Maria Eduarda Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Maria Eduarda Silva (Porto, 2 de dezembro de 1961) é atualmente professora associada e investigadora na Faculdade de Economia da Universidade de Porto. Licenciou-se, em 1985, em Matemática (ramo Matemática Aplicada) na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Doutorou-se, em 1994, em Estatística na Universidade de Manchester sob orientação científica do Professor Tata Subba Rao.

Foi presidente da Sociedade Portuguesa de Estatística entre 2015 e 2020.

Foi membro da comissão executiva da conferência The Value of Official Statistics as a Public Good nas comemorações do European Statistics Day (ESD), em 2017.

Foi membro do Conselho de Representantes da Faculdade de Economia da Universidade do Porto entre 2011 e 2014.

Foi membro do Comité Científico do Programa Doutoral em Matemática e Aplicações (PDMA) entre 2008 e 2010.

Na atualidade é diretora do Mestrado em Modelação, Análise de Dados e Sistemas de Apoio à Decisão da Faculdade de Economia da Universidade do Porto. É também Secretaria Geral da Federation of European National Statistical Societies (FENStatS).

É membro da Unidade de Investigação CIDMA sediada no Departamento de Matemática da Universidade de Aveiro.

Investigação e Publicações[editar | editar código-fonte]

As principais linhas de investigação da professora Maria Eduarda Silva centram-se, sobretudo, em

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Silva, Maria Eduarda; Pereira, Isabel; McCabe, Brendan (2019). «Bayesian Outlier Detection in Non-Gaussian Autoregressive Time Series». Journal of Time Series Analysis (em inglês) (5): 631–648. ISSN 1467-9892. doi:10.1111/jtsa.12439. Consultado em 15 de março de 2021 
  2. Möller, Tobias A.; Silva, Maria Eduarda; Weiß, Christian H.; Scotto, Manuel G.; Pereira, Isabel (1 de outubro de 2016). «Self-exciting threshold binomial autoregressive processes». AStA Advances in Statistical Analysis (em inglês) (4): 369–400. ISSN 1863-818X. doi:10.1007/s10182-015-0264-6. Consultado em 15 de março de 2021 
  3. «Bivariate binomial autoregressive models». Journal of Multivariate Analysis (em inglês): 233–251. 1 de março de 2014. ISSN 0047-259X. doi:10.1016/j.jmva.2013.12.014. Consultado em 15 de março de 2021 
  4. Barczy, Mátyás; Ispány, Márton; Pap, Gyula; Scotto, Manuel; Silva, Maria Eduarda (1 de novembro de 2012). «Additive outliers in INAR(1) models». Statistical Papers (em inglês) (4): 935–949. ISSN 1613-9798. doi:10.1007/s00362-011-0398-x. Consultado em 15 de março de 2021 
  5. Barczy, Mátyás; Ispány, Márton; Pap, Gyula; Scotto, Manuel; Silva, Maria Eduarda (10 de setembro de 2010). «Innovational Outliers in INAR(1) Models». Communications in Statistics - Theory and Methods (18): 3343–3362. ISSN 0361-0926. doi:10.1080/03610920903259831 
  6. Leite, Argentina; Silva, Maria Eduarda; Rocha, Ana Paula (julho de 2018). «Model-Based Classification of Heart Rate Variability». Honolulu, HI: IEEE: 518–521. ISBN 978-1-5386-3646-6. doi:10.1109/EMBC.2018.8512310. Consultado em 15 de março de 2021 
  7. Almeida, Rute; Dias, Celeste; Silva, Maria Eduarda; Rocha, Ana Paula (2017). Barbieri, Riccardo; Scilingo, Enzo Pasquale; Valenza, Gaetano, eds. «ARFIMA-GARCH Modeling of HRV: Clinical Application in Acute Brain Injury». Cham: Springer International Publishing (em inglês): 451–468. ISBN 978-3-319-58709-7. doi:10.1007/978-3-319-58709-7_17. Consultado em 15 de março de 2021 
  8. Leite, Argentina; Paula Rocha, Ana; Eduarda Silva, Maria (19 de abril de 2013). «Beyond long memory in heart rate variability: An approach based on fractionally integrated autoregressive moving average time series models with conditional heteroscedasticity». Chaos: An Interdisciplinary Journal of Nonlinear Science (2). 023103 páginas. ISSN 1054-1500. doi:10.1063/1.4802035. Consultado em 15 de março de 2021 
  9. Puindi, António Casimiro; Silva, Maria Eduarda (4 de abril de 2021). «Dynamic structural models with covariates for short-term forecasting of time series with complex seasonal patterns». Journal of Applied Statistics (5): 804–826. ISSN 0266-4763. doi:10.1080/02664763.2020.1748178. Consultado em 15 de março de 2021 
  10. Barbosa, S. M.; Silva, M. E. (10 de junho de 2009). «Low-frequency sea-level change in Chesapeake Bay: Changing seasonality and long-term trends». Estuarine, Coastal and Shelf Science (em inglês) (1): 30–38. ISSN 0272-7714. doi:10.1016/j.ecss.2009.03.014. Consultado em 15 de março de 2021 
  11. Barbosa, S. M.; Silva, M. E.; Fernandes, M. J. (1 de janeiro de 2008). «Changing seasonality in North Atlantic coastal sea level from the analysis of long tide gauge records». Tellus A: Dynamic Meteorology and Oceanography (1): 165–177. doi:10.1111/j.1600-0870.2007.00280.x. Consultado em 15 de março de 2021 
  12. Monteiro, Andreia; Menezes, Raquel; Silva, Maria Eduarda (1 de novembro de 2017). «Modelling spatio-temporal data with multiple seasonalities: The NO2 Portuguese case». Spatial Statistics. Spatio-temporal Statistical Methods in Environmental and Biometrical Problems (em inglês): 371–387. ISSN 2211-6753. doi:10.1016/j.spasta.2017.04.005. Consultado em 15 de março de 2021