Lustre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para a propriedade dos minerais, veja Lustre (mineralogia). Para o castiçal com vários braços, veja Candelabro.
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Lustro.
Um lustre com velas.
Lustre de cristal dos Museus Capitolinos, Roma.

Um lustre, candelabro ou lampadário é um candeeiro suspenso com mais de um foco luminoso, como velas ou lâmpadas. Os lustres modernos são frequentemente bastante decorados, com dezenas de lâmpadas e arranjos complexos de vidro ou outros materiais que iluminam um espaço interior com padrões intrincados.[1]

Existem alguns cuidados ao utilizar o lustre na decoração, como produzir luz suave e distanciar a peça da mesa, para não incomodar os olhos, também pode ser utilizado para destacar moveis como uma mesa de apoio, mesa principal, em casos que se tenham uma luz ambiente geral efetiva. Por isso é sempre importante pensar se vale ou não a pena fazer um projeto luminotécnico.

História[editar | editar código-fonte]

Os lustres surgiram no fim do século XVII, como majestosos objetos que tinham a função de iluminar as enormes mesas de refeições nos jantares oferecidos pelos nobres. O lustre surgiu em uma época de pleno status, somente os reis e nobres os possuíam, eram feitos a pedido e não eram comercializados. Surgiu antes da energia elétrica, onde no lugar das lâmpadas era inseridas velas.

Pedaços de espelho, placas de latão e pedaços de quartzo eram originalmente utilizados para espalhar e refletirem a luz, pois o vidro era frágil e não podia ser cortado e moldado como o quartzo. Em 1676, um vidreiro inglês, George Ravenscroft, desenvolveu um novo tipo de vidro cristalino semelhante ao quartzo, adicionando óxido de chumbo ao vidro durante a sua fabricação, o que tornava o material macio, de alta refração e mais fácil de cortar. Este tipo de lustre começou a ser feito em Murano no século XVIII. Daniel Swarovski começou a carreira no corte de pedras e fabricação de cristal, tendo patenteado uma máquina de cortar pedras para aperfeiçoamento de joias e expandido o uso desta tecnologia para incluir o corte de peças de lustre de cristal, tendo também aperfeiçoado a pureza do cristal de vidro com chumbo para um estado de brilho impecável.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons

Referências

  1. «Qual tipo de luminária é mais adequado?». Engenheiro na Web. 2016-06-28. Consultado em 2016-07-22. 
Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.