Miss Mundo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Miss Mundo
Lema "Beleza com Propósito"
Tipo Concurso de Beleza
Fundação 1951 (70 anos)
Sede Reino Unido Londres
Membros + de 100 países
Línguas oficiais Inglês
Diretora-geral Julia Morley
Sítio oficial MissWorld.com

Miss Mundo (no original: Miss World) é o mais antigo concurso internacional de beleza, criado em 1951 no Reino Unido pelo britânico Eric Morley. [1] Assim como os seus principais concorrentes, Miss Universo, Miss Internacional e Miss Terra, é um dos mais populares concursos de beleza do mundo. Sediado em Londres, onde as vencedoras residem durante o ano de seus reinados, o concurso atualmente é dirigido por Julia Morley.

Televisionado globalmente para milhões de espectadores a cada edição - começou a ser transmitido em 1959 pela BBC - e dedicado a promover a paz e as diferenças e interações culturais, desde sua criação o concurso é responsável por levantar mais de 250 milhões de libras esterlinas para caridade infantil. A marca é franqueada a mais de 130 países, em muitos dos quais há concursos nacionais exclusivos para a escolha da representante ao concurso global.

A atual Miss Mundo é a jamaicana Toni-Ann Singh, eleita em Londres, na Inglaterra, no dia 14 de Dezembro de 2019.

História[editar | editar código-fonte]

Primórdios[editar | editar código-fonte]

O concurso foi inicialmente criado como Festival Bikini Contest, um concurso de beleza feminino de biquínis, em homenagem a peça de vestuário que se tornava famosa na época, mas já em sua primeira edição passou a ser chamado pela mídia britânica de "Miss World". A primeira vencedora, Kiki Hakansson, da Suécia, foi a primeira e única até hoje a ser coroada de biquíni. Inicialmente previsto para ter apenas uma edição, seu criador, Eric Morley, ao ouvir falar na criação do Miss Universo nos Estados Unidos, decidiu transformar o concurso em um evento anual.

A oposição ao uso de biquínis pela conservadora sociedade da época - o biquíni ainda era uma novidade - levou a que nos anos seguintes o vestuário fosse trocado por outro mais comportado e menos exposto. Em 1959, a BBC começou a transmitir o concurso o que aumentou sua popularidade, fazendo que nas duas décadas seguintes, ele fosse o programa anual de maior audiência na TV britânica, chegando a ter cerca de 30 milhões de espectadores no país, no seu auge.

Em 1972 a competição lançou o lema "Beauty With a Purpose" (Beleza com um propósito) adicionando testes de inteligência e personalidade para as candidatas de cada edição. Entretanto, o concurso começou a ser visto como ultrapassado e politicamente incorreto em sua própria terra natal, perdendo público e com seus direitos sendo comprados por outra empresa. Apesar do apelo global, ele não foi mais transmitido por nenhuma grande rede de TV britânica, até 1998, quando o Channel 5 retomou as transmissões internacionais.

Século XXI[editar | editar código-fonte]

Na virada do século, o criador e fundador Eric Mosley falece, [2] e sua esposa, Julia, o sucede na direção do Miss World Organization". O novo século viu a eleição da primeira miss negra africana, Agbani Darego, da Nigéria, em 2001 e a criação de um "You Decide", permitindo aos telespectadores votarem em suas candidatas, além dos jurados, através do telefone e do computador.

No ano de 2002, o concurso passou por sua maior crise política, ao escolher a cidade de Abuja, na Nigéria, país da Miss Mundo eleita no ano anterior, como sede da final da competição. Na época, uma mulher nigeriana, Amina Lawal, que foi condenada a morte por apedrejamento, aguardava sua execução pelo crime de adultério. [3] Além disso, uma série de protestos de muçulmanos nigerianos com relação a presença deste tipo de concurso no país, ridicularizados por um artigo de jornal que dizia que "não só o profeta Maomé aprovaria o Miss Mundo na Nigéria mas certamente gostaria de casar-se com uma das candidatas" levou a distúrbios que custaram mais de 200 mortes na Nigéria. [4]

Os organizadores receberam enormes críticas por não mudarem de sede. Morley e a direção do Miss World Organization, porém, escolheram manter a cidade como final do evento, pretendendo que isto trouxesse atenção global para a questão e agisse pelo perdão à Lawal. No entanto, o concurso por questões de segurança fora transferido de última hora para Londres.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Reino Unido[editar | editar código-fonte]

As primeiras transmissões televisivas do Miss Mundo ficaram a cargo da BBC. A rede pública britânica exibiu o evento de 1959 a 1969. De 1970 a 1979, foi a vez da ITV exibí-lo. Entre 1980 e 1989, a geração das imagens do concurso para os britânicos ficou com a Thames Television. Nos últimos anos, o Miss Mundo não foi transmitido por nenhuma das grandes redes locais. Em 2006, a transmissão ficou por conta do canal fechado Challenge Scoop. Antes, a transmissão era feita pela ITV e pela Sky Travel (tv a cabo).

