Messina Chasma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Imagem da Voyager 2 de Titânia. Messina Chasma pode ser visto no centro.

Messina Chasma é o maior cânion da superfície da lua de Urano Titânia. Recebeu o nome de um lugar da obra de William Shakespeare Much Ado About Nothing.[1] Possui uma extensão de 1492 km. É composto por duas falhas geológicas nas direções norte-oeste e sul-leste, formando um graben.[2] O cânion corta crateras de impacto, o que significa que foi formado mais recentemente na evolução da lua,[3] quando o interior de Titânia expandiu e sua crosta de gelo rachou como resultado.[4] Foi fotografado pela primeira vez pela sonda Voyager 2 em janeiro de 1986.[2]

Referências

  1. «Titania: Messina Chasmata». Gazetteer of Planetary Nomenclature. USGS Astrogeology. Consultado em 2009-06-25. 
  2. a b Smith, B.A.; Soderblom, L.A.; Beebe, A. et al. (1986). «Voyager 2 in the Uranian System: Imaging Science Results». Science [S.l.: s.n.] 233 (4759): 97–102. Bibcode:1986Sci...233...43S. doi:10.1126/science.233.4759.43. PMID 17812889. 
  3. Plescia, J.B. (1987). «Cratering history of the Uranian satellites: Umbriel, Titania and Oberon». Journal of Geophysical Research [S.l.: s.n.] 92 (A13): 14,918–32. Bibcode:1987JGR....9214918P. doi:10.1029/JA092iA13p14918. 
  4. Croft, S.K. (1989). New geological maps of Uranian satellites Titania, Oberon, Umbriel and Miranda. p. 205C. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um acidente geográfico extraterrestre é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.