Magnitude do eclipse

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Um eclipse solar anular tem sempre magnitude menor que 1.0

A magnitude do eclipse é uma medida astronômica para eclipses dada pela fração do diâmetro[1] do corpo eclipsado que está sofrendo eclipse no momento de seu ápice[2]. A magnitude é apresentada em forma de porcentagem ou como um número decimal, por exemplo, a magnitude 0,77 também poderia ser representada como 77%[3].

A magnitude do eclipse não pode ser confundida com a escala de magnitude aparente destinada ao brilho das estrelas e nem com o conceito de obscurecimento que mede a área do corpo eclipsado que está sofrendo eclipse.

O conceito de magnitude do eclipse pode ser utilizado tanto para eclipses solares quanto para eclipses lunares. Eclipses totais lunares e solares têm magnitude igual ou maior a 1,0 e os eclipses solares anulares sempre menor que 1,0[4]. Eclipses lunares também definem o conceito de magnitude umbral para identificar a fração do diâmetro lunar coberto pela umbra da Terra[5].

Referências

  1. «Magnitude of the Eclipse». ESO. Consultado em 31 de julho de 2012.  Ligação externa em |publicado= (Ajuda)
  2. Fred Espenak. «Glossary of Solar Eclipse Terms». NASA. Consultado em 31 de julho de 2012.  Ligação externa em |publicado= (Ajuda)
  3. Ian Ridpath (1997). «Magnitude of an Eclipse». A Dictionary of Astronomy. Consultado em 31 de julho de 2012. 
  4. Robbi Erickson (2009). «Solar eclipse viewing schedule and information». Happy Living Magazine. Consultado em 31 de julho de 2012.  Ligação externa em |publicado= (Ajuda)
  5. Fred Espenak (2012). «Lunar Eclipse Preview: 2011 - 2030». Mr. Eclipse. Consultado em 31 de julho de 2012.  Ligação externa em |publicado= (Ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre astronomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.