Mestre Molina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Manuel Josette Molina, nascido em 1917, em Bocaina, São Paulo,[1] popularmente conhecido como Mestre Molina, é um artista popular que se dedicou a fabricação de autômatos que davam vida a sua obra.

Obra[editar | editar código-fonte]

Objetos rústicos como madeiras, latas, borrachas e cordas; materiais sofisticados como silicone, gesso e tecidos especiais – todos serviam ao mesmo propósito nas mãos de Mestre Molina, um dos principais expoentes da arte popular da criação de bonecos animados: dar origem a obras que, além de divertir pessoas de todas as idades, refletiam com singeleza o cotidiano nacional.

As bancadas de Mestre Molina, que ele mesmo apelidou de geringonças, são mesas cheias de figuras artesanais que se movem com a energia gerada por um motor elétrico, reproduzindo cenas da vida no Brasil. Fábricas, serralherias, bares e outros locais de convívio foram abordados pelo Mestre, que, com a ingenuidade do olhar infantil típica do criador de brinquedos, retratou como poucos a legítima cultura popular do país.

Desde o princípio colaborando com artistas que compartilhavam o anseio pelo entendimento de nossa cultura, o Sesc Pompeia foi a casa perfeita para abrigar a inventividade de Mestre Molina, que por doze anos usou a unidade como espaço de criação de suas geringonças.

Encontro com o Sesc[editar | editar código-fonte]

O primeiro contato do artista com o Sesc, que ocasionaria uma parceria vindoura, aconteceu em 1974, ano em que participou da exibição Cultura Popular no Sesc Santos. Pela primeira vez foi reconhecido como artista e teve seu trabalho aclamado como arte popular – agora ele era o Mestre Molina. E nessa condição foi convidado a expor suas bancadas em diversos outros espaços nos anos que se seguiram. Em 1982, a exposição Mil Brinquedos da Criança Brasileira consolidou o sucesso da colaboração com o Sesc, marcando a inauguração do novo espaço cultural no qual, anos depois, em 1988, teve seu trabalho celebrado na mostra individual As Geringonças do Mestre Molina, em que realizou o antigo sonho de ter seu processo criativo revelado para crianças e jovens que puderam acompanhar seu empenho na criação de algumas peças ao vivo. Fora contratado três anos antes pelo Sesc Pompeia, em 1985, onde permaneceria disseminando a arte popular até sua morte, em 4 de novembro de 1998.

Referências

  1. Cultural, Instituto Itaú. «Mestre Molina | Enciclopédia Itaú Cultural». Enciclopédia Itaú Cultural. Consultado em 7 de Setembro de 2017 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

As Geringonças de Mestre Molina (10/10/2013) - https://www.sescsp.org.br/online/artigo/7047_AS+GERINGONCAS+DE+MESTRE+MOLINA