Maomé Iacube Cã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Maomé Iacube Cã
Emir do Afeganistão
Maomé Iacube Cã
Reinado 21 Fevereiro 1879 – 12 Outubro 1879
Antecessor(a) Xer Ali Cã
Sucessor(a) Maomé Iacube Cã
Dinastia Dinastia Baraquezai
Nascimento 1849
Morte 15 Novembro 1923
Pai Xer Ali Cã

Maomé Iacube Cã (1849 - 15 de novembro de 1923) foi emir do Afeganistão de 21 de fevereiro a 12 de outubro de 1879. Ele era o filho do emir anterior, Xer Ali Cã.[1]

Maomé Iacube Cã era o governador da província de Herat no Afeganistão e decidiu rebelar-se contra seu pai em 1870, mas foi preso em 1874.[1]

No fim de 1878 iniciou a Segunda Guerra Anglo-Afegã, forçando Xer Ali Cã a fugir da capital do Afeganistão,[2] para o norte do país onde faleceu em 21 de fevereiro de 1879. Como sucessor de Xer Ali, em maio 1879, Iacube assinou o Tratado de Gandamak com os britânico, cedendo o controle das relaçoes exteriores do Afeganistão para o Império Britânico.[3]

Tratado de Gandamaque[editar | editar código-fonte]

Gandamaque, Afeganistão maio 1879. Sentados da esquerda para a direita: Oficiais britânicos, Sr. Jenkyns e major Cavagnari, Emir Iacube Cã (no centro), o general Daúde Xá e Habibulá Mustafi.

Durante a Segunda Guerra Anglo-Afegã, os britânicos derrotaram as forças do Amir Xer Ali, e esperaram que o novo emir aceita-se seus termos e condições. Uma das figuras-chave nas negociações foi Pierre Louis Napoleon Cavagnari, um aristocrata meio-irlandês, meio italiano, descendente da família real de Parma, que havia sido criado na Inglaterra. Ele serviu com o Exército das Índias Orientais no 1 º Fuzileiros do Bengala, sendo depois transferido para o serviço político, ele foi nomeado como enviado pelo vice-rei Lord Lytton a Cabul.

Em maio de 1879, Iacube Cã viajou para Gandamaque, uma aldeia nos arredores de Jalalabad e entrou em negociações com Cavagnari, como resultado o Tratado de Gandamaque foi assinado, através do qual o emir cedia territórios Afegãos para os britânicos e aceitava um embaixador britânico em Cabul.[3]

Cavagnari assumiu o cargo de residente britânico em Cabul em julho de 1879. Ele era conhecido por ser imprudente e arrogante e não discreto, e seu papel como enviado era vista como imprudente mesmo por alguns dos britânicos. A situação em Cabul era tensa e, em setembro, algumas tropas afegãs que não haviam sido pagas pelo emir se rebelaram e atacaram a residência, matando Cavagnari e sua missão.[2]

Um levante contro o acordo em outubro do mesmo ano sob a liderança de comandantes locais forçou Aiube Cã a abdicar. Ele refugiou-se com os britânicos e foi posteriormente enviado em dezembro para a Índia. Ele foi sucedido pelo novo governante, Amir Aiube Cã.[2]

A guerra reiniciou, apesar do tratado, e as tropas britânicas foram enviadas para ocupar Cabul, e lançar medidas punitivas contra os afegãos.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b L.W. Adamec/J.A. Norris, ANGLO-AFGHAN WARS, in Encycloædia Iranica, online ed., 2010
  2. a b c J.A. Norris, ANGLO-AFGHAN RELATIONS Arquivado em 17 de maio de 2013, no Wayback Machine., in Encycloædia Iranica, online ed., 2010
  3. a b Posturee, Bad (2002). Understanding Holocausts: How, Why and When They Occur. [S.l.]: iUniverse. p. 84. 432 páginas. ISBN 0595238386, 9780595238385 Verifique |isbn= (ajuda). Consultado em 22 de agosto de 2010 
  4. Barfield, Thomas (2010). Afghanistan: A Cultural and Political History. [S.l.]: Princeton University Press. p. 145. 400 páginas. ISBN 0691145687, 9780691145686 Verifique |isbn= (ajuda). Consultado em 22 de agosto de 2010 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Fremont-Barnes, Gregory; The Anglo-Afghan Wars 1839-1919; Essential Histories, vol. 40; Osprey Publishing; (2009); ISBN 9781846034466.
  • Barthorp, Michael; Afghan Wars and the North-West Frontier 1839-1947; Cassell; Londres; (2002); ISBN 0-304-36294-8.

Ligações externas e Notas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Maomé Iacube Cã