Mudança estrutural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Mudança estrutural de uma economia refere-se a uma mudança fundamental e de longo prazo na sua estrutura, ao contrário das medidas pontuais ou de curto prazo, que tipicamente visam melhorias conjunturais na produção ou no emprego. Por exemplo, a transformação de uma economia de subsistência numa economia industrializada, ou de uma economia mista regulada numa economia liberalizada. Uma mudança estrutural atualmente em curso na economia mundial é a globalização.


Fisher (1939) [1] e Clark (1940)[2] pesquisaram padrões no emprego em vários setores da economia. Argumentaram que os padrões de produção são função dos níveis de rendimento, e que as variações de recursos e produção são uma parte integrante do desenvolvimento. O maior determinante destas variações é a elasticidade da procura face ao rendimento. Os bens e os setores com uma elevada elasticidade da procura face ao rendimento terão um maior peso quando o rendimento aumenta. Os países começam por ter um setor primário dominante na sua economia, depois um setor secundário dominante, e finalmente essa prevalência passará para o setor terciário.


A mudança estrutural pode ser iniciada por decisão política ou por alterações permanentes nos recursos disponíveis, população ou na sociedade. A queda do comunismo, por exemplo, foi uma mudança política que teve grandes repercussões nas economias dependentes da União Soviética. A mudança estrutural implica a obsolescência de competências, vocações e alterações permanentes no consumo e produção resultando em desemprego estrutural.


Desafios económicos de curto prazo podem ser endereçados com decisões de política fiscal ou monetária, e as flutuações poderão ser corrigidas no período de alguns anos. A gestão das mudanças estruturais implica investimento de longo prazo, por exemplo na educação, e reformas, por exemplo, na flexibilidade do trabalho. O programa "Trade Adjustment Assistance" é um exemplo disso. [3]

Referências

  1. Fisher, A (1939) Production: Primary, Secondary and Tertiary, Economic Record, June
  2. Clark, C (1940) The Conditions of Economic Progress
  3. Elaine L. Chao. Remarks Prepared for Delivery by U.S. Secretary of Labor Elaine L. Chao, G-8 Labor and Employment Ministers Conference Stuttgart, Germany, December 15, 2003. “Globalization and Structural Change” http://www.dol.gov/_sec/media/speeches/20031215_G-8.htm
Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.