Brasil[editar | editar código-fonte]

Na televisão brasileira, o Miss Mundo só começou a ter importância depois que Silvio Santos comprou seus direitos em 1983. Estimulado pelos altos índices de audiência do Miss Brasil (naquela época que era só válido para o Miss Universo), o dono do SBT decidiu criar um evento exclusivo para a eleição da candidata do país ao Miss Mundo. A primeira vencedora dessa nova fase nacional foi a carioca Cátia Pedrosa. O Miss Mundo Brasil pelo SBT deixou de ser realizado em 1987.

Antes do SBT criar o concurso, as representantes do país no Miss Mundo eram as segundas ou terceiras colocadas do concurso Miss Brasil entre 1958 e 1980. Nesse período, o concurso nacional (que também coroava representantes para o Miss Universo e Miss Beleza Internacional) era promovido pelos Diários Associados e transmitido pela TV Tupi, já extinta. Esse procedimento foi retomado em 1998, quando o concurso nacional ainda era organizado pela Singa Brasil.

No entanto, as coroações televisionadas das Misses Brasil Mundo dentro da programação do Miss Brasil só seriam retomadas em nível nacional em 2002, na RedeTV!. O expediente durou até 2005, quando o Miss Brasil já estava sendo exibida pela Band. Em 2006, a CNT transmitiu a primeira eleição de uma Miss Brasil Mundo realizada depois de cinco anos. A mesma emissora (à época sob a gestão da TVJB, já extinta) chegou a comprar em junho de 2007 os direitos televisivos de ambos os eventos. Com a crise provocada pelo fechamento da TVJB, em setembro, a Rede Brasil assumiu a transmissão da etapa nacional, mas não chegou a fazê-la em relação à disputa internacional. Em 2008 e 2010 o concurso foi transmitido pela TV Climatempo, e em 2009 pela CNT. Desde 2011, o Miss Mundo Brasil e o Miss Mundo vem sendo transmitidos ao vivo pela internet, pelo portal UOL. A TV Pampa, filiada da Rede TV no Rio Grande do Sul, transmitiu o Miss Mundo Brasil em 2010, 2011 e 2012, ano em que co-produziu o evento. Em 2016, a Rede Brasil, depois de 9 anos sem transmitir, transmitiu o Miss Brasil Mundo (com cerimônia co-organizada pela emissora) e o Miss Mundo.

Vencedoras[editar | editar código-fonte]

Abaixo encontram-se apenas as cinco últimas vencedoras do certame:

Ano País Vencedora Cidade Natal R Local da Final
2015 Espanha Espanha Mireia Lalaguna Barcelona [5] China Sanya 114
2016 Porto Rico Porto Rico Stephanie del Valle San Juan [6] Estados Unidos Washington 117
2017 Índia Índia Manushi Chhillar Haryana [7] China Sanya 118
2018 México México Vanessa Ponce Guanajuato [8] China Sanya 118
2019 Jamaica Jamaica Toni-Ann Singh Morant Bay [9] Reino Unido Londres 111

Galeria das Vencedoras mais recentes[editar | editar código-fonte]

Conquistas por país[editar | editar código-fonte]

No Mapa-múndi acima estão representados em cores diferentes as quantidades de vitórias de cada país até hoje no certame.

Apenas 36 países já conseguiram o feito:

