Mudança linguística

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Chama-se mudança linguística ao processo de modificação e transformação que todas as línguas experimentam em geral - e as unidades linguísticas de cada um dos seus níveis, em particular -, na sua evolução histórica.

A mudança linguística se diferencia da variação linguística. Na mudança linguística, as modificações são diacrônicas - e, portanto, são objeto de estudo da linguística histórica. Já as variações linguísticas são sincrônicas e constituem o objeto de análise da sociolinguística, entre outras disciplinas.

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Em relação o caminho ao português Europeu ,alem de identificar as influencias transcorridas na língua ao longo do tempo.

Podemos entender como mudança linguística quando um determinado termo cai em desuso com o passar do tempo, sendo substituído por outro amplamente aceito e compreendido pelos falantes da língua em questão. Já as variações linguísticas são determinadas pelas diferenças regionais, de registro ou históricas e embora sejam compreendidas dentro do contexto em que estão inseridas coexistem com a norma padrão não tendo o poder de substituí-la, mas apenas de modificá-la de acordo com o entendimento que o falante tem da língua e de sua maneira de exteriorizá-la.

Para compreender o fenômeno da variação linguística é preciso compreender a língua como algo heterogêneo. Ela é sempre variável, mutante, um processo nunca acabado, ou seja, “[...] a língua não é, ela sempre está, está sempre em formação, em decomposição e recomposição, perde coisas com o tempo e ganha outras também, sempre ao sabor das transformações culturais e cognitivas de seus falantes” (BAGNO, 2014, p. 23).