Mariana Carlota de Verna Magalhães Coutinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde junho de 2015). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Dona Mariana Carlota Magalhães Coutinho.

Mariana Carlota de Verna Magalhães Coutinho, Condessa de Belmonte (Elvas (Portalegre), 5 de fevereiro de 1779 - Rio de Janeiro, 17 de outubro de 1855) foi camareira-mor na época do Primeiro reinado do Império do Brasil. Foi a responsável pelos estudos iniciais de D. Pedro II, considerada como uma segunda mãe pelos filhos de D. Pedro I. Foi uma das promotoras da campanha contra José Bonifácio de Andrada e Silva, na época tutor dos príncipes. O futuro imperador afeiçoou-se de forma intensa a D. Mariana Carlota e, mesmo adulto, chamava-a pelo apelido de infância: 'Dadama'. Ele considerava-a como sua mãe de criação e respeitava-a como tal.

O título de condessa de Belmonte foi criado por D. Pedro II por decreto de 5 de maio de 1844.

Foi casada com Joaquim José de Magalhães Coutinho, de quem tinha três filhos, Maria Antónia, Leopoldina Isabel e Ernesto Frederico.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.