Manopla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Par de manoplas, da Alemanha, final do século XVI.

A manopla, a peça da armadura protetora das mãos, tornou-se conhecida por diversos nomes como Guante, além de possuir variações e evoluções como a Guante de Presa. As manoplas consistiam em luvas confeccionadas em metais ou peles.

As manoplas foram utilizadas ao longo de toda antiguidade e evoluíram gradualmente, as primeiras guantes foram confeccionadas em couro espesso e resistente, e mais tarde se aperfeiçoaram apresentando no material primeiramente ferro, e depois aço; elas se diferenciavam em dois tipos também, as manoplas afixadas às armaduras e também as soltas.

As manoplas confeccionadas em couro, podiam apresentar o adendo de anéis ou pequenas chapas forjados em ferro anexados; esse tipo mostrou ter bastante variedade, apresentando adendo não só em metal, mas também de pequenas varetas de madeira, cordas, e até mesmo um material chamado à época de barbas de baleia.

As manoplas produzidas inteiramente em aço surgiram apenas no século XIV, e distinguiram-se em dois tipos diversos: o primeiro e mais rudimentar vestia o polegar em separado e calçava os outros quatro dedos juntos, o segundo tipo vestia cada um dos cinco dedos separadamente. Os anéis ou plaquetas de aço eram articulados sobre couro de gamo, com cuidado especial na palma e dedos.

Além disto, eram uma das cinco peças de grande honra durante o cerimonial de cavalaria; foram indicadores de atos sociais: a manopla atirada ao chão indicava um desafio, o recolhimento da mesma indicava aceitação do desafio, a entrega da manopla sinalizava que o dono se tornava prisioneiro.

Referência[editar | editar código-fonte]