Luigi Abatangelo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Luigi Abatangelo
Nascimento 8 de novembro de 1892
Massafra
Morte 10 de novembro de 1966 (74 anos)
Nacionalidade Itália
Ocupação Historiador

Luigi Abatangelo (Massafra, 8 de Novembro 1892- 10 de Novembro 1966). Filho de Salvatore e Maria Carmela Giannotta, tendo sido batizado com o nome de Giovanni.

Frequentou a Igreja de Jesus Infante da qual era reitor dom Antonio Lepore. Aos 16 anos, em 1906 decide entrar na Ordem Franciscana. Ingressou no convento de Galatone, em 1909 vestiu o abito tendo o nome de "frade Luigi".

Continuou os estudos nos conventos de Lecce, Taranto e Sava, sendo depois mandado ao Convento de Sargiano, para o curso de teologia. A primeira guerra mundial entretanto interrompeu seus estudos, indo prestar serviços na parte sanitária de um hospital próximo ao Monte Pasubio. Desta participação herdou o título de Cavaliere di Vittorio Veneto.

Em 1920 foi ordenado sacerdote e por alguns anos dedicou-se à formação dos noviços. Mais tarde foi enviado a Roma e a Jerusalém para aperfeiçoar-se em ciência bíblica.

Quando retornou da Terra Santa por cerca de quarenta anos dedicou-se ao ensinamento de teologia.

Em 1966 morre em Sava. no Convento de São Francisco.

Em 8 de novembro de 1992 por ocasião do centenário de nascimento de Padre Luigi Abatangelo, o Arquegrupo Espedito Jacovelli de Massafra, fez na casa natal do ilustre concidadão, na rua S.Guida n. 90 uma lápide de recordação.

Em 2002 foi dedicada a ele uma nova escola primária em Massafra, situada na zona Santa Croce.

Atividades[editar | editar código-fonte]

O nome de Padre Abatangelo é relacionado ao estudo da arte medieval e das inscrições rupestres, e a um longo estudo da cripta e dos afrescos bizantinos na província de Taranto. Toda a sua monumental produção historiográfica e arqueológica Chiese cripte e affreschi italo-bizantini di Massafra foi publicada postumamente.

Colaborou ainda em jornais e revistas locais e nacionais. Foi membro da "Sociedade de História Pátria da Puglia", da Accademia Cosentina, da Accademia dei 500, da "Accademia Latinati Excolendae" e da "Acccademia Tiberina".

Publicou numerosos ensaios e monografias além de ter deixado outros tantos manuscritos inéditos.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • 1921
    • Crisantemo (elegia)
  • 1922
    • Ricordo materno (elegia)
    • Toccate d'arpa
  • 1923
    • San Giovanni - Nascita - Vita - Decollazione (drama sacro em 5 atos, representado pela primeira vez em Castellaneta, em 1930)
    • Agonia e transito dell U. Ser P.S. Francesco (versos)
    • Lettera materna (elegia)
  • 1928
    • Sulle rive del Mar Morto. Breve monografia del monastero di S. Saba
    • Al M.R.P: Isidoro Ricci nel suo XXV sacerdotale (salmos)
  • 1932
    • I Re Magi - Note storico-archelogiche
    • Armonie di vita (poesias, publicadas com o pseudônimo Estio Fenicio)
  • 1933
    • I Fiori di Efrata
    • L'Agnello Pasquale - Note storico-archelogiche
  • 1937
    • Il canto dello Sposo Divino (poema em latim)
  • 1940
    • Coroncina a Gesù Bambino di Massafra
  • 1950
    • Preghiere al prodigioso Santo Bambino di Massafra. Ricordo del Primo Centenario dei prodigi del S.Bambino di Massfra
    • Meraviglie Divine
    • Vita e preci di B. Egidio
    • Nella luce del Portento. Il Bambin Gesù e i suoi prodigi in Massafra (1850-1950) (poema)
    • 1850-1950 Primo Centenario del Miracoloso Gesù Bambino di Massafra
    • Inno Centenario al S. Bambino di Massafra, (letra; música de Pe. Igino M. Ettorre)
  • 1952
    • Echi d'Oriente