Língua mato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mato
Falado em: Papua-Nova Guiné
Região: Morobe (província)
Total de falantes: 580 (2002)
Família: Austronésia
 Malaio-Polinésia
  Oceânica
   Oceânica Ocidental
    Ngero–Vitiaz
     Roinji–Nenaya
      Mato
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: met

Mato é língua austronésia menor falada no norte da Papua-Nova Guiné [1] just inside Morobe Province. Mato é também referida pelos nomes Nenaya, Nengaya, Nineia.[1] A língua Mato ltem duas pequenas variações ou dialetos, Tabares e Remuk, as duas variações são faladas em três aldeias. Mesmo sendo o Mato cercado por várias outras línguas, isso não tem efeito sobre as mudanças gramaticais dentro dos limites do Mato. A situação lingüística é muito estável, em parte devido ao isolamento geográfico do povo que a fala.[2]

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Tabares e Remuk mostram uma similaridade cognata de 96% e entre cognatos há uma variação fonética regular que ocorre na fricativa velar, caso contrário as palavras cognatas são geralmente pronunciadas da mesma forma. A gramática entre os dialetos não varia; Quando difere, os moradores da área Mato dizem que as palavras podem ser pronunciadas de qualquer maneira e que depende da preferência do falante. A única diferença menor que separa as variações é o fonema /x/.[2]

(1) /xɑlux/ → [xɑ.»luʔ] ‘porta’ (Tabares falante)

/xɑlux/ → [ʔɑ.»luʔ] ‘porta’ (Ramuk falante)

(2) /buxu/ → [»bu.ɣu] ‘porco’ (Tabares falante)

/buxu/ → [»bu.ʔu] ‘porco’ (Ramuk falante)

(3) /bɑxi/ → [»bɑ.ɣ˞i] ‘remédio’ (Tabares falante)

/bɑxi/ → [»bɑ.ʔi] ‘remédio’ (Ramuk falante) Falantes do dialeto Ramuk pronunciam /x/ como [ʔ] em todos os ambientes. No dialeto de Tabares, a fricativa velar /x/ é liberada como [x] inicialmente e [ɣ] (sonora) intervocálica, exceto quando seguida pela vogal frontal fechada /i/, onde também é retroflexa [ɣ˞].[2]

A vogal intermediária frontal /e/ é geralmente pronunciada [ɛ] em sílabas fortes do fim de de palavras, mas pronunciada [e] em outro local

A vogal intermediária posterior /o/ é pronunciada [ɔ] em sílabas fechadas em apenas algumas palavras, mas pronunciada [o] em outro local.

O ditongo /ɑi/ é geralmente pronunciado [e] na fala rápida, e o ditongo /ɑu/ é geralmente pronunciado [o] na fala rápida. [3]

Consoantes[editar | editar código-fonte]

Bilabial Alveolar Velar Glotal
Plosiva p b d t k g
Nasal m n ŋ
Fricativa s x h
Vibrante r
Aproximante w j
Lateral l

Inventário fonético e escrita[editar | editar código-fonte]

< a b d e g h i k l m n ng o p r s t u w x y >

< A B D E G H I K L M N Ng O P R S T U W X Y >

Gramática[editar | editar código-fonte]

A ordem de palavras na frase é SVO.[1]

Amostra de texto[editar | editar código-fonte]

Metil tam gala ha Samasingia. Baing ngala ba ngatui barotia mari, muga bing ngala ngasok xai namuya sai’naga, ngata kenakaiyua mua saing ngaxap waxanga ba ngataxiti waxudi bu ngatui, ngaiti waxanga baing ngabagu moxa tela yanoa duxu ba, ‘Muxum’.

Português

Metil e eu fomos até Samasingia. Então eu fui e primeiro eu cortei (madeira para) tocos, então eu fui para o tronco da árvore. E foi feito, eu golpeei com o machado nele por algum tempo e eu tinha a minha faca e cortei vinhas para que eu pudesse cortar (a árvore novamente). Levantei a faca e vi uma serpente que eles chamam de "Muxum".

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. a b c Lewis, Paul; Simons, Gary; Fennig, Charles. «Mato». Ethnologue. Consultado em 21 de setembro de 2016 
  2. a b c Stober, Scot (setembro de 2005). «Mato Dialect Survey» (Survey). Papua New Guinea: SIL. SIL. Consultado em 7 de outubro de 2016 
  3. Stober, Scott (2005). «Mato Organised Phonology Data». SIL. Consultado em 17 de outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]