Modelo atômico de Thomson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Representação esquemática do modelo de Thomson.

Modelo atômico de Thomson é uma teoria sobre a estrutura atômica proposta por Joseph John Thomson, descobridor do elétron e da relação entre a carga e a massa do elétron, antes do descobrimento do próton ou do nêutron. Este modelo,   foi criado embasado na ampola de Crookes (ampola fechada, com vácuo em seu interior,que impossibilita a presença de gases) que através dos raios catódicos que ao colidir ,aplicava um momento de força no molinete composto por mica(que ao ser colidido acendia cores florescentes e indicava a presença dos raios catódicos ) e com essa colisão das cargas ,gerava-se movimento no molinete , com esse experimento  evidenciou que os raios catódicos era composto por partículas .Continuando o experimento,colocou-se um imã de polo  negativo e os raios catódicos repeliu, através dessa experimentação descobriu que existia partículas chamadas elétrons e os átomos era divisível por cargas positivas (cátion) e negativas (elétron) 

. Acreditava-se que os elétrons distribuíam-se uniformemente no átomo. Em outras oportunidades, postulava-se que no lugar de uma sopa de carga positiva seria uma nuvem de carga positiva.[1][2]

História[editar | editar código-fonte]

O modelo atômico de Joseph John Thomson teve experimentos, por volta de 1897, na qual foram estudadas descargas elétricas em tubos semelhantes a tubos de lâmpadas fluorescentes, chamados de tubos de raios catódicos (o mesmo tipo de raio usado em monitores e televisões antigamente), dentro dos quais, havia gases rarefeitos (em baixa pressão).[1]

Contudo, segundo a teoria eletromagnética clássica, não pode existir qualquer configuração estável num sistema de partículas carregadas se a única interação entre elas é de caráter eletromagnético.

Além disso, como qualquer partícula com carga elétrica em movimento acelerado emite radiação eletromagnética, o modelo tinha como outra hipótese que os modos normais das oscilações dos elétrons deveriam ter as mesmas frequências que aquelas que se observavam associadas às raias dos espectros atômicos.[3]

Mas não foi encontrada qualquer configuração para os elétrons de qualquer átomo cujos modos normais tivessem qualquer uma das frequências, mas, o modelo de Thomson foi abandonado principalmente devido aos resultados do experimento de Rutherford.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • PCPI Ámbito CientíficoTecnológico. Graduado , Editex, 2010 - 352 páginas ISBN 8-497-71765-1
  • Revista de Ciência Elementar Publicado por rce.casadasciencias.org ISSN 2183-1270

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Química A Wikipédia possui o:
Portal de Química
Ícone de esboço Este artigo sobre Ciência (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.