Julia Morley

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Julia Morley
Nascimento 25 de outubro de 1939
Londres
Cidadania Reino Unido
Cônjuge Eric Morley
Ocupação modelo, empresária

Julia Evelyn Pritchard Morley (Londres, 25 de outubro de 1939) é uma empresária, filantropa e ex-modelo britânica, que é a atual presidente da Miss World Organization, que realiza o Miss Mundo.[1]

Ela é a viúva de Eric Morley, criador do concurso.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida em Londres com o nome de Julia Evelyn Pritchard, ela trabalhou como modelo e conheceu Eric Morley, então diretor do Mecca Dancing, durante um evento em Leeds. Eles se casaram em 1960 e ela se envolveu com o concurso pela primeira vez apenas em 1970, mas após Eric Morrer falecer, em 2000, se tornou a diretora do concurso.[2]

Foi pouco após a morte do marido que ela teve uma altercação com Donald Trump, então um dos donos do concurso Miss Universo. Segundo Morley, ele lhe ligou e pediu se ela estava pronta para "jogar a toalha". Sua "resposta" foi fazer um empréstimo de 5 milhões de euros para investir na Miss World Organization.[3]

Antes, em 1974, Morley também já havia inovado, introduzindo o Beleza com Propósito (Beauty With A Purpose), que arrecada dinheiro para ajudar crianças doentes e pobres e que, segundo o portal da revista ELLe, "ajudou a desviar a atenção do lado externo e físico da competição". Em 2009, ela também lançou o Variety International Children’s Fund, que posteriormente arrecadou mais de 400 mil dólares para projetos no Haiti em áreas como Educação e Saúde.[4][5]

Em 2014 Julia também chamou atenção por decidir que a prova de maiô não seria mais realizada. "Não preciso ver uma mulher de biquíni para elegê-la Miss Mundo. Queremos ouvir sua voz", disse à época.[3][6]

Em março de 2020 o Daily Mirror escreveu que ela "enfrentou o racismo para garantir que a África do Sul enviasse uma candidata negra no auge do apartheid", numa referência ao lançamento do filme Misbehavior, que conta a história dos protestos feministas no Albert Hall de Londres no concurso de 1970.[2]

Prêmio[editar | editar código-fonte]

Em 2016 ela recebeu o prêmio Variety Humanitarian Award.[7]

Nota[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido, total ou parcialmente, do artigo da Wikipédia em inglês cujo título é «Julia Morley».

Referências

  1. «"Miss World Empowers Women And Gives Them A Voice"». HuffPost UK (em inglês). 28 de setembro de 2013. Consultado em 3 de março de 2022 
  2. a b USE, Grace MacAskill Do NOT (7 de março de 2020). «True story behind Miss World who tackled apartheid but was hated by feminists». mirror (em inglês). Consultado em 3 de março de 2022 
  3. a b Moss, Rebecca (15 de dezembro de 2014). «Bikini Kill: Miss World Ditches the Swimsuit Competition». ELLE (em inglês). Consultado em 3 de março de 2022 
  4. «'Gem of a painting' top-seller at Miss World charity auction – Talk Vietnam». www.talkvietnam.com (em inglês). Consultado em 3 de março de 2022 
  5. «EFI Donates P1M To MWP | Esquire Financing Inc.». web.archive.org. 24 de dezembro de 2012. Consultado em 3 de março de 2022 
  6. News, A. B. C. «Miss World Pageant Puts Bikini Ban on Future Competitions». ABC News (em inglês). Consultado em 3 de março de 2022 
  7. «Miss World CEO Julia Morley felicitated with Humanitarian Award - BeautyPageants». Femina Miss India. Consultado em 3 de março de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.