João Batista Soares da Silveira e Souza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Comendador João Baptista Soares da Silveira e Souza nasceu em 1800 em Ilha de São Jorge, Açores. Ele faleceu em em Gravataí, RS.

Os sobrinhos[editar | editar código-fonte]

João e o Comendador José Baptista Soares da Silveira e Souza eram filhos de Manuel Silveira Soares e Souza e de Maria Santa da Silveira. O pai era irmão do empreiteiro [comendador João Baptista Soares da Silveira e Souza]. Assim como o tio, eram naturais da Ilha de São Jorge, do Arquipélago dos Açores. No Arquivo Histórico do Estado existe um livro que contém os termos de juramento dos Estrangeiros naturalizados. Tornaram-se os irmãos, João e José, cidadãos brasileiros.

João Baptista Soares da Silveira e Souza[editar | editar código-fonte]

AHRS C-319, fl. 39 verso: João Baptista Soares da Silveira e Souza, 10.10.1879, Carta Imperial 19.7.1879; Católico Apostólico Romano, natural da Ilha de São Jorge, Reino de Portugal, casado com brasileira. 3 filhos: João, 6 anos; Antônio, 5 anos e Maria, 2 anos e meio, nascidos na Freguesia de Nossa Senhora dos Anjos da Aldeia, município desta cidade de Porto Alegre.

O Álbum do Rio Grande do Sul, de Carlos Reis, traz pequena informação sobre o Comendador João Baptista, além dei ilustração. Diz, na página 241: "É filho do cidadão português, Manuel S. Soares Souza e natural da ilha S. Jorge (reino de Portugal), onde nasceu em 1800. Transferindo-se bem cedo para o Brasil, soube logo patentear suas preciosidades e merecer as melhores simpatias do nosso meio social. Depois de alguns anos de experimentada probidade, foi nomeado conselheiro municipal de São Leopoldo, onde exerceria ainda, se não fosse a sua idade bastante avançada. Por muitos anos exerceu ele, semelhante cargo, retirando-se ultimamente, para receber no descanso, o prêmio de sua atividade." (Texto extraído do artigo UM "EMPREITEIRO DE OBRAS" AÇORIANO EM PORTO ALEGRE, de Miguel A. de O. Duarte, publicado no livro OS AÇORIANOS NO BRASIL, de Vera Lucia Maciel Barroso)

Os 43 km² do município de Cachoeirinha, no passado, pertenceram ao Comendador João Baptista Soares da Silveira e Souza, durante a época em que Cachoeirinha era apenas um distrito do município de Gravataí (antes chamada de Freguesia de Nossa Senhora dos Anjos da Aldeia). Em 1923, o Comendador veio a falecer e seus herdeiros, seus dois sobrinhos José e Joao, iniciaram a venda das terras. João casou-se com Maria Rosa Souza e teve oito filhos.


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.