Lagos de Ounianga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pix.gif Lagos de Ouninanga *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Ounianga Lakes from ISS.jpg
Vista aérea do maior dos lagos
País Chade
Tipo Natural
Critérios vii
Referência 1400
Região** África
Coordenadas 17° 37′ 41,05″ S, 168° 10′ 39,79″ L
Histórico de inscrição
Inscrição 2012  (36ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

Os Lagos de Ounianga é composto de 18 lagos, distribuídos em 2 conjuntos, distantes 40 Km um do outro, e dentro destes, seus lagos estão interconectados. Estão localizados no deserto do Saara, no nordeste do Chade, e se distribuem nas bases das Montanhas do Tibetsi Oeste e Ennedi Leste.

Os 18 lagos estão assim agrupados:

Os lagos possuem, no total, aproximadamente, uma área de superfície de 20km2. O Lago Yoa, é o maior, com 3.5km2 e 27 metros de profundidade.[1]

O nome de cada lago é derivado dos nomes das vilas próximas. A tradução, literal, do nome de cada conjunto dos lagos: Ounianga Kébir = Grande Ounianga e Ounianga Serir = Pequeno Ourianga.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Esse conjunto de lagos constituem um sistema hidrológico único nos desertos da Terra. Os lagos possuem, entre si, uma enorme diversidade de tamanhos, geologia, tonalidade e componentes químicos. A região com média de 2 mm de precipitação por ano e com taxas de evaporação altíssimas, exemplificando, o Lago Yoa, com taxa de evaporação de 6 metros por ano, conserva sua profundidade em torno de 27 metros. Fatores geológicos e físicos únicos no mundo, se combinam, sustentando, esse sistema de lagos, exceto o Lago Teli, o mais central, abundante e permanentemente com água fresca em uma região extremante árida.[2][3]

Conexão à história da humanidade[editar | editar código-fonte]

Especula-se que a história climática da região tem uma conexão com a migração humana no final da última era do gelo, a cerca de 11 mil anos atrás. O deserto voltou à área após as monções terem diminuído a cerca de 5 mil anos. Pesquisas revelaram 10.940 camadas de sedimentos no fundo do Lago Yoa, antes de atingir o assentamento final da era do gelo, com cada camada correspondendo a 1 ano.[4]

UNESCO[editar | editar código-fonte]

A UNESCO inscreveu os Lagos de Ounianga como Patrimônio Mundial por "se constituírem de uma paisagem natural excepcional de grande beleza com cores e formatos arrebatadores"[5]

Referências

  1. http://whc.unesco.org/en/list/1400
  2. Kröpelin, Stefan. «The Saharan lakes of Ounianga Serir (NE Chad): a unique hydrogeological system». Consultado em 28 de agosto de 2009. Arquivado do original em 8 de dezembro de 2009 
  3. http://whc.unesco.org/en/list/1400
  4. Johann Grolle, "Miracle in the Sahara: Oasis Sediments Archive Dramatic History", Spiegel-online, May 21, 2013, http://www.spiegel.de/international/world/new-sahara-research-the-lakes-of-ounianga-a-900518.html
  5. Lagos de Ounianga. UNESCO World Heritage Centre - World Heritage List (whc.unesco.org). Em inglês ; em francês ; em espanhol. Páginas visitadas em 07/06/2014.