Merck Sharp and Dohme

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Merck & Co., Inc.
Farmacêutica
Fundação 1891
Fundador(es) George Merck
Website oficial www.merck.com

Merck & Co. ou Merck Sharp & Dohme (MSD) é uma empresa farmacêutica, química e de ciências biológicas estadunidense presente em 67 países. É a mais antiga de seu ramo, tendo sido fundada em 1668, quando Friedrich Jacob Merck adquiriu a Farmácia Angel em Darmestádio. Em 1827, Heinrich Emmanuel Merck começou a produção em escala industrial de alcaloides, extratos de plantas e outros químicos.[1]

"Desde 1891, nossos cientistas ajudam a encontrar novas formas para tratar e prevenir doenças, desde o descobrimento da vitamina B1, a primeira vacina contra o sarampo, os medicamentos para a gripe e os antiácidos até as primeiras estatinas para tratar o colesterol alto", reporta a empresa sem seu sítio, na seção Nossa História.[2]

Sua sede fica em Kenilworth, Nova Jérsia.

No Brasil, a empresa está presente desde 1952, sendo a sede localizada em São Paulo e com fábricas em Campinas e Cruzeiro, no estado de São Paulo, e em Montes Claros, Minas Gerais.[2]

Produtos[editar | editar código-fonte]

A empresa desenvolve medicamentos, vacinas, terapias biológicas e produtos para a saúde animal. Em 2020, a empresa tinha 6 medicamentos ou produtos de sucesso, cada um com mais de US $ 1 bilhão em receita: Keytruda (pembrolizumabe), um anticorpo humanizado usado em imunoterapia contra o câncer que teve US $ 14,3 bilhões em receita em 2020; Januvia (sitagliptina), um medicamento antidiabético usado para tratar o diabetes tipo 2 que teve $ 5,3 bilhões em receita em 2020; Gardasil, uma vacina contra o HPV que teve receita de US $ 3,9 bilhões em 2020; Varivax, uma vacina contra varicela usada para proteger contra a deonça que teve US $ 1,9 bilhão em receitas em 2020; Bridion (Sugammadex), um medicamento bloqueador neuromuscular que teve US $ 1,2 bilhão em receita em 2020; e Pneumovax 23, uma vacina pneumocócica polissacarídica que teve receita de US $ 1,1 bilhão em 2020. Outros produtos importantes da empresa incluem Isentress (raltegravir), um medicamento anti-retroviral usado para tratar HIV-AIDS que teve $ 857 milhões em receita em2020; Simponi (golimumab), um anticorpo monoclonal humano usado como uma droga imunossupressora que teve uma receita de US $ 838 milhões em 2020; RotaTeq, uma vacina contra rotavírus que teve US $ 797 milhões em receita em 2020; e Lynparza (olaparib), um medicamento para o tratamento de manutenção do câncer de ovário avançado com mutação BRCA em adultos que gerou $ 725 milhões em receita de 2020 para a empresa.[3]

Medicamento contra covid-19[editar | editar código-fonte]

Em 1 de outubro de 2021, a Merck (MSD) anunciou que o medicamento molnupiravir teria tido resultados positivos contra a covid-19 em testes iniciais. Segundo a empresa, ensaios clínicos preliminares feitos com 775 pessoas haviam mostrado que o tratamento com o antiviral havia reduzido o risco de hospitalização e morte por covid-19 em cerca de 50% para pacientes de alto risco diagnosticados recentemente.[4][5]

Dias depois, a Fiocruz anunciou que no Brasil, sete centros, em cinco estados, participariam dos testes de Fase 3 do medicamento.[6]

Em 4 de novembro, o governo do Reino Unido anunciou a aprovação da droga para tratamento de pacientes de covid-19.[7][8][9]

Referências

  1. Joseph 2016.
  2. a b «MSD | Nossa História». www.msd.com.br. Consultado em 4 de novembro de 2021 
  3. «Inline XBRL Viewer». www.sec.gov. Consultado em 4 de novembro de 2021 
  4. «MSD diz que sua pílula contra Covid-19 reduz em 50% risco de internação e morte». CNN Brasil. Consultado em 4 de novembro de 2021 
  5. «Comprimido contra Covid da MSD: o que se sabe sobre o medicamento». G1. Consultado em 4 de novembro de 2021 
  6. «Covid-19: Fiocruz participará de estudo de Fase 3 do Molnupiravir». Agência Fiocruz de Notícias. 6 de outubro de 2021. Consultado em 4 de novembro de 2021 
  7. «First oral antiviral for COVID-19, Lagevrio (molnupiravir), approved by MHRA». GOV.UK (em inglês). Consultado em 4 de novembro de 2021 
  8. «Merck and Ridgeback's Molnupiravir, an Oral COVID-19 Antiviral Medicine, Receives First Authorization in the World». Merck.com (em inglês). Consultado em 4 de novembro de 2021 
  9. «Como o antirretroviral oral molnupiravir pode mudar o tratamento contra Covid-19». CNN Brasil. Consultado em 4 de novembro de 2021 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Joseph, Ugesh A. (2016). «Merck». The 'Made in Germany' Champion Brands: Nation Branding, Innovation and World Export Leadership. Londres e Nova Iorque: Routledge 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.