Johannes von Gmunden

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Johannes de Gamúndia
(1380-1442)
Calendário elaborado por Johannes de Gamúndia (1470)
Nascimento 1380
Gmund am Traunsee,  Áustria
Morte 23 de fevereiro de 1442
Viena,  Áustria
Ocupação Humanista, matemático, filósofo, teólogo, e astrônomo austríaco.
Alma mater Universidade de Viena
Calendário de Johannes von Gmunden: Nuremberg, 1496

Johannes de Gamúndia (sinonímia: João de Gamúndia, Johannes von Gmunden, Johann Krafft; Gmunden, Áustria, 1380Viena, 23 de fevereiro de 1442, foi um humanista, matemático, teólogo, filósofo, astrônomo e fabricante de instrumentos austríaco. Foi o fundador da Escola de Matemática de Viena. O asteróide 15955 Johannesgmunden, descoberto em 26 de Janeiro de 1998 pelo astrônomo austríaco Erich Meyer, recebeu a denominação de Johannesgmunden em sua homenagem.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ele nasceu em Gamúndia, na Áustria, filho de um alfaiate, e provavelmente pertencia à família do explorador de salinas Friedrich Krafft. Matriculou-se na Universidade de Viena em 13 de Outubro de 1400 como Johannes Sartoris de Gmundin. Em 13 de Outubro de 1402 o mesmo Johannes de Gmunden é admitido para exame de bacharelado. Em 1406 recebe seu diploma de doutorado na Universidade de Viena, onde Heinrich von Langenstein[1] foi seu professor e examinador, e em 21 de Março de 1406 um Johann von Gmunden já consta na lista entre 7 ou 9 professores nomeados para a Faculdade de Artes. Em 1 de Setembro de 1407 encontramos um professor Johannes Krafft no catálogo de cursos, dando aulas sobre Euclides. Em 1408 ele deu aulas sobre as obras Física (1408) e Meteora (1409, 1411) de Aristóteles, sobre o autor Petrus Hispanus[2] (1410) que alguns acreditam ser o mesmo Papa João XXI, e em 1412 sobre De algorismus de minutiis, obra escrita pelo matemático alemão Jordanus Nemorarius também conhecido como Jordão da Saxônia[3].

Johannes foi também conhecido pelos seus projetos com modelos funcionais, e claramente produzidos pelos seus alunos que criaram instrumentos astronômicos feitos de papelão. Isso permitiu aos alunos aprenderem com ele a função e a utilização do astrolábio. Depois de uma grave doença, em 1412, ele também estudou teologia (1415-1416), onde se formou bacharel em 1416. Continuou a dar aulas até 1419 quando decidiu traduzir a obra Algorismus de Integris. A partir de 1420, Johannes se permitiu restringir suas aulas para o campo especializado de matemática e astronomia, focando-se particularmente nos Elementos de Euclides e na Sphaera materialis de João de Hollywood. Com a ajuda de seus alunos criou volumosas tabelas astronômicas (que constam na obra Historia astronomiae de 1741, escrita por Weidler[4], onde Georg Pruneck de Ruspach, Georg de Neuenburg, Johannes Schinkelius[5], e Johannes Feldner também são mencionados). Não podemos esquecer de mencionar que Johannes de Gmunden foi colaborador do astrônomo tcheco Jan Šindel[6] (1370-1443), que deu aulas em Viena e que foram muito amigos. Johannes de Gmundel, Jan Šindel e o prior do monastério de Klosterneuburg, Georg Müstinger, foram os pilares da primeira escola astronômica de Viena.

Georg Tannstetter (1482-1535)[7] acrescentou em sua edição de 1514 duas tabelas astronômicas e também uma História dos Matemáticos e Astrônomos de Viena, denominada: Viri mathematici, onde Johannes de Gmunden é referenciado, especialmente seus escritos e seus alunos. Johannes de Gmunden criou também tabelas planetárias (1437-1440) e um calendário. O calendário do período 1439-1514 foi copiado, e mesmo atualmente, 99 cópias estão disponíveis, e foi o primeiro calendário impresso. Johannes foi duas vezes reitor da Universidade de Viena. Foi sucedido na Universidade de Viena em 1453 por Georg von Peuerbach (1423-1461) e Johannes Regiomontanus (1436-1476).

Em 1425 foi nomeado cônego da Catedral de Santo Estêvão, em Viena, onde foi sepultado. Seus manuscritos astronômicos, matemáticos e astrológicos foram doados para a Universidade de Viena, que vieram a constituir a base da biblioteca da Universidade mais tarde.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • De sinibus, chordis et arcubus
  • Astrolabii qui primi mobilis motus deprehendur canones (1515)
  • Tractatus de Minucijs phisicis.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Anexo:Lista de humanistas do Renascimento

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Heinrich von Langenstein (1325-1397) (* Langenstein, perto de Marburgo, 1325 - † Viena, 11 de Fevereiro de 1397), foi teólogo e reitor da Universidade de Viena.
  2. Petrus Hispanus, também conhecido como Pedro Hispano, foi um autor medieval de tratados de medicina e de lógica, e autor da obra Summulae logicales, muito utilizada nas universidades europeias entre os séculos XII e XVII.
  3. Jordão da Saxônia, foi um matemático alemão autor de vários tratados de matemática, que foram copiados e bastante usados durante a Idade Média.
  4. Johann Friedrich Weidler (1691-1755) (* Großneuhausen, 23 de Abril de 1691 - † Wittenberg, 30 de Dezembro de 1755), foi matemático e jurista alemão.
  5. Johannes Schinkelius foi reitor da Faculdade de Teologia de Lovaina.
  6. Jan Šindel (1370-1443), foi professor de matemática e astronomia da Universidade Carlos e reitor em 1410.
  7. Georg Tannstetter (1482-1535) (* Rain, abril de 1482 - † Innsbruck, 26 de Março de 1535), foi médico, humanista, astrólogo e astrônomo austríaco. Foi também médico particular do imperador Maximiliano I.