Kyuzo Mifune

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Kyuzo Mifune
Kyuzou Mifune (restoration).jpg
Informações
Nascimento 21 de abril de 1883 (135 anos)
Província de Iwate, Japão
Morte 27 de janeiro de 1965 (81 anos)
Tóquio, Japão
Outros nomes "Deus do Judô"
Altura 1,57 m
Peso 45 kg
Graduação judan (10º dan)
Página oficial:

Kyuzo Mifune (三船 久蔵, Mifune Kyūzō?, 21 de abril de 1883 – 27 de janeiro de 1965) é tido como um dos maiores expoentes da arte do judô depois do fundador,[1] Jigorō Kanō. Ele é considerado por muitos como o maior técnico de judô de sempre, depois de Kanō.

Início da vida[editar | editar código-fonte]

Mifune nasceu em 21 de abril de 1883, na cidade de Kuji, Província de Iwate, na Ilha de Honshu, no Japão, um ano após o Kodokan foi fundada.[2][3][4] Ele foi supostamente incorrigível como um menino, sempre realizando alguma maldade ou a organização de outros com semelhante objetivo. Quando Mifune tinha 13 anos de idade, seu pai, um rígido disciplinador, que finalmente desistiu de seu caçula de seus sete filhos e enviou o menino para uma escola de ensino médio em Sendai, no norte do Japão. Lá, o jovem Mifune descobriu o judô e decidiu dedicar-se a ele. Com 14 anos de idade, derrotou nove adversários em sequência em um torneio com outra escola.

Após a formatura, Mifune foi enviado para Escola Preparatória de Tóquio, antecipando a entrada na Universidade de Waseda. Ele imediatamente tentou ingressar no Kodokan. Nessa época era necessário comparecer a uma entrevista pessoal com Kano, mediante recomendação do ranking judoca e, em seguida, assinar um juramento de sangue. Mifune não conheçia ninguém no Kodokan, mas escolheu Sakujiro Yokoyama, que então tinha um temível reputação, como "Demônio Yokoyama", cujo judô rápido e potente trouxe muita reputação para a Kodokan. Mifune ficou acampado à porta de Yokoyama até que este último consentiu em  recomendá-lo a Kano. Em julho de 1903, Mifune juntou-se a Kodokan. Seu pai, descobrir que ele estava gastando mais tempo no judô que para estudar, cortou-lhe a mesada, e Mifune, 22 anos, saiu para encontrar trabalho. Ele começou um jornal, vendendo publicidade, e construiu uma próspera empresa. Ele foi capaz de vendê-lo a um lucro substancial, e entrou para o programa de economia na Universidade de Keio.

Técnico de judô[editar | editar código-fonte]

Mifune (à esquerda) treinando com Kanō

Depois de 15 meses de treinamento, Mifune conseguiu o posto de shodan (dan inicial, indicando 1º dan) de judô no Kodokan, e após um lapso de tempo relativamente curto de quatro meses, nidan (2º dan). Pelo tempo e velocidade, Mifune ganhou rapidamente uma reputação e nunca foi derrotado na reunião anual do Torneio Vermelho e Branco da Kodokan. Em 1912, ele foi classificado rokudan (6º dan) e reconhecido como instrutor. Ele já estava sendo chamado de o "Deus do Judô". Ele tinha 30 anos. Seu pai recomendou uma moça de sua cidade natal e pela segunda vez, desde que havia saído de casa, voltou para se casar.

Durante os próximos 20 anos, a reputação de Mifune continuou a crescer. Quando estava com 40 anos, ele foi desafiado por um lutador de sumô com 1,82 m de altura e 108 kg. Mifune, com apenas 1,57 m de altura e 45 kg, finalmente bateu o lutador com sua marca registrada, o 'arremesso avião' (kuki nage ou sumi otoshi). Ele se alimentava com moderação, dormia em uma cama de estilo ocidental e não fumava. Em 1937, Kano promoveu Mifune para o posto de kudan (9º dan).