País Títulos Vitórias
Índia Índia 6 1966, 1994, 1997, 1999, 2000, 2017
Venezuela Venezuela 1955, 1981, 1984, 1991, 1995, 2011
Jamaica Jamaica 4 1963, 1976, 1993, 2019
Reino Unido Reino Unido 1961, 1964, 1965, 1983
África do Sul África do Sul 3 1958, 1974, 2014
Estados Unidos Estados Unidos 1973, 1990, 2010
Islândia Islândia 1985, 1988, 2005
Suécia Suécia 1951, 1952, 1977
Porto Rico Porto Rico 2 1975, 2016
China China 2007, 2012
Rússia Rússia 1992, 2008
Peru Peru 1967, 2004
Áustria Áustria 1969, 1987
Argentina Argentina 1960, 1978
Austrália Austrália 1968, 1972
Países Baixos Países Baixos 1959, 1962
México México 1 2018
Espanha Espanha 2015
Filipinas Filipinas 2013
Gibraltar Gibraltar 2009
República Checa República Checa 2006
República da Irlanda Irlanda 2003
Turquia Turquia 2002
Nigéria Nigéria 2001
Israel Israel 1998
Grécia Grécia 1996
Polónia Polônia 1989
Trindade e Tobago Trindade e Tobago 1986
República Dominicana República Dominicana 1982
Guam Guão 1980
Bermudas Bermudas 1979
Brasil Brasil 1971
Granada Granada 1970
Finlândia Finlândia 1957
Alemanha Alemanha 1956
Egito Egito 1954
França França 1953

Rainhas Continentais[editar | editar código-fonte]

Desde 1981 a organização do concurso premia as melhores candidatas por continente. A lista completa encontra-se abaixo:

Ano África Américas Ásia Caribe Europa Oceania
1981 Zimbabwe Zimbabue Venezuela Venezuela Japão Japão O título não existia ainda. Reino Unido Reino Unido Austrália Austrália
1982 Zimbabwe Zimbabue República Dominicana R. Dominicana Filipinas Filipinas Finlândia Finlândia Austrália Austrália
1983 Libéria Libéria Colômbia Colômbia Israel Israel Reino Unido Reino Unido Austrália Austrália
1984 Quénia Quênia Venezuela Venezuela Israel Israel Reino Unido Reino Unido Austrália Austrália
1985 Zaire Zaire Estados Unidos Estados Unidos Israel Israel Islândia Islândia Nova Zelândia Nova Zelândia
1986 Flag of Eswatini.svg Suazilândia Trindade e Tobago Tri. & Tobago Filipinas Filipinas Dinamarca Dinamarca Nova Zelândia Nova Zelândia
1987 Nigéria Nigéria Venezuela Venezuela Hong Kong Hong Kong Áustria Áustria Guam Guão
1988 Quénia Quênia Venezuela Venezuela Coreia do Sul Coreia do Sul Islândia Islândia Austrália Austrália
1989 Maurícia Ilhas Maurício Canadá Canadá Tailândia Tailândia Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Polónia Polônia Austrália Austrália
1990 Quénia Quênia Estados Unidos Estados Unidos Nova Zelândia Nova Zelândia Jamaica Jamaica República da Irlanda Irlanda Premiação conjunta com a Ásia.
1991 Flag of South Africa (1928–1994).svg África do Sul Venezuela Venezuela Austrália Austrália Jamaica Jamaica França França
1992 Flag of South Africa (1928–1994).svg África do Sul Venezuela Venezuela Tailândia Tailândia Bahamas Bahamas Rússia Rússia
1993 Flag of South Africa (1928–1994).svg África do Sul Venezuela Venezuela Filipinas Filipinas Jamaica Jamaica Croácia Croácia
1994 África do Sul África do Sul Venezuela Venezuela Índia Índia Ilhas Cayman Ilhas Cayman Croácia Croácia
1995 África do Sul África do Sul Venezuela Venezuela Coreia do Sul Coreia do Sul Trindade e Tobago Tri. & Tobago Croácia Croácia
1996 África do Sul África do Sul Colômbia Colômbia Índia Índia Aruba Aruba Grécia Grécia
1997 África do Sul África do Sul Estados Unidos Estados Unidos Índia Índia Jamaica Jamaica Turquia Turquia
1998 África do Sul África do Sul Chile Chile Malásia Malásia Jamaica Jamaica Israel Israel
1999 África do Sul África do Sul Venezuela Venezuela Índia Índia Jamaica Jamaica Israel Israel
2000 Quénia Quênia Uruguai Uruguai Índia Índia Curaçau Curaçao Itália Itália
2001 Nigéria Nigéria Nicarágua Nicarágua China China Aruba Aruba Escócia Escócia
2002 Nigéria Nigéria Colômbia Colômbia China China Aruba Aruba Turquia Turquia
2003 Etiópia Etiópia Canadá Canadá China China Jamaica Jamaica República da Irlanda Irlanda
2004 Nigéria Nigéria Peru Peru Filipinas Filipinas República Dominicana R. Dominicana Polónia Polônia
2005 Tanzânia Tanzânia México México Coreia do Sul Coreia do Sul Porto Rico Porto Rico Islândia Islândia & Itália Itália
2006 Angola Angola Brasil Brasil Austrália Austrália Jamaica Jamaica República Checa R. Checa & Romênia Romênia
2007 Angola Angola México México China China Trindade e Tobago Tri. & Tobago Suécia Suécia
2008 Angola Angola Venezuela Venezuela Índia Índia Trindade e Tobago Tri. & Tobago Rússia Rússia
2009 África do Sul África do Sul México México Coreia do Sul Coreia do Sul Barbados Barbados Gibraltar Gibraltar
2010 Botsuana Botsuana Estados Unidos Estados Unidos China China Santa Lúcia Santa Lúcia República da Irlanda Irlanda
2011 África do Sul África do Sul Venezuela Venezuela Filipinas Filipinas Porto Rico Porto Rico Inglaterra Inglaterra
2012 Sudão do Sul Sudão do Sul Brasil Brasil China China Jamaica Jamaica País de Gales País de Gales
2013 Gana Gana Brasil Brasil Filipinas Filipinas Jamaica Jamaica França França Austrália Austrália
2014 África do Sul África do Sul Estados Unidos Estados Unidos Índia Índia Guiana Guiana Hungria Hungria Austrália Austrália
2015 África do Sul África do Sul Brasil Brasil Indonésia Indonésia Jamaica Jamaica Espanha Espanha Austrália Austrália
2016 Quénia Quênia Estados Unidos Estados Unidos Indonésia Indonésia República Dominicana R. Dominicana Bélgica Bélgica Austrália Austrália
2017 Quénia Quênia México México Coreia do Sul Coreia do Sul Jamaica Jamaica Inglaterra Inglaterra Nova Zelândia Nova Zelândia
2018 Uganda Uganda Panamá Panamá Tailândia Tailândia Jamaica Jamaica Bielorrússia Bielorrússia Nova Zelândia Nova Zelândia
2019 Nigéria Nigéria Brasil Brasil Índia Índia Trindade e Tobago Tri. & Tobago França França Flag of the Cook Islands.svg Ilhas Cook

