Jenkem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Jenkem é uma droga inalante e alucinógena alegadamente produzida a partir de fezes e urina humanas que, ao serem armazenadas e mantidas em um recipiente durante um determinado período, passam por um processo de fermentação que produziria gases inebriantes, provavelmente compostos de metano.

A droga teria origem na cidade de Lusaka, Zâmbia, como descrito em 1999 pela jornalista Ishbel Matheson, em sua reportagem "Children high on sewage"[1] ("Crianças entorpecidas com excrementos", em tradução livre). Em seu trabalho, Matheson descreve uma cena ocorrida "nos charcos de esgoto":

Ela também foi descrita pela jornalista Alexandra Fuller no capítulo "Lusaka and Bush Meat" ("Lusaka e carne de animais selvagens") de sua reportagem "Return to Zambia"[2] ("Retorno à Zâmbia") para a revista National Geographic:


Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Ishbel Matheson (30 de julho de 1999). «Children high on sewage». BBC News - World: Africa (em inglês). Consultado em 15 de março de 2015. (...) two teenage boys plunge their hands into the dark brown sludge, gathering up fistfuls and stuffing it into small plastic bottles. They tap the bottles on the ground, taking care to leave enough room for methane to form at the top. A sour smell rises in the hot sun, but the boys seem oblivious to the stench and the foul nature of their task. 
  2. Alexandra Fuller (2005). «Return to Zambia» (em inglês). National Geographic. Consultado em 15 de março de 2015. (...) and the street children were mad-eyed (those who can afford it sniff glue or gasoline, and those who can't sniff jenkem, fermented human sewage kept in a plastic bag for a week or so until it gives off intoxicating fumes). 


Ícone de esboço Este artigo sobre farmácia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.