Com a morte de Kano em 1938, Mifune tornou-se o mais influente professor. Os alunos queixavam-se de que Mifune se empolgara com palestras, e que ele era "mais temido do que amado". Em 25 de Maio de 1945, ele foi promovido à judan (10º dan), o quarto de 15 judoca honrados com essa distinção.[5] Em 1956, ele escreveu seu livro clássico, O Cânone Do Judô, ainda hoje uma notável exposição de história, filosofia e descrição técnica do judô. Para E. J. Harrison, ele escreveu um livro prefácio que era simples, mas expressava a natureza da filosofia de Mifune: "A liberdade em contínua mudança!"

Trevor Leggett, um visitante frequente do Kodokan ao longo de muitos anos, comentou que o judô foi muito 'grosseiro' no Kodokan antes da II Guerra Mundial do que posteriormente; isto, talvez, pela influência de Mifune.

Mifune morreu em 27 de janeiro de 1965, no Nichidai Hospital da Universidade de Tóquio.[6]

Anedotas[editar | editar código-fonte]

Em seu livro O Espírito de Luta do Japão (publicado em 1913), de E. J. Harrison escreve sobre uma anedota contada a ele por Sakujiro Yokoyama:

Lembro-me que, no início de janeiro de 1909, fui a um determinado restaurante, acompanhado pelo Sr. Kyuzo Mifune, um professor quinto dan do Kodokan. Percebemos em um canto da sala um grupo de treze jovens que bebiam bem, enquanto que em um apartamento adjacente havia um casal de idosos e outros visitantes que levavam comida. Os membros do primeiro grupo chamado foram vistos juntando suas cabeças em intervalos freqüentes e sussurrando, ao mesmo tempo que lançavam olhares em nossa direção. Eu não tomei qualquer aviso especial sobre o que estava acontecendo, nem suspeitei que tivessem algum projeto sobre nós. O Sr. Mifune e eu fomos conversando sobre nossas bebidas. Logo um dos patifes se aproximou de nós, calmamente pegou meu sobretudo e chapéu, e tentou sair com eles sob nossos próprios narizes. Evidentemente, recordei, quando o ladrão, evidentemente inclinado a escolher uma disputa, insistiu que o casaco e o chapéu eram sua propriedade. Uma acalorada discução iniciou, no meio da qual ele assumiu uma atitude ameaçadora, e foi acompanhado rapidamente por meia dúzia de camaradas do outro lado da sala. Não tendo nenhuma alternativa, o Sr. Mifune tomou uma mão no jogo. Ele evitou a rugosidade desnecessária, mas em menos de um minuto os fez cair com uma sucessão de golpes rápidos. Então o resto da gangue se colocou sobre mim, mas eu os derrubei um após o outro, e o caso terminou em menos de três minutos. À medida que nossas vítimas recuperaram a consciência, eles não perderam tempo ao se tornar escassos, mas nós detiveramos um deles e o forçamos a confessar. Ele admitiu que seu objeto tinha sido extorquir dinheiro de nós pela intimidação. Eles haviam sido enganados pelas nossas boas roupas e imaginamos que seríamos presas fáceis. Nós deixamos o companheiro ir em vez de entregá-lo à polícia, já que consideramos que ele havia recebido punição suficiente em nossas mãos. Depois que os patifes haviam ido, o velho casal que foram interessados ​​espectadores da ocorrência nos disse que eles tinham testemunhado pela primeira vez em suas vidas uma exibição prática de jujutsu e ficaram maravilhados com os feitos maravilhosos que os especialistas conseguiram realizar contra as probabilidades.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «いわてゆかりの人々». Iwate Prefecture 
  2. International Budo Institute: Kyuzo Mifune (c. 2005). Retrieved on June 18, 2010.
  3. Noha, R. (c. 2005): Kyuzo Mifune, Master of Judo Retrieved on June 11, 2010.
  4. Big Sky Taekwondo: Kyuzo Mifune – The Giant of Judo (c. 2010). Retrieved on June 22, 2010.
  5. Profiles of Kodokan 10th Dan Holders
  6. Anonymous (1965): "K. Mifune, 10th-Dan Judo Master, is dead in Tokyo at 81." Black Belt, 3(5):19.

Links externos[editar | editar código-fonte]

  • The essence of judo no YouTube Um 63 min de filme que mostra Mifune demonstrando técnicas de judô, kata, randori, e contadores. Este é o melhor complemento de seu livro O Cânone de Judô.