Jacupemba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para o distrito, veja Jacupemba (Aracruz).
Como ler uma infocaixa de taxonomiaJacupemba
Penelope superciliaris no Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Penelope superciliaris no Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Galliformes
Família: Cracidae
Género: Penelope
Espécie: P. superciliaris
Nome binomial
Penelope superciliaris
(Temminck, 1815)
Distribuição geográfica
Penelope superciliaris map.svg

Penelope superciliaris, conhecido popularmente pelos nomes jacupemba, jacupeba, jacupema e jacu-velho[1], é uma ave craciforme da família dos cracídeos. Ocorre do Sul do estado brasileiro do Amazonas ao estado do Rio Grande do Sul e Paraguai. Vive em matas, capoeiras, cerrados e caatingas, chegando a medir até 55 centímetros de comprimento, com a barbela nua e vermelha, mais proeminente no macho, topete rudimentar, plumagem das asas com bordas ferrugíneas, peito esbranquiçado e íris vermelha. No Jardim Botânico do Rio de Janeiro, jacupembas livres podem ser vistas facilmente, a pequena distância, alimentando-se no gramado.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Jacupemba", "jacupeba" e "jacupema" são originários dos termos tupis ya'ku (jacu) e pewa (chato)[2].

Subespécies[editar | editar código-fonte]

Possui seis subespécies reconhecidas:[3][4]

  • Penelope superciliaris superciliaris (Temminck, 1815) - ocorre na Amazônia brasileira;
  • Penelope superciliaris jacupemba (Spix, 1825) - ocorre na região central e sul do Brasil, deste o Maranhão até o Paraná e até o leste da Bolívia;
  • Penelope superciliaris major (W. Bertoni, 1901) - ocorre no leste do Paraguai, nordeste da Argentina na província de Misiones e no sul do Brasil nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul;
  • Penelope superciliaris alagoensis (Nardelli, 1993) ocorre no nordeste do Brasil, na região costeira do leste de Alagoas e Pernambuco;
  • Penelope superciliaris pseudonyma (Neumann, 1933) - ocorre no interflúvio Madeira-Tapajós, na Amazônia central brasileira;
  • Penelope superciliaris ochromita (Neumann, 1933) - ocorre no Maranhão (leste), Piauí, Ceará, Tocantins e Bahia (oeste).

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.980
  2. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. pp.980,979
  3. «Wikiaves, a Enciclopédia das Aves do Brasil». Consultado em 30 de agosto de 2021 
  4. Vargas, Oscar D. E. (2017). «Taxonomia e Distribuição Geográfica do Complexo Penelope superciliaris Temminck 1815 (Aves: Galliformes: Cracidae)» (PDF). 2017. Consultado em 5 de setembro de 2021 
Ícone de esboço Este artigo sobre Aves, integrado ao Projeto Aves, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.