Jaromir da Boémia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Busto de Jaromir da Boémia.

Jaromir da Boémia (falecido em 4 de novembro de 1038[1]) foi um membro da dinastia Přemislida, foi duque da Boêmia em 1003, de 1004 a 1012, e novamente de 1034 a 1035.

Juventude[editar | editar código-fonte]

Ele era o segundo filho do Duque Boleslau II, o Piedoso (falecido em 999). Sua mãe pode ter sido uma das duas esposas de seu pai: Adiva ou Emma de Mělník.

Em 1002, Jaromír rebelou-se contra o governo de seu irmão mais velho Boleslaus III, que o castrou[2] e foi expulso com sua mãe e seu irmão Oldřich para a corte bávara em Regensburg. No entanto, Boleslaus foi incapaz de assegurar o trono de Praga, pois foi deposto pela nobreza boêmia e seu governo foi assumido por seu primo Přemislida, Vladivoj, apoiado pelo duque polonês Bolesłau I, o Bravo. Vladivoj também garantiu o apoio do rei Henrique II da Alemanha quando recebeu o Ducado da Boêmia como feudo real.[3][4][5]

Reinado[editar | editar código-fonte]

Quando Vladivoj morreu no ano seguinte, Jaromír e Oldřich retornaram à Boêmia e Jaromír foi proclamado duque pelos nobres boêmios. As terras da Boêmia foram ocupadas por sua vez pelas forças polonesas de Boleslau, que restabeleceram Boleslau III como duque. Depois de ordenar o massacre do clã rival Vršovci, no entanto, ele perdeu o apoio do governante polonês e foi finalmente privado do poder. Enquanto isso, Jaromír havia buscado o apoio militar do rei Henrique II. Em Merseburg, ele prometeu manter a Boêmia como vassala do rei. Esta ação colocou definitivamente a Boêmia sob a jurisdição do Sacro Império Romano.

Em 1004, Jaromír ocupou Praga com um exército alemão e proclamou-se duque da Boêmia. No entanto, o estado que ele reconquistou foi pequeno, já que as forças polonesas ainda controlavam a Moravia, Silesia e a Lusácia. O reinado de Jaromír - como muitos dos outros primeiros governantes tchecos - foi uma luta para recuperar as terras perdidas. Ele continuou a ser um defensor leal do rei Henrique na ardente guerra alemã-polonesa. No entanto, o rei alemão não tomou nenhuma atitude quando, em 1012, Jaromír foi destronado por Oldřich (que o cegou[2][6]) e forçado mais uma vez ao exílio. Em uma campanha surpresa, Jaromír mais uma vez conseguiu depor Oldřich com o apoio do Imperador Conrado II em 1033, mas seu segundo reinado foi de curta duração. Um ano depois, Oldřich foi restaurado por seu filho Bretislau I da Boémia.[7]

Jaromír foi preso em Lysá nad Labem e morreu em 4 de novembro de 1035 ou 1038, um ano após a morte de seu irmão. Ele foi assassinado por um membro do clã Vršovci.[4][8]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «BOHEMIA». fmg.ac. Consultado em 12 de abril de 2021 
  2. a b «47. schůzka: Český stát v ohrožení: Boleslav III., Jaromír, Oldřich». Dvojka (em checo). 2 de dezembro de 2006. Consultado em 12 de abril de 2021 
  3. Jan Petr Jordan (1844). Boehmen: Geschichte des Landes und seines Volkes : Mit Stahlstichen. [S.l.: s.n.] pp. 210– 
  4. a b Cosmas of Prague (2009). The Chronicle of the Czechs. Traduzido por Lisa Wolverton. [S.l.]: CUA Press. pp. 105–108. ISBN 978-0-8132-1570-9 
  5. [Anonymus AC09723364] (1712). Das jetzt-lebende Königreich Boehmen, in einer historisch- und geographischen Beschreibung vorgestellet, ... nebst einer kurtzen Lebens-Beschreibung aller Böhmischen Herzoge und Könige, biß auf ... Carolum VI. [S.l.]: Johann Zieger. pp. 14– 
  6. Cosmas, Chronicle , p. 92
  7. «Haus der Bayerischen Geschichte - Historische Karten». web.archive.org. 3 de março de 2016. Consultado em 12 de abril de 2021 
  8. Waclaw Hajek z Libocan (1780). Neue Kronik von Boehmen. Vom Jahre 530 bis 1780. Nebst einer geographischen Beschreibung, aller Staedte, Maerkte, Schloesser und anderer merkwuerdigen Orte. [S.l.]: v. Schönfeld. pp. 24– 


Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.