Maga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura o ofício sacerdotal, veja Mago.
Maga
Cooperativa de dublagem
Slogan Versão Maga: Dublada nos estúdios da TVS/Marshmallow.
Fundação 1980
Encerramento 1995
Sede Brasil São Paulo, SP
Pessoas-chave Marcelo Gastaldi (Dono e Fundador, Maga), Mário Lúcio de Freitas (Dono e Fundador, Marshmallow) Silvio Santos
Produtos Dublagem e Legendagem

A Maga foi uma cooperativa independente de dubladores muita ativa no cenário da dublagem de São Paulo, durante os anos de 1980 e começo dos anos de 1990, funcionando inicialmente nos estúdios da TVS e depois na Marshmallow, a Maga (abreviatura de Marcelo Gastaldi, proprietário da empresa) foi fundada logo após o fechamento dos estúdios Com-Arte e surgimento da Elenco, também ligados à emissora de Silvio Santos. Ambas companhias de dublagens, utilizaram o mesmo elenco de dubladores, estúdios e equipamentos, com a diferença que a Maga foi fundada pelo dublador Marcelo Gastaldi e a Elenco pelo também dublador Felipe Di Nardo.

A Maga dublou várias produções, sendo que as mais famosas foram, sem dúvida, os seriados El Chavo del Ocho (no Brasil, Chaves) e El Chapulín Colorado (no Brasil, Chapolin). Infelizmente, a abertura das produções com o slogan da empresa: "Versão Maga, dublada nos estúdios da TVS" pode a ser constantemente cortada pela emissora, justamente por facilitar o comércio do produto entre os outras emissoras. Infelizmente, boa parte das dublagens da Maga perdeu-se ou se limita à transmissão em televisão, tendo poucas produções lançadas em DVD ou VHS com a dublagem Maga.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1977, ocorreu a maior das chuvas no meio da dublagem. Profissionais do Rio de Janeiro e São Paulo pararam e vários donos de estúdios não queriam reajustar o salário dos dubladores.

Então após a greve, no ano de 1979, são criadas as séries independentes de dubladores, que resolvem dublar as empresas que foram a favor os artistas - apesar de terem sido obrigadas depois a pagá-los da devida forma que mereciam. Com o desenrolar dos fatos, os dubladores mais militantes foram impedidos de voltarem a dublar em determinadas empresas, o que resultou na criação da cooperativa Com-Arte, em São Paulo, sob a direção do veterano João Ângelo.

Paralelo a isso, a TVS, liderada por Salathiel Lage, passa a desenvolver um novo sistema de dublagem, que trabalhava com Videotape, enquanto as outras empresas ainda usavam o celuloide. A TVS tornou-se pioneira na técnica e, aproveitando da redução de custos e do processo de trabalho mais ágil, criou um forte núcleo de dublagem na emissora.

Sem criação de vínculos empregatícios, a TVS passou a contratar cooperativas de dubladores que faziam todo trabalho de dublagem com os equipamentos dos estúdios da emissora. A Com-Arte foi a primeira empresa a vincular-se a TVS e permaneceu até início dos anos de 1980, ficando inativa posteriormente. Em seu lugar, surgiram outras prestadoras de serviço dentro da TVS, como a Elenco e a Maga. A Elenco foi criada pelo dublador Felipe Di Nardo e permanece ativa até final da década de 1980. As prestadoras de serviço funcionaram dentro do núcleo de dublagem da TVS, mas eram pequenas empresas que tinham a sua marca e abriam suas produções com seus slogans.

Posteriormente, no final dos anos oitenta, a TVS encerra com as atividades de seu estúdio de dublagem e passa a importar dublagens de outras empresas - o que leva ao fechamento da Elenco.

A Maga ganhou uma sobrevida dublando na Marshmallow, em São Paulo, Estúdios de Mário Lúcio de freitas, amigo pessoal de Marcelo Gastaldi, dono da Maga, porém deixou de existir após o falecimento de seu fundador e dono em 1995, após mais de 15 anos de trabalho.

Boatos[editar | editar código-fonte]

A algum tempo surgiu um Boato na internet de que a Maga teria se tornado a Marshmallow, confusão essa foi criada pelo fato de que a Maga a partir do fechamento dos estúdios da TVS passou a alugar e funcionar nos estúdios da Marshmallow, fato esse que não é muito comum no meio de dublagem, a Marshmallow foi fundada em 1988, muito antes da Morte de Marcelo Gastaldi e o fechamento da Maga.[1]

Dublagens[editar | editar código-fonte]

Séries[editar | editar código-fonte]

  • Superboy (Superboy)
  • Chaves (El Chavo del Ocho) - com episódios inéditos dublados pela Amazonas para DVD's, Riosound para redublagens e dublagens de ineditos, para o SBT e Som de Vera Cruz no Multishow
  • Chapolin (El Chapulín Colorado) - com episódios inéditos dublados pela Som de Vera Cruz no Multishow
  • Kiko (Federrico) - exibido na Bandeirantes
  • Kiko Maleta (Kiko Botones) - exibido na Bandeirantes
  • Kiko, Menino do Jornal (Niño de papel) - exibido na Bandeirantes
  • Punky, a Levada da Breca (Punky Brewster) - Dublado pela Elenco, porém com quase todos os dubladores que fariam parte da Maga nos estúdios da TVS, mesmo estúdio usado pela Maga.
  • O Samurai Fugitivo (Kozure Ōkami)
  • O Super-Herói Americano (Greatest American Hero)
  • Spectreman (Superakutoraman) - Exibido na Record, e na TVS/SBT. Dublado pela Com Arte, porém com quase todos os dubladores que fariam parte da Maga.

Desenhos[editar | editar código-fonte]

Filmes[editar | editar código-fonte]

  • Morte nos Sonhos (Dreamscape)

Referências

  1. «Marshmallow». marshmallow.com.br. Consultado em 4 de junho de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]