Observação[editar | editar código-fonte]

     Em 2005 e em 2006 o título de "Rainha da Europa" foi desmembrado em "Europa do Norte" e "Europa do Sul".

Líderes de títulos por continente[editar | editar código-fonte]

Os três países que mais detém premiações continentais em suas respectivas regiões:

Rank África Américas Ásia Caribe Europa Oceania
1 África do Sul África do Sul - 13 Venezuela Venezuela - 12 Índia Índia - 8 Jamaica Jamaica - 13 Israel Israel - 5 Austrália Austrália - 12
2 Quénia Quênia - 6 Estados Unidos Estados Unidos - 6 China  · Filipinas - 6 Trindade e Tobago Trindade e Tobago - 5 Croácia  · França  · República da Irlanda  · Islândia  · Reino Unido - 3 Nova Zelândia Nova Zelândia - 5
3 Nigéria Nigéria - 5 Brasil Brasil - 5 Coreia do Sul Coreia do Sul - 5 República Dominicana R. Dominicana - 3 Inglaterra  · Itália  · Polónia  · Rússia - 2 Guam  · Flag of the Cook Islands.svg - 1

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. PBS - FRONTLINE WORLD, By (18 de novembro de 2017). «A pageant is born!». PBS - Frontline World 
  2. LEWIS, Paul (11 de novembro de 2000). «Eric Morley, 82, 'Miss World' promoter, dies!». The New York Times 
  3. ISAACS, Dan (8 de julho de 2002). «Nigerian woman fights stoning!». BBC News 
  4. DEMOCRACY NEWS, By (27 de novembro de 2002). «"Miss World 2002 will be the most lavish and spectacular production that we've ever undertaken": Now there are 220 people dead, 1000 injured, and 8000 homeless from the Miss World riots in Nigeria!». Democracy News 
  5. HORTON, Helena (20 de dezembro de 2015). «Miss World 2015: Spain wins and England doesn't make the Top 20!». The Telegraph UK 
  6. TELEGRAPH REPORTERS, By The (19 de dezembro de 2016). «Miss World 2016: Puerto Rico's Stephanie Del Valle takes the crown!». The Telegraph UK 
  7. PANT, Anuj (18 de novembro de 2017). «India's Manushi Chhillar Wins Miss World 2017!». NDTV 
  8. «Miss World 2018 is...». Miss World. 18 de dezembro de 2018 
  9. «Miss Mundo 2019: Toni-Ann Singh, da Jamaica, é eleita a vencedora - Emais». Estadão. Consultado em 15 de dezembro de 2019 

Links Externos[editar | editar código-fonte]

Site
Plataformas digitais