Lenticela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Lenticelas num caule jovem de Sambucus nigra.

Lenticelas são órgãos de arejamento encontrados nos caules, raízes e alguns frutos. São pequenos pontos de ruptura no tecido suberoso, que aparecem como orifícios na superfície do caule e fazem contato entre o meio ambiente e as células do parênquima. Quando observadas macroscopicamente, apresentam aparência de pequenas cicatrizes na região exterior do caule. Há um consenso de que as lenticelas auxiliam nas trocas gasosas, uma função que a periderme não poderia realizar pelo acúmulo de suberina. Lenticelas são produzidas no caule de algumas espécies se o solo é repentinamente alagado.

As lenticelas iniciam sua formação durante o desenvolvimento da primeira periderme, que é o tecido de revestimento do corpo secundário da planta.[1]

Ocorrem especialmente em certos caules, sob a forma de pequenas fendas no tecido suberificado. Sob essas fendas há células também suberificadas e células de preenchimento (parênquima) com grandes espaços entre elas. Isto garante a troca de gases entre a planta e o meio.

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • RAVEN, P.H; EVERT, R.F.; EICHHORN, S.E (2014). Biologia vegetal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan  Verifique data em: |acessodata= (ajuda);