Língua gomara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Gomara
Falado(a) em: Marrocos
Região: Chefchaouen
Total de falantes: 10 mil (2008) [1]
Família: Afro-asiática
 Berbere
  Berbere Setentrional
   Atlas[2][3]
    Gomara
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: gho

Gomara é uma língua Berbere Setentrional falada em Marrocos por cerca de 10 mil pessoas Gomaras Berberes, Gomara Berber é falado na borda ocidental do Rife, entre as tribos Beni Bu Zra e Beni Mansur da confederação de Gomara. Apesar de estar listado como ameaçado, ainda está sendo passado para as crianças nessas áreas.[4]

Gomara Berber é relativamente parecido com o Berbere Srair falado em torno do Ketama. No entanto, é difícil de entender para um falante da língua rifenha.

Algumas características típicas que distinguem a variante Gomara da Rifenha Berber são o uso da preposição dar em vez do Rifenho ghar, o feminino plural terminando -an em vez de -in, ea ausência de spirantisação (aproximante) na posição inicial da palavra.

Localização Gomara
Detalhes Gomara

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Vogais[editar | editar código-fonte]

Como o árabe, Gomara e os outros dialetos berberes têm três vogais: a-, i-, u-.[5]

Consoantes[editar | editar código-fonte]

Ghomara tem 44 consoantes, e a maioria das consoantes tem formas geminadas.[6]

Bilabial Dental Alveolar Pós-alveolar Palatal Velar Uvular Faringeal Glotal
plana faringeal plana faringeal plana labializada plana labializada.
Oclusiva surda p t k q (ʔ)
sonora b d g
Fricativa surda ɸ θ s ʃ x χ χʷ ħ
sonora β ð (ðˤ) z ʒ ɣ ɣʷ ʁ ʁʷ ʕ
Africada surda t͡ʃ
sonora d͡ʒ
Nasal m n
Aproximante l (lˤ) j w ʔ̞
Vibrante r

Situação[editar | editar código-fonte]

Embora os Gomara mais velhos ensinem as crianças a falarem Gomara Berber em casa, a língua ainda é considerada ameaçada, com apenas 10.000 falantes registrados. Uma razão importante pode ser atribuída à pequena área geográfica onde esta linguagem é usada, assim como o uso mais comum do árabe em todo o Marrocos.

Gramática[editar | editar código-fonte]

Substantivos[editar | editar código-fonte]

Para substantivos em Gomara Berber, existem várias tendências comuns. O prefixo a-, i- ou u- geralmente identifica os substantivos masculinos do singular na linguagem (ou seja, arg'az 'homem'). Para substantivos femininos do singular, existe tanto um prefixo quanto um sufixo, como ta-… -t (ou seja, “tarbat”, “menina”). Esta é a maneira mais comum de identificar nomes singulares femininos. Os substantivos masculinos do plural são caracterizados por i-… -en ou i-… -an (isto é, irg'azen “homem”). Para os substantivos do plural feminino, ti-… -an (isto é, tirbatan “meninas”) é a circunferência mais comum.[5]

Pronomes[editar | editar código-fonte]

Gomara Berber usa pronomes pessoais, singulares e plurais.

A primeira pessoa do singular pronome 'nekkin' é equivalente a "eu" do português. O pronome masculino da segunda pessoa do singular kedžin e o pronome feminino kemmin é equivalente a "você" em português Da mesma forma, em Gomara Berber, o pronome masculino da terceira pessoa do singular netta e pronome feminino nettaθa é equivalente a ele/ela em portugês, respectivamente.

A primeira pessoa do plural pronome nuçna é equivalente a "nós" em português e a segunda pessoa do plural pronome kunna é equivalente a "todos vocês" em português. Por fim, niçma é o pronome da terceira pessoa do plural equivalente a "they" em inglês, e não se distingue pelo gênero.

Verbos[editar | editar código-fonte]

m Gomara, os verbos berberes contêm certos afixos que caracterizam singularidade, pluralidade e ponto de vista (PDV). Segue-se um exemplo das conjugações verbais do português "escrever" ou "ara" em Gomara Berber:

Adjetivos[editar | editar código-fonte]

Os adjetivos têm o sufixo -ø, que caracteriza os substantivos masculinos do singular ou -θ, que caracterizam tanto o substantivo feminino como todos os substantivos do plural. Por exemplo:

  • Masculino singular: tayfur mellulø “o, uma mesa branca”
  • Feminino singular: tamɣart mezziθ “o, uma pequena mulher”
  • Masculino plural: muqqreq irgazen “(os) homens grandes”
  • Plural feminino: timettutan muqqreθ “(as) mulheres grandes”

Vocabulário[editar | editar código-fonte]

Um exemplo de palavras comuns em Gomara Berber: [5]

  • targat : “sonho”
  • ahlan : “bem vindo, olá”
  • hemmam : “banheiro”
  • tamuda : 'porco'
  • lmakla : “comida”
  • tanebdut : “verão”
  • kama : “cama” (origem do espanhol)

Números[editar | editar código-fonte]

Gomara Berber usa um sistema numérico similar a muitos outros idiomas. Os números cardinais yan (“um”, masculino) e yat (“um”, feminino) são os únicos algarismos Berberes em Gomara, enquanto todos os outros números cardinais são originários do árabe marroquino. (zuž ' (“dois”), tlata (“três”), ɛišrin (“vinte”), tlatin (“trinta”), etc).

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Jamal El Hannouche, Arabic influence in Ghomara Berber, 2010
  2. Maarten Kossmann, Berber subclassification (preliminary version), Leiden (2011)
  3. Sebastian Nordhoff et al., "Ghomara", in: Glottolog 2.2, Leipzig: Max Planck Institute for Evolutionary Anthropology (2013)
  4. «Did you know Ghomara is threatened?». Endangered Languages (em inglês). Consultado em 19 de julho de 2017 
  5. a b c El Hannouche, Jamal (14 de dezembro de 2008). Ghomara Berber: A Brief Grammatical Survey (Tese de Master) 
  6. Khalid, Mourigh,; Geesteswetenschappen, Faculteit. «A grammar of Ghomara Berber». openaccess.leidenuniv.nl (em inglês). Consultado em 10 de agosto de 2018 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Mourigh, K. (2015, February 18). A Grammar of Ghomara Berber. Retrieved February 12, 2016, from [1]
  • Mourigh, Khalid. 2016. A Grammar of Ghomara Berber. Cologne: Rüdiger Köppe Verlag.
  • Gabriel Camps and J. Vignet-Zunz. 1998. Ghomâra (Ghumara, Ghmara). In Gabriel Camps (ed.), Encyclopédie berbère: Gauda - Girrei, 3110-3119. Aix-en-Provence: Edisud.
  • Colin, Georges S. 1929. Le parler berbère des Ġmāra. Hespéris: (pp. 43–58) archives berbères et bulletin de l'Institut des Hautes Etudes Marocaines.
  • Maarten Kossmann. 2013. The Arabic influence on Northern Berber. (Studies in Semitic Languages and Linguistics 67). Leiden: Brill (contains much discussion of Ghomara Berber based on Mourigh's materials).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]