr. Alfredo Backer” e finalmente, em 1995, através do Decreto nº 21332 de 23/02/1995, Resolução da SEE nº 1970, a Escola Estadual Dr. Alfredo Backer, transforma-se em “Colégio Estadual Dr. Alfredo Backer”.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Imbariê é porta de entrada para quem vem da Rodovia Rio–Teresópolis fugindo do pedágio, com destino aos bairros de Magé e Petrópolis. A quantidade elevada de veículos e a sinalização deficiente, por vezes sobrecarrega o início da Avenida Coronel Sisson, principal via do bairro. Possui um centro comercial diversificado, porém não suficiente; mas mesmo assim é o destino de compras de boa parte da população local. Não teve o desenvolvimento que deveria ter, sendo hoje um dos bairros mais violentos do distrito. Abriga a Subprefeitura do 3º distrito, um posto de saúde 24h, a 62ª Delegacia Policial, um DPO e a Casa Brasil, um centro cultural voltado para atividades comunitárias e ações tecnológicas, envolvendo a arte, a cultura e o entretenimento.


